Seculo

 

'Fico' de Hartung no PMDB é para conter crescimento de Rose


13/11/2017 às 12:40
O manifesto dos prefeitos do PMDB, divulgado na última sexta-feira (10), pedindo a permanência do governador Paulo Hartung no partido foi visto nos meios políticos como um movimento para barrar o crescimento da senadora Rose de Freitas na corrida pelo Palácio Anchieta, no próximo ano, dentro e fora do partido. 
 
O manifesto dos prefeitos do Estado reforça o discurso que o governador conseguiu emplacar em nível nacional de excelência em gestão e do assédio de outros partidos ao governador para um projeto presidencial. O documento traz a assinatura dos 17 prefeitos do partido, pedindo que o governador permaneça no partido, que está filiado desde 2005. 
 
Para os observadores, o movimento de Hartung deixando transparecer que deixaria o partido, se estende desde o ano passado e ganhou corpo nos últimos meses, quando o govenador estreitou conversas com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Na última segunda-feira (6), em entrevista a Rádio CBN Vitória, o governador voltou a afirmar que deixaria o PMDB, mas não agora. 
 
Dentro do partido, a possibilidade de saída de Hartung fortaleceu a senadora Rose de Freitas, que vem se colocando como candidata ao governo e já mostrou disposição a disputar uma convenção como governador dentro do PMDB. Sem ele no caminho, o partido não teria como não dar a legenda para a senadora disputar o governo. 
 
Além de se fortalecer no PMDB capixaba, a disposição de Rose também anima a nacional, sobretudo com a possibilidade de o partido perder o governador do Espírito Santo. O trânsito da deputada com o governo federal também aumenta seu capital com os prefeitos do Estado e favorece sua articulação eleitoral para o próximo ano. 
 
O crescimento de Rose de Freitas para o processo eleitoral do próximo ano tem sido uma preocupação no Palácio Anchieta. Uma preocupação que fez o governador se movimentar no interior para tentar equilibrar o jogo. Mas o que tem enfraquecido Hartung no processo eleitoral é a constante movimentação para fora do Estado, enquanto Rose busca cada vez mais se aproximar das lideranças locais. 
 
Por isso, o movimento tenta colocar o pé na porta da senadora no PMDB. Deixando a articulação para a troca de partido para o próximo ano, às vésperas do início do processo eleitoral. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Mais um 'lote'

Depois de conseguir o controle do PSDB e retomar o do DEM, Hartung se volta para um antigo aliado: o PDT

OPINIÃO
Piero Ruschi
Perseguição à honra de Ruschi
Infelizmente, de nada valeram meus 14 anos de contribuição mediante a minha postura de defender o Museu Mello Leitão, criado por meu pai
Renata Oliveira
Cidadãos ilustres
Assembleia deve tomar cuidado com suas medalhas, pois os homenageados de hoje podem ser os apedrejados de amanhã
Gustavo Bastos
Bancas de jornal
A banca de jornal, hoje, é um mundo que tem tudo
JR Mignone
Rádio bandeira
A trajetória deste segmento de rádio em capitais é grande
Geraldo Hasse
Os golpes se sucedem
Em plena era do GPS, a reforma trabalhista sugere multiplicar os ''chapas''
Caetano Roque
Agora é tarde
Não adianta a bancada fazer discurso a favor do trabalhador se ela votou quase à unanimidade a favor do impeachment
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Fuga do Paraíso
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Mais um 'lote'

Operação da Polícia Federal pune empresa que lançava esgoto in natura no Rio Doce

MPES quer reinclusão do fundador da Imetame em ação de improbidade

PDT realiza convenção estadual em dezembro de olho em 2018

Empresários já pressionam Câmara de Vitória por 'ajustes'