Seculo

 

MPES oferece nova denúncia contra envolvidos em fraudes no lixo


09/11/2017 às 18:48
O Ministério Público Estadual (MPES) ofereceu uma nova denúncia relacionada à Operação Varredura, que apurou fraudes em contratos de coleta e tratamento de lixo em prefeituras capixabas. Além do empresário Richelmi Neiltzel Milke, dono da RT Empreendimentos e que seria o “mentor” do esquema, outras dez pessoas foram incluídas, entre elas, um secretário, um procurador e outros cinco servidores do município de Ponto Belo. Eles vão responder pelos crimes de fraude em licitação, organização criminosa, falsidade ideológica e peculato.

Segundo as investigações do MPES, o empresário participou de diversos processos licitatórios e contratações diretas nas regiões norte e noroeste do Estado, de forma direcionada e fraudulenta. Para tanto, ele utilizou outras empresas que integravam o mesmo grupo criminoso e obteve ajuda de servidores públicos para realização das fraudes.

Desde a deflagração da operação, no final de agosto, o Ministério Público alega ter recebido a contribuição de vários advogados e testemunhas que têm procurado os promotores para denunciar novos fatos e contribuir para as investigações. O órgão ministerial afirma que a Operação Varredura deve se estender para outros municípios. Já foram cumpridas ordens judiciais nos municípios de São Mateus, Jaguaré, São Gabriel da Palha e Vila Velha – este último por conta da residência de um investigado.

Nesta ação penal, o MPES requereu a prisão preventiva de Richelmi e dos sócios da empresa Qualitar (Edson Antônio Almeida e Luiz Otávio Almeida), que também faria parte do esquema. Também foram denunciados: Tiago Guimarães Teixeira, representante das empresas RT e Qualitar; o secretário de Infraestrutura de Ponte Belo, Claudiele Pereira da Penha; o procurador do Município, Jackson José Kretli; o técnico contábil, Emídio Ferreira de Souza; e os servidores Cassio Canuto de Melo, Aleson Batista de Souza, Silmar Queiroz Silva e Ronaldo Souza Reis.

O MPES também requereu que os cinco servidores públicos envolvidos sejam suspensos do exercício de suas funções e tenham os vencimentos reduzidos em 60% durante o tempo em que durar o processo. Todos os pedidos serão apreciados pelo juízo da comarca de Mucurici, onde tramitam as ações penais relativas à operação policial.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Facebook
Sem freio

Palestras, CPI, ''showmícios'' e até lançamento de disco. Quem para o casal Magno Malta e Lauriete?

OPINIÃO
Editorial
A Ponte da Discórdia
Terceira Ponte entra novamente no centro dos debates políticos em ano eleitoral. Enquanto isso, a Rodosol continua rindo à toa...
Piero Ruschi
O Governo do ES e seu amor antigo ao desamparo ambiental
Mais um ''Dia Mundial do Meio Ambiente'' se passou. Foi um dia de ''comemoração'' (política)
Gustavo Bastos
Conto surrealista
''virei pasta para entrar mais fácil na pintura de Dalí''
Geraldo Hasse
Caetano dá força a Ciro Gomes
O artista baiano se declara admirador do político cearense candidato a presidente
Roberto Junquilho
A carne mais barata
A população de pessoas em situação de rua aumenta, como sinal de falência da gestão pública
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Entre a salada e o vinho
MAIS LIDAS

Hartung recebe alertas sobre gastos, publicidade e execução de programas em ano eleitoral

Ministério Público acusa superintendente do Ibama/ES de improbidade administrativa

Conto surrealista

Comunidade reforça que base da PM deve ser instalada na parte alta do Morro da Piedade

Sem freio