Seculo

 

Lideranças de Cariacica ousam em 2018, pensando em 2020


10/11/2017 às 17:00
Chama atenção dos meios políticos, até com certo nível de descrédito, as movimentações de duas lideranças do município de Cariacica para a eleição do próximo ano. Tanto o deputado estadual Sandro Locutor (Pros) quanto o presidente da Câmara local Cesar Lucas (PV) pretendem disputar a eleição à Câmara Federal. 
 
A disputa estadual é mais fácil tanto para Sandro Locutor, que já tem mandato de deputado e para Lucas, que com a presidência da Câmara tem mais capital político, mas a movimentação à federal aumenta a visibilidade das lideranças, credenciando-as para a disputa municipal.
 
Em um cenário que deve ter o atual deputado federal Helder Salomão (PT), uma liderança com ampla vantagem eleitoral no município buscando a reeleição, a princípio a movimentação dos dois seria inócua. Mas uma análise mais aprofundada do cenário para 2020 mostra que a estratégia pode ser bem eficiente. 
 
O atual prefeito Juninho (PPS) está em seu segundo mandato e termina seu ciclo em 2020. Ele também não vem trabalhando o fortalecimento de uma liderança para a disputa do próximo ano. Até aqui o prefeito não tem se movimentado para fazer um sucessor de seu grupo político para 2020 também o que abre o campo eleitoral. 
 
O adversário de Juninho nas últimas duas eleições, deputado estadual Marcelo Santos (PMDB), pleiteia a vaga de Valci Ferreira no Tribunal de Contas do Estado, que pode ser aberto este ano ou não. Isso vai depender do processo que corre contra o conselheiro afastado na esfera federal tramitar em julgado. Mas se isso acontecer é outra liderança que deixa o cenário político do município abrindo espaço para uma renovação na disputa local.
 
A única dificuldade dessas novas lideranças é tentar evitar que Helder em 2020, dispute a prefeitura. Isso colocaria em xeque o projeto de futuro dessas lideranças que tentam se fortalecer agora. Mas se o deputado federal permanecer na Câmara, o caminho fica livre para uma nova ordem no município. Já que o deputado não consegue transferir votos para aliados, seu capital político é grande, mas pessoal. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Alternativas

Com a mudança no tabuleiro eleitoral do Estado, os olhares se voltam para o palanque de Casagrande e pacto com Rose. Governo, Senado...quem vai?

OPINIÃO
Editorial
Castigada seja a hipocrisia!
Ideal, mesmo, seria ver tamanha indignação dos deputados estaduais no debate sobre nudez artística em casos reais de atentado à paciência da sociedade
Geraldo Hasse
Manobras perigosas
Os empresários, que surfaram na onda de Lula, estão assustados com a pororoca de Temer
JR Mignone
Banalização
O carnaval fez com que se desse uma trégua nas informações sobre política no Brasil
Roberto Junquilho
Hora do plano B
Os planos de Hartung e Colnago retornam à estaca zero com a saída de Luiz Paulo do PSDB
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

A arte de pilotar motocicletas – ou com Chico na garupa
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Yes, nós também!
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Saída de Luiz Paulo deve provocar esvaziamento do PSDB no Estado

Operação tartaruga na educação em Linhares tem 90% de adesão

Cadeirante processa plano de saúde e laboratório por atendimento vexatório

Polícia Militar tenta calar cabos e soldados após publicações na internet

Assembleia Legislativa enterra projeto de censura nas artes