Seculo

 

Lideranças de Cariacica ousam em 2018, pensando em 2020


10/11/2017 às 17:00
Chama atenção dos meios políticos, até com certo nível de descrédito, as movimentações de duas lideranças do município de Cariacica para a eleição do próximo ano. Tanto o deputado estadual Sandro Locutor (Pros) quanto o presidente da Câmara local Cesar Lucas (PV) pretendem disputar a eleição à Câmara Federal. 
 
A disputa estadual é mais fácil tanto para Sandro Locutor, que já tem mandato de deputado e para Lucas, que com a presidência da Câmara tem mais capital político, mas a movimentação à federal aumenta a visibilidade das lideranças, credenciando-as para a disputa municipal.
 
Em um cenário que deve ter o atual deputado federal Helder Salomão (PT), uma liderança com ampla vantagem eleitoral no município buscando a reeleição, a princípio a movimentação dos dois seria inócua. Mas uma análise mais aprofundada do cenário para 2020 mostra que a estratégia pode ser bem eficiente. 
 
O atual prefeito Juninho (PPS) está em seu segundo mandato e termina seu ciclo em 2020. Ele também não vem trabalhando o fortalecimento de uma liderança para a disputa do próximo ano. Até aqui o prefeito não tem se movimentado para fazer um sucessor de seu grupo político para 2020 também o que abre o campo eleitoral. 
 
O adversário de Juninho nas últimas duas eleições, deputado estadual Marcelo Santos (PMDB), pleiteia a vaga de Valci Ferreira no Tribunal de Contas do Estado, que pode ser aberto este ano ou não. Isso vai depender do processo que corre contra o conselheiro afastado na esfera federal tramitar em julgado. Mas se isso acontecer é outra liderança que deixa o cenário político do município abrindo espaço para uma renovação na disputa local.
 
A única dificuldade dessas novas lideranças é tentar evitar que Helder em 2020, dispute a prefeitura. Isso colocaria em xeque o projeto de futuro dessas lideranças que tentam se fortalecer agora. Mas se o deputado federal permanecer na Câmara, o caminho fica livre para uma nova ordem no município. Já que o deputado não consegue transferir votos para aliados, seu capital político é grande, mas pessoal. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Facebook
Sem freio

Palestras, CPI, ''showmícios'' e até lançamento de disco. Quem para o casal Magno Malta e Lauriete?

OPINIÃO
Editorial
A Ponte da Discórdia
Terceira Ponte entra novamente no centro dos debates políticos em ano eleitoral. Enquanto isso, a Rodosol continua rindo à toa...
Piero Ruschi
O Governo do ES e seu amor antigo ao desamparo ambiental
Mais um ''Dia Mundial do Meio Ambiente'' se passou. Foi um dia de ''comemoração'' (política)
Gustavo Bastos
Conto surrealista
''virei pasta para entrar mais fácil na pintura de Dalí''
Geraldo Hasse
Caetano dá força a Ciro Gomes
O artista baiano se declara admirador do político cearense candidato a presidente
Roberto Junquilho
A carne mais barata
A população de pessoas em situação de rua aumenta, como sinal de falência da gestão pública
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Entre a salada e o vinho
MAIS LIDAS

Hartung recebe alertas sobre gastos, publicidade e execução de programas em ano eleitoral

Ministério Público acusa superintendente do Ibama/ES de improbidade administrativa

Conto surrealista

Comunidade reforça que base da PM deve ser instalada na parte alta do Morro da Piedade

Sem freio