Seculo

 

Votação do rito de tramitação do PDU é marcada por rusga entre Vinícius e Davi


10/11/2017 às 17:05
A votação do rito de tramitação do Plano Diretor Urbano (PDU) de Vitória, nessa quinta-feira (10), na Câmara de Vitória, foi marcada por divergências entre o presidente da Casa, Vinícius Simões (PPS), e o vice-líder do prefeito Luciano Rezende (PPS) e, Davi Esmael (PSB), que, ainda, preside a Comissão de Políticas Urbanas (CPU). O motivo da rusga foi o cronograma de tramitação do PDU. 
 
Insatisfeito, Davi chegou a retirar-se do plenário por alguns minutos. Voltou após apelação dos vereadores. A sessão foi suspensa por 25 minutos para o ajuste de arestas. Após duas horas de debates, os vereadores finalmente aprovaram o precedente regimental do PDU, dispositivo que estabelece o rito de tramitação do projeto.
 
Davi irritou-se com a ameaça à limitação dos poderes da Comissão de Políticas Urbanas na condução do PDU na Casa. Segundo Davi, o precedente regimental apresentado pela Presidência da Casa nessa quinta submetia a proposta aprovada pela CPU em reunião segunda-feira (6) à homologação do próprio presidente.
 
“Qual a razão de se homologar pelo presidente? Queremos diluir os poderes do presidente da Comissão de Políticas Urbanas? Afastando isso, protocolei junto com a proposta de precedente, o cronograma de trabalho. Aí querem agora deixar pra mim a elaboração de um precedente posterior com a homologação do presidente preisdnte. Então, que o apresente o cronograma de trabalho. Se possível for, o presidente seja relator do projeto. Faça tudo”, contestou.
 
Por determinação regimental, o precedente deve ser elaborado pela Presidência, que, então, o enviou para apreciação da CPU na segunda. Os membros da comissão aprovaram ajustes à proposta da Presidência, que, no entanto, foi mais uma vez alterada antes de desembarcar em plenário nessa quinta.
 
Vinicius iniciou a votação com a leitura do texto do precedente regimental. Os termos apresentados desagradaram de imediato o presidente da CPU. “Senhor presidente, estou me retirando”, disse Davi. “Vereador, Davi, por favor, vamos resolver isso aqui”, contornou o líder do prefeito, Leonil Dias (PPS). “Há possibilidade de alteração de alteração do cronograma. Estamos discutindo”, continuou. 
 
Sandro Parrini (PDT) também ajudou a debelar o foco de incêndio. “Acho que a presença dele aqui é importante, torna a aprovação do precedente mais forte”. “Esse precedente valoriza a Comissão de Políticas Urbanas e valoriza a participação popular. É a comissão que reger as audiências públicas, por exemplo”, minimizou Vinícius.
 
A sessão foi suspensa por 25 minutos e, após duas horas de debates, finalmente os vereadores aprovaram o rito de tramitação do PDU. O documento estabelece que os presidentes das comissões pertinentes terão dois dias para a designação de relator. A partir do dia 14 de novembro, abre-se o período para recebimento de emendas, cuja duração será de 30 dias. 
 
Os relatores terão o prazo de 10 dias para darem o parecer sobre as propostas apresentadas. Em seguida, o processo será apreciado nas comissões pertinentes por mais 10 dias e, posteriormente, em plenário, em março. Durante a tramitação, a Câmara de Vitória realizará três audiências públicas no prazo de 35 dias. Ficou estabelecido que o Presidente da Comissão de Políticas Urbanas presidirá as audiências.
 
A comissão realiza nesta segunda-feira (13) uma reunião extraordinária para apresentar à cidade o cronograma de votação do PDU.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Facebook
Sem freio

Palestras, CPI, ''showmícios'' e até lançamento de disco. Quem para o casal Magno Malta e Lauriete?

OPINIÃO
Editorial
A Ponte da Discórdia
Terceira Ponte entra novamente no centro dos debates políticos em ano eleitoral. Enquanto isso, a Rodosol continua rindo à toa...
Piero Ruschi
O Governo do ES e seu amor antigo ao desamparo ambiental
Mais um ''Dia Mundial do Meio Ambiente'' se passou. Foi um dia de ''comemoração'' (política)
Gustavo Bastos
Conto surrealista
''virei pasta para entrar mais fácil na pintura de Dalí''
Geraldo Hasse
Caetano dá força a Ciro Gomes
O artista baiano se declara admirador do político cearense candidato a presidente
Roberto Junquilho
A carne mais barata
A população de pessoas em situação de rua aumenta, como sinal de falência da gestão pública
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Entre a salada e o vinho
MAIS LIDAS

Hartung recebe alertas sobre gastos, publicidade e execução de programas em ano eleitoral

Ministério Público acusa superintendente do Ibama/ES de improbidade administrativa

Conto surrealista

Comunidade reforça que base da PM deve ser instalada na parte alta do Morro da Piedade

Sem freio