Seculo

 

'O Cara'


17/11/2017 às 18:54
O governador Paulo Hartung tirou esse restinho de ano para tentar emplacar, de vez, a imagem de político limpo, probo e que não tolera a corrupção. Depois do Carnaval que fez na imprensa local e nacional devido à ida do ex-secretário de Estado de Controle e Transparência, Eugênio Ricas, para a Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado da Polícia Federal, onde estão operações como a Lava Jato, o governo ressuscitou um projeto de lei apresentado à Assembleia em setembro último, que proíbe o recebimento de presentes por servidores estaduais, oferecidos por fornecedores. Estabelece regras para brindes, inclusive com valores máximos, e alega que o objetivo é acabar com os ciclos viciosos de corrupção. Hartung também voltou a repetir, na carona da saída de Ricas, a necessidade de fortalecer os "valores republicanos" e as ações que jogam confete na Secont, pasta vitrine da sua gestão. No caso do projeto, que cria o Código de Conduta e Integridade dos Fornecedores de Bens e de Serviços, e foi elaborado pela própria Secont, é tão "jogar para plateia", que sequer há previsão expressa de exoneração do cargo em caso de descumprimento das regras. Fora a fiscalização...quem irá fazer e como? Depois de um longo e tenebroso inverno, que o deixou na geladeira na imprensa por conta da investigação de suposto caixa dois da Odebrecht, o governador voltou de vez para os holofotes. Não satisfeito com o marketing pesado para provar que é um gestor impecável, se esforça para vender o peixe de político incorruptível e intolerante com qualquer indício de corrupção. Palavra mais em evidência do que essa não há, atualmente, no País. E o governador, sabe como é, não pode ver uma brecha, que logo sobe no palco.
Transição
A propósito, ato publicado no Diário Oficial do Estado nesta sexta-feira (17), designa Zilma Peterli Lyra para assumir a Secont. Atuação no cargo é provisória. Hartung já anunciou o substituto de Ricas, que será o delegado da PF Marcos Paulo Pugnal, lotado na Superintendência do Estado. Para tomar posse, porém, ele precisa aguardar o trâmite do processo de cessão. 
Diferenças
O Amaro Neto (SD), apresentador de TV, está bombando, batendo recorde de audiência no Sudeste e na Grande Vitória. Mas e o Amaro político, deputado estadual, com pretensões ao Senado? 
Topo da pirâmide
Deu no jornal O Dia, nessa quinta-feira (16), que o empresário Sérgio de Castro (PDT), suplente do senador Ricardo Ferraço (PSDB), tem patrimônio avaliado em R$ 6 milhões. Ele fica na cadeira do tucano até março do próximo ano e deve participar da polêmica discussão sobre a reforma da Previdência, pleito da sua área.
Sem data
Por falar nisso, com a licença-férias de Ricardo Ferraço, ficou para 2018, sabe-se lá quando, a discussão sobre a redução da maioridade penal no Senado. Ele é o relator da matéria, que estava pronta para ser analisada. Ruim para o colega de plenário, Magno Malta (PR), que não vê a hora de explorar o assunto - mais um - como bandeira.
Convence?
Depois do filho feio "Fiscaliza Vitória", da gestão de Fabrício Gandini (PPS), a Câmara de Vitória terá agora o "Participa Vitória", do atual presidente e correligionário, Vinícius Simões. Sob o mantra de priorizar a participação popular, o programa não coloca nenhum Doblô nas ruas para fazer figuração, porém, abre um canal de comunicação em portal e aplicativo gratuito em smartphones. É quase igual, mas fala diferente...
Teoria x prática
Aliás, com esse discurso de gestão participativa, os aliados do prefeito Luciano Rezende (PPS) fazem escola. Luciano só fala disso, mas na hora de ser democrático e se propor a dialogar com setores da cidade, perde as estribeiras.
Anteciparam
O deputado estadual Sergio Majeski (PSDB) recebeu várias mensagens de aniversário no seu perfil do Facebook nesta sexta-feira (17).  Agradeceu, mas foi obrigado a informar: a data correta é dia 25/11. 
Nas redes
"Presidente da Câmara [Vinícius Simões] desrespeita o Regimento da Casa, e também o Parecer da Procuradoria, e envia acusação sem nenhuma consistência pro Ministério Público. Agora tem que se explicar perante seus pares e a opinião pública. Eu 'tô' tranquilo, porque fiz minha parte na defesa dos Direitos Humanos, contra a prática do racismo numa escola municipal de Vitória". (Vereador Roberto Martins - PTB - no Facebook).
PENSAMENTO:
“Conta-me o teu passado e saberei o teu futuro”. Confúcio

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Rabiscos eleitorais

Articuladores já fazem suas contas de 2018. Entre os deputados considerados reeleitos, está quase toda bancada do PMDB, incluindo Erick Musso. Mas, antes, terá que colocar um ''bonde'' pra correr

OPINIÃO
Editorial
À oposição, o respeito!
Seja manifestando uma simples opinião ou criticando medidas do próprio legislativo ou do governo, falou em Sergio Majeski, o tiroteio é garantido
Piero Ruschi
Carta de aniversário ao papai
‘Venho lhe desejar um feliz aniversário de 102 anos, o mais feliz possível, diante de todas mazelas que atormentam o Museu que o senhor criou e o meio ambiente que tanto defendeu
Gustavo Bastos
Destino e acaso
''Quanto ao cético do acaso, ele chama destino de delírio e acaso de nada''
Geraldo Hasse
Em defesa da soberania
Manifesto combate o entreguismo, filho dileto do colonialismo neoliberal
Roberto Junquilho
Os pequenos se movem
Para garantir verba do fundo partidário, siglas como o PCdoB têm que apresentar chapa majoritária em 2018. E, no Estado, como fica?
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Quem quer dinheiro?
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Hartung reforça interesse em projeto nacional nas eleições de 2018

Manifesto denuncia ameaças a lideranças mobilizadas contra agrotóxicos em Boa Esperança

Fundação Renova é multada e Samarco/Vale-BHP vira alvo de mais uma ação civil pública

Morre Chico Flores

Trabalhadores encerram Greve em Brasília e Jejum nos estados