Seculo

 

Ex-secretário de Saúde de Aracruz vira réu em ação de improbidade


14/11/2017 às 12:34
O juiz da Vara da Fazenda Pública de Aracruz (região litoral norte), Daniel Barrioni de Oliveira, determinou o recebimento de uma ação de improbidade contra o ex-secretário municipal de Saúde, Anderson de Paula Santos Pereira. Ele é acusado pelo Ministério Público Estadual (MPES) de utilizar o celular funcional para fazer campanha política no pleito de 2014. No final de outubro, a Justiça decretou a prisão preventiva de Anderson em outro processo sob a acusação de peculato.

Na decisão publicada nesta terça-feira (14), o magistrado registrou que há fortes indícios de que o então secretário fez uso de bem público em proveito próprio. “Demonstrando a possibilidade de violação às normas pátrias – o que somente em sede de instrução probatória poderá restar definido se tais circunstâncias se enquadram como condutas ímprobas [...] Assim, de acordo com a situação que até o momento se mostra, com indícios de materialidade de ato ímprobo, não tendo como ensejar a improcedência da ação desde já ou, ainda, se vislumbrar a inadequação da via eleita, entendo que a inicial deva ser recebida”, afirmou.

Na ação de improbidade (0005982-22.2016.8.08.0006), o MPES cita que Anderson foi condenado pela Justiça Eleitoral pela utilização do o telefone funcional de propriedade do Município de Aracruz para encaminhar mensagem para disseminar propaganda eleitoral em proveitos dos candidatos a deputado estadual Erick Musso (PMDB) e o federal Marcos Vicente (PP), além do compartilhamento de mensagens em grupos de Whatsapp e em uma página do Facebook. Na fase inicial do processo, a Justiça deferiu liminar para impedir que o então secretário tivesse acesso ou utilizasse qualquer telefone funcional da Prefeitura.

No ano passado, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-ES) acatou a denúncia da Procuradoria Regional Eleitoral no Estado e condenou o ex-secretário ao pagamento de multa no valor de R$ 5.320,50. Naquela ocasião, a Corte enfatizou o desvio de finalidade na utilização do telefone funcional para o emprego com fins políticos, “prática ilícita que prejudica a igualdade de oportunidade entre os candidatos, ao proporcionar indevida vantagem destes sobre os demais concorrentes ao pleito”.

Prisão

O ex-secretário Anderson de Paula foi preso preventivamente no final de outubro pelo crime de peculato (desvio de dinheiro público). Ele é acusado de utilizar mão de obra de servidores da prefeitura de Aracruz para a realização de serviços particulares durante o horário de expediente. Em abril do ano passado, os funcionários teriam realizado a pintura de um imóvel de Anderson. O Tribunal de Justiça negou um pedido de liberdade de Anderson.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Cara e crachá

Uns publicaram vídeos e notas nas redes sociais, outros só notas, outros nada. Mas a CPI da Lava Jato continua na conta dos deputados arrependidos

OPINIÃO
Editorial
A Ponte da Discórdia
Terceira Ponte entra novamente no centro dos debates políticos em ano eleitoral. Enquanto isso, a Rodosol continua rindo à toa...
Piero Ruschi
O Governo do ES e seu amor antigo ao desamparo ambiental
Mais um ''Dia Mundial do Meio Ambiente'' se passou. Foi um dia de ''comemoração'' (política)
Bruno Toledo
Estado sem PIEDADE!
As tragédias que se sucedem no Morro da Piedade sintetizam as contradições mais evidentes e brutais do modelo de sociedade e de Estado que estamos mergulhados
Geraldo Hasse
Mundo velho sem catraca
Cinquenta anos depois, é possível fazer um curso técnico por correspondência via internet
Roberto Junquilho
Hartung, o suspense
O governador Paulo Hartung mantém o suspense e pode até não disputar a reeleição em 2018
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Uma revoada de colibris
MAIS LIDAS

Visita de interlocutores de Hartung a Rodrigo Maia sinaliza mudança de cenário

Juiz Leopoldo mais próximo de ir a Júri Popular por assassinato de Alexandre Martins

Contrato do governo do Estado com a Cetesb sobre poluição do ar continua sigiloso

Hartung, o suspense

LDO será votada na próxima segunda-feira na Assembleia