Seculo

 

Comissão discute medidas do governo federal sobre privatização do saneamento


03/11/2017 às 16:16

Com o objetivo de debater as propostas do governo Temer de alteração da Legislação Nacional de Saneamento Básico, a Comissão de Desenvolvimento Urbano (CDU) realiza, nesta terça-feira (07), audiência pública que reunirá parlamentares, especialistas no tema e sociedade civil organizada. A iniciativa é dos deputados Givaldo Vieira (PT-ES), presidente da CDU, e Angelim (PT-AC).

A elaboração e aprovação da Lei Nacional de Saneamento Básico (LNSB), a Lei nº 11.445, de 05 de janeiro de 2007, e a Lei de Consórcios Públicos, de 06 de abril de 2005, mobilizou diversos agentes públicos, privados e da sociedade civil, para construção de um marco legal que considerasse as várias visões sobre a gestão dos serviços de saneamento básico. Esta mobilização teve como apontamento a universalização do saneamento como instrumento de melhoria da qualidade de vida e saúde das pessoas.

A lei nacional definiu, ainda, uma nova conceituação para o saneamento básico: abastecimento de água, esgotamento sanitário, limpeza urbana e o manejo dos resíduos sólidos e o manejo das águas pluviais urbanas e a drenagem, bem como um novo enfoque para a gestão dos serviços, incorporando o planejamento, a regulação, a fiscalização, a participação e o controle social. No entanto, conforme argumenta Givaldo Vieira, o atual governo federal quer editar uma Medida Provisória com propostas que modificam substancialmente a legislação do saneamento.

“Temer pretende alterar a lei por meio de canetada. Ele quer atender aos interesses privados, privatizando a água, enquanto existe uma tendência mundial de reestatização dos serviços de saneamento básico. Pela Comissão, estamos promovendo debates regionais com o apoio da Federação Nacional dos Urbanitários, sindicatos e diversas entidades sobre a privatização do saneamento prevista na contratação de estudos do BNDES em estados brasileiros. Conseguimos fazer o governo desistir desse formato, mas eles agora querem fazê-lo por meio de autoritarismo. Por isso, esta audiência tem extrema importância para questionar o governo sobre a urgência desta MP e alertar a todos sobre a relevância do saneamento público, com qualidade e controle social para o desenvolvimento econômico, social e ambiental do país”, salienta o deputado Givaldo.

Especialistas no tema, como o ex-secretário nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades, Abelardo de Oliveira Filho, um dos convidados para a audiência, asseguram que a maioria das propostas de modificação da lei desfigura completamente vários de seus dispositivos, especialmente do que trata da gestão associada de serviços públicos, e do contrato de programa firmado pelos municípios com as companhias estaduais de saneamento básico.

Além de Abelardo, estão confirmados para o debate: um representante do Ministério das Cidades; o advogado especialista em Saneamento Wladimir Antônio Ribeiro e o representante da Frente Nacional de Saneamento Ambiental Edson Aparecido da Silva.

Interatividade

A atividade terá início às 13h30 da terça (07), no plenário 10 da Câmara dos Deputados, e será interativa. Ou seja, é possível participar já enviando comentários e perguntas para o portal e-Democracia da Câmara dos Deputados, acessando o link: https://edemocracia.camara.leg.br/audiencias/sala/555. Neste espaço, a audiência pública será transmitida ao vivo e os questionamentos mais votados serão respondidos pelos debatedores.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

'Tem boi na linha'

Metendo-se no meio da disputa caseira entre Hartung e Casagrande, Rose de Freitas tem realmente alguma chance?

OPINIÃO
Editorial
As novas roupagens da censura
Os resquícios da ditadura militar ainda assombram a liberdade de expressão no País, estendendo seus tentáculos para o trabalho da imprensa
Eliza Bartolozzi Ferreira
Cada qual no seu lugar
As escolas fazem ciência; as igrejas doutrinação. Projeto Escola Sem Partido é, no mínimo, uma contradição de base do vereador de Vitória, Davi Esmael (PSB)
Erfen Santos
Sugestão Netflix – um filme necessário
Indicado ao Oscar, Strong Island supera a maioria dos documentários, por mesclar a experiência familiar com a crítica social
JR Mignone
A batalha
Não sei se posso dizer, mas ainda hoje me sinto um pouco frustrado com a nossa profissão. Sério!
Roberto Junquilho
Renovar o quê?
Os ''novos'' na política mantêm velhos conceitos e se agarram em grandes corporações empresariais
Bruno Toledo
Estado sem PIEDADE!
As tragédias que se sucedem no Morro da Piedade sintetizam as contradições mais evidentes e brutais do modelo de sociedade e de Estado que estamos mergulhados
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Entre a salada e o vinho
MAIS LIDAS

Produtor rural teme uma tragédia na região da Barragem do Rio Jucu

Sicoob em Cariacica é processado por falta de acessibilidade

As novas roupagens da censura

Ufes sedia seminário do Dia Internacional contra a Tortura