Seculo

 

Herdeiro do legado


04/11/2017 às 19:13
O vice-governador César Colnago vem dizendo aos quatro ventos que é candidato a deputado federal em 2018. Tem até uma fórmula matemática para explicar a filiação do secretário de Agricultura Octaciano Neto ao PSDB. Mas tudo pode ser apenas um blefe e o Palácio Anchieta pode ser o verdadeiro foco do tucano.
 
Daí a estranha interferência da nacional do partido em um caso de filiação, que geralmente é tratado em casa. Melhor para Octaciano que agora conhece os caciques tucanos e tem garantida sua movimentação para 2018. Mais do que agradar à mulher, Vera, que prefere Colnago junto da família no Espírito Santo, o tucano pode estar pavimentando o recebimento da herança do governador Paulo Hartung.
 
As reações dos socialistas na Assembleia Legislativa e a percepção e algumas lideranças do Estado revelam o que as pesquisas secretas do governador já devem ter mostrado. A senadora Rose de Freitas (PMDB) assusta, mas sua movimentação ruidosa não é a única ameaça ao palanque de reeleição de Hartung. As ações discretas de Renato Casagrande (PSB) têm surtido efeito no imaginário do eleitor.
 
A jogada do governador em se lançar a uma disputa nacional, procurando acomodação de vice em um palanque presidencial, fornece a saída à francesa que ele precisa do processo eleitoral do próximo ano, mas não pode deixar o Palácio Anchieta nas mãos dos adversários. Afinal, há muita coisa em jogo.
 
Mais do que qualquer outro aliado, ele reconhece em seu vice a lealdade necessária para que o jogo político continue sendo jogado no Estado com o controle necessário. Mas para isso Colnago precisa passar no teste. A ele foi dada a missão de garantir o controle do PSDB no Estado, evitando que lideranças desalinhadas do Palácio afastem o partido do grupo no próximo ano e, sobretudo, fechando a porta para que a grande ameaça, Sergio Majeski (PSDB), se coloque como um nome ao Senado ou mesmo ao governo no ano que vem.
 
Colnago já mostrou disposição em enfrentar o correligionário. Falou grosso com o deputado na prestação de contas da qual Hartung fugiu, deixando a bomba na mão do vice. Agora o governador tornou a deixar a máquina na mão de se seu aliado para que possa mostrar como usar a força para se conseguir o controle político. Por enquanto, Colnago está indo muito bem.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Facebook
Sem freio

Palestras, CPI, ''showmícios'' e até lançamento de disco. Quem para o casal Magno Malta e Lauriete?

OPINIÃO
Editorial
A Ponte da Discórdia
Terceira Ponte entra novamente no centro dos debates políticos em ano eleitoral. Enquanto isso, a Rodosol continua rindo à toa...
Piero Ruschi
O Governo do ES e seu amor antigo ao desamparo ambiental
Mais um ''Dia Mundial do Meio Ambiente'' se passou. Foi um dia de ''comemoração'' (política)
Gustavo Bastos
Conto surrealista
''virei pasta para entrar mais fácil na pintura de Dalí''
Geraldo Hasse
Caetano dá força a Ciro Gomes
O artista baiano se declara admirador do político cearense candidato a presidente
Roberto Junquilho
A carne mais barata
A população de pessoas em situação de rua aumenta, como sinal de falência da gestão pública
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Entre a salada e o vinho
MAIS LIDAS

Hartung recebe alertas sobre gastos, publicidade e execução de programas em ano eleitoral

Ministério Público acusa superintendente do Ibama/ES de improbidade administrativa

Conto surrealista

Comunidade reforça que base da PM deve ser instalada na parte alta do Morro da Piedade

Sem freio