Seculo

 

Por falha cadastral, Ministério da Saúde suspende repasse a 15 municípios capixabas


03/11/2017 às 13:04
O Diário Oficial da União de quarta-feira (1) registra como deslizes das administrações municipais podem prejudicar a população. O Ministério da Saúde suspendeu a transferência de recursos financeiros do Componente de Vigilância Sanitária, do Bloco de Vigilância em Saúde, a municípios capixabas irregulares quanto à informação da produção da vigilância sanitária no Sistema de Informação Ambulatorial (SIA/SUS). 
 
Nada menos que 15 municípios capixabas foram incluídos na lista: Água Doce do Norte, Águia Branca, Alfredo Chaves, Alto Rio Novo, Conceição do Castelo, Ibiraçu, Iúna, Marilândia, Mimoso do Sul, Muniz Freire, Muqui, Piúma, Ponto Belo, São Gabriel da Palha e Vila Pavão. Os recursos suspensos são referentes às parcelas de setembro, outubro, novembro e dezembro.
 
Segundo a portaria que atualiza, para o ano de 2017, os valores dos repasses financeiros federais do Componente de Vigilância Sanitária, os municípios de Água Doce do Norte, Águia Branca, Alfredo Chaves, Alto Rio Novo, Conceição do Castelo, Ibiraçu, Marilândia, Muniz Freire, Muqui, Ponto Belo e Vila Pavão recebem mensalmente R$ 1 mil do Piso Fixo de Vigilância Sanitária (PFVISA). Piúma recebe R$ 1.051,50; Mimoso do Sul, R$ 1.368,45;  Iúna R$ 1.487,15; e São Gabriel da Palha. 1.842,90.
 
Os valores podem parecer irrisórios, mas numa época de penúria para os cofres públicos, especialmente os de municípios pequenos, qualquer repasse é bem-vindo. 
 
A irregularidade foi detectada em monitoramento realizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em 18 de agosto. Os municípios estão em situação irregular quanto à informação da produção da vigilância sanitária dos meses de fevereiro a junho de 2017.
 
O Componente da Vigilância Sanitária refere-se aos recursos federais destinados às ações de vigilância sanitária. Os procedimentos realizados por estados e municípios são alimentados mês a mês no SIA/SUS, cujas informações podem subsidiar ações de planejamento, avaliação e controle.
 
Como forma de obter a informação na sua totalidade, o Ministério da Saúde condicionou o repasse financeiro à alimentação do SIA/SUS. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

Por trás das cortinas

Hartung não ataca mais Casagrande como antes. E vice-versa

OPINIÃO
Editorial
Maquiagem oficial
Depois de episódios de repressão, governo Hartung tira a semana para valorizar uma das piores áreas de sua gestão: segurança pública
JR Mignone
Rádio Carnaval
'Taí' um dos poucos eventos em que o rádio perde feio para a televisão
Roberto Junquilho
O dia seguinte
O governador Paulo Hartung terá que se voltar mais intensamente à sua sucessão, depois de desfeito o sonho de ser vice de Luciano Huck
Geraldo Hasse
Manobras perigosas
Os empresários, que surfaram na onda de Lula, estão assustados com a pororoca de Temer
JR Mignone
Banalização
O carnaval fez com que se desse uma trégua nas informações sobre política no Brasil
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

A arte de pilotar motocicletas – ou com Chico na garupa
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Yes, nós também!
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Luiz Paulo disputará cadeira na Câmara dos Deputados pelo PPS

Sesc Glória abre inscrições para propostas de apresentações

Manobras perigosas

Banalização

Hospital Bezerra de Farias suspende atendimento por falta de médicos