Seculo

 

Comando da Polícia Militar instaura inquérito contra presidente da Associação dos Oficiais


24/11/2017 às 17:23
O Comando-Geral da Polícia Militar instaurou um Inquérito Policial Militar (IPM) contra o presidente da Associação dos Oficiais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar do Estado (Assomes), tenente-coronel Rogério Fernandes Lima, indiciando-o por crime militar e transgressão disciplinar por entrevistas e artigos publicados que supostamente contém críticas ao governo do Estado e ao Comando da Polícia Militar.

As entrevistas e artigos aconteceram depois do movimento de familiares e amigos de policiais, ocorrido em fevereiro deste ano, que paralisaram o policiamento no Estado por quase um mês.

O oficial recebeu com surpresa a instauração do IPM, visto que considera que sempre defendeu os direitos dos militares respeitando a hierarquia e a disciplina. “Em nenhum momento houve manifestação desrespeitosa ou ofensa ao comandante geral ou ao governo, apenas a busca pelo diálogo. A liberdade de expressão é um direito constitucional garantido a todos os cidadãos”, conta ele.

O tenente-coronel ressalta que os advogados da Assomes estudam medidas adequadas a serem tomadas no caso.

Ele conta que, por ser presidente de uma associação representativa de policiais militares, acredita no diálogo e na divergência de ideias. “E sempre nesse sentido pautei minha conduta. Tenho plena convicção que não pratiquei qualquer ofensa às autoridades constituídas, pois sempre trilhei minha vida profissional no respeito a hierarquia e na disciplina e como cidadão, no respeito a dignidade humana”, diz o tenente-coronel, completando que seguirá firme nas convicções, acreditando na Justiça do Estado.

O presidente da Assomes também achou estranho o fato de o IPM ter sido direcionado para o promotor de Justiça Cível de Vitória, Marcelo Zenkner – que já foi secretário de Estado de Controle e Transparência. Para ele, mesmo que o promotor seja o natural do caso, a documentação deveria ter sido enviada para a Promotoria de Justiça Cível de Vitória. O envio da documentação diretamente para o promotor, para o oficial, fere o princípio da impessoalidade.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Rabiscos eleitorais

Articuladores já fazem suas contas de 2018. Entre os deputados considerados reeleitos, está quase toda bancada do PMDB, incluindo Erick Musso. Mas, antes, terá que colocar um ''bonde'' pra correr

OPINIÃO
Editorial
À oposição, o respeito!
Seja manifestando uma simples opinião ou criticando medidas do próprio legislativo ou do governo, falou em Sergio Majeski, o tiroteio é garantido
Piero Ruschi
Carta de aniversário ao papai
‘Venho lhe desejar um feliz aniversário de 102 anos, o mais feliz possível, diante de todas mazelas que atormentam o Museu que o senhor criou e o meio ambiente que tanto defendeu
Gustavo Bastos
Destino e acaso
''Quanto ao cético do acaso, ele chama destino de delírio e acaso de nada''
Geraldo Hasse
Em defesa da soberania
Manifesto combate o entreguismo, filho dileto do colonialismo neoliberal
Roberto Junquilho
Os pequenos se movem
Para garantir verba do fundo partidário, siglas como o PCdoB têm que apresentar chapa majoritária em 2018. E, no Estado, como fica?
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Quem quer dinheiro?
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Hartung reforça interesse em projeto nacional nas eleições de 2018

Manifesto denuncia ameaças a lideranças mobilizadas contra agrotóxicos em Boa Esperança

Fundação Renova é multada e Samarco/Vale-BHP vira alvo de mais uma ação civil pública

Morre Chico Flores

Trabalhadores encerram Greve em Brasília e Jejum nos estados