Seculo

 

Lideranças de Cariacica ousam em 2018, pensando em 2020


10/11/2017 às 17:00
Chama atenção dos meios políticos, até com certo nível de descrédito, as movimentações de duas lideranças do município de Cariacica para a eleição do próximo ano. Tanto o deputado estadual Sandro Locutor (Pros) quanto o presidente da Câmara local Cesar Lucas (PV) pretendem disputar a eleição à Câmara Federal. 
 
A disputa estadual é mais fácil tanto para Sandro Locutor, que já tem mandato de deputado e para Lucas, que com a presidência da Câmara tem mais capital político, mas a movimentação à federal aumenta a visibilidade das lideranças, credenciando-as para a disputa municipal.
 
Em um cenário que deve ter o atual deputado federal Helder Salomão (PT), uma liderança com ampla vantagem eleitoral no município buscando a reeleição, a princípio a movimentação dos dois seria inócua. Mas uma análise mais aprofundada do cenário para 2020 mostra que a estratégia pode ser bem eficiente. 
 
O atual prefeito Juninho (PPS) está em seu segundo mandato e termina seu ciclo em 2020. Ele também não vem trabalhando o fortalecimento de uma liderança para a disputa do próximo ano. Até aqui o prefeito não tem se movimentado para fazer um sucessor de seu grupo político para 2020 também o que abre o campo eleitoral. 
 
O adversário de Juninho nas últimas duas eleições, deputado estadual Marcelo Santos (PMDB), pleiteia a vaga de Valci Ferreira no Tribunal de Contas do Estado, que pode ser aberto este ano ou não. Isso vai depender do processo que corre contra o conselheiro afastado na esfera federal tramitar em julgado. Mas se isso acontecer é outra liderança que deixa o cenário político do município abrindo espaço para uma renovação na disputa local.
 
A única dificuldade dessas novas lideranças é tentar evitar que Helder em 2020, dispute a prefeitura. Isso colocaria em xeque o projeto de futuro dessas lideranças que tentam se fortalecer agora. Mas se o deputado federal permanecer na Câmara, o caminho fica livre para uma nova ordem no município. Já que o deputado não consegue transferir votos para aliados, seu capital político é grande, mas pessoal. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Mais um 'lote'

Depois de conseguir o controle do PSDB e retomar o do DEM, Hartung se volta para um antigo aliado: o PDT

OPINIÃO
Piero Ruschi
Perseguição à honra de Ruschi
Infelizmente, de nada valeram meus 14 anos de contribuição mediante a minha postura de defender o Museu Mello Leitão, criado por meu pai
Renata Oliveira
Cidadãos ilustres
Assembleia deve tomar cuidado com suas medalhas, pois os homenageados de hoje podem ser os apedrejados de amanhã
Gustavo Bastos
Bancas de jornal
A banca de jornal, hoje, é um mundo que tem tudo
JR Mignone
Rádio bandeira
A trajetória deste segmento de rádio em capitais é grande
Geraldo Hasse
Os golpes se sucedem
Em plena era do GPS, a reforma trabalhista sugere multiplicar os ''chapas''
Caetano Roque
Agora é tarde
Não adianta a bancada fazer discurso a favor do trabalhador se ela votou quase à unanimidade a favor do impeachment
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Fuga do Paraíso
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Mais um 'lote'

Operação da Polícia Federal pune empresa que lançava esgoto in natura no Rio Doce

MPES quer reinclusão do fundador da Imetame em ação de improbidade

PDT realiza convenção estadual em dezembro de olho em 2018

Empresários já pressionam Câmara de Vitória por 'ajustes'