Seculo

 

Corte irregular de recursos destinados ao Fundema é denunciada aos Ministérios Públicos


13/11/2017 às 16:54

A aprovação de uma Lei Complementar inconstitucional e que pode marcar a extinção do Fundo Estadual do Meio Ambiente (Fundema – originalmente denominado Fundo de Defesa e Desenvolvimento do Meio Ambiente) foi denunciada aos Ministérios Públicos Estadual e Federal (MPES e MPF-ES) pelo deputado estadual Sergio Majeski (PSDB).

Em sua argumentação, o parlamentar alega que a LC 869/17, aprovada na Assembleia Legislativa no último dia 20 de outubro, contraria a Constituição Federal, por limitar irregularmente os recursos destinados ao Fundema, desviando para o caixa do Tesouro Estadual, a maior parte dos recursos provenientes de multas ambientais.

Segundo a LC 869/17, apenas as multas de infrações ambientais recorridas ao Conselho Estadual de Meio Ambiente (Consema) devem alimentar o Fundema. “Assim, caso não haja apresentação de recurso tempestivo a algum desses Conselhos contra decisão de órgão ambiental, os valores a serem recolhidos não serão destinados ao Fundema, mas sim ao caixa único ou mesmo ao Tesouro”, destaca o texto das denúncias encaminhadas ao MPES e MPF/ES.

"Como o Conselho, em grande parte, é formado pelo próprio governo e o que interessa, nesse momento, é engordar o caixa do Tesouro, obviamente, os recursos não serão analisados e irão direto para o Tesouro", complementa o deputado.

Esta irregularidade, frisa Majeski, coloca em risco a existência e manutenção do Fundo, que tem o produto das infrações ambientais como seu principal recurso. Outro agravante é a possibilidade de destinar os valores arrecadados para outros fim, que não a resolução dos problemas ambientais do Estado, que enfrenta situação grave de seca desde 2015.

O parlamentar diz ainda que, antes mesmo da aprovação da Lei Complementar modificando a legislação estadual, essa irregularidade já era cometida. “A aprovação do projeto enviado à Assembleia pelo Executivo, portanto, teve como finalidade regulamentar uma infração à Constituição Federal”, protesta.

De acordo com a legislação, os recursos do Fundema são destinados a dar sustentação à Política Estadual de Meio Ambiente, com a finalidade de apoiar planos, programas e projetos de educação e recuperação ambiental e de preservação das áreas de interesse ecológico.
 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Cara e crachá

Uns publicaram vídeos e notas nas redes sociais, outros só notas, outros nada. Mas a CPI da Lava Jato continua na conta dos deputados arrependidos

OPINIÃO
Editorial
A Ponte da Discórdia
Terceira Ponte entra novamente no centro dos debates políticos em ano eleitoral. Enquanto isso, a Rodosol continua rindo à toa...
Piero Ruschi
O Governo do ES e seu amor antigo ao desamparo ambiental
Mais um ''Dia Mundial do Meio Ambiente'' se passou. Foi um dia de ''comemoração'' (política)
Gustavo Bastos
Conto surrealista
''virei pasta para entrar mais fácil na pintura de Dalí''
Bruno Toledo
Estado sem PIEDADE!
As tragédias que se sucedem no Morro da Piedade sintetizam as contradições mais evidentes e brutais do modelo de sociedade e de Estado que estamos mergulhados
Geraldo Hasse
Mundo velho sem catraca
Cinquenta anos depois, é possível fazer um curso técnico por correspondência via internet
Roberto Junquilho
Hartung, o suspense
O governador Paulo Hartung mantém o suspense e pode até não disputar a reeleição em 2018
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Entre a salada e o vinho
MAIS LIDAS

‘Lutava contra um sistema podre e falido com os braços amarrados. Agora estou livre’

Visita de interlocutores de Hartung a Rodrigo Maia sinaliza mudança de cenário

Juiz Leopoldo mais próximo de ir a Júri Popular por assassinato de Alexandre Martins

Hartung, o suspense

Agenda Cultural: festa do Caboclo Bernardo em Linhares