Seculo

 

Theodorico Ferraço pede certidão sobre retirada de assinatura dos destaques


04/12/2017 às 16:27
O deputado Theodorico Ferraço (DEM) apresentou na sessão desta segunda-feira (4) um requerimento à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, pedindo uma certidão sobre a retirada das assinaturas dos deputados Esmael Almeida (PMDB) e Almir Vieira (PRP) do requerimento, de sua autoria, para votação de destaques das emendas rejeitadas pela Comissão de Finanças na semana passada. 
 
Na segunda-feira (27), Ferraço conseguiu as 10 assinaturas necessárias para protocolar o destaque de mais de 120 emendas rejeitadas pela Comissão de Finanças da Casa. O requerimento chegou a ser lido no Expediente da terça-feira (28). O deputado não contava, porém, que dois parlamentares retirariam suas assinaturas no apagar das luzes, inviabilizando a apresentação dos destaques propostos por Ferraço no dia seguinte.
 
Ferraço alegou nesta segunda que a retirada das assinaturas aconteceu às 14h46. Ele alegou que não haveria tempo para serem lidas no Expediente, tampouco haveria tempo hábil para que o deputado proponente substituísse os nomes retirados. 
 
Ferraço afirmou ainda que a retirada foi feita a pedido do governador Paulo Hartung e que vai ingressar na Justiça contra a movimentação. Após afirmar que a manobra foi humilhante, ele disse que os deputados foram cooptados a retirar seus nomes. Ainda criticando o episódio, Ferraço disse que houve o cerceamento do direito do deputado de legislar. 
 
Retiraram as assinaturas do requerimento os deputados Esmael Almeida (PMDB) e Almir Vieira (PRP), que atenderam ao apelo do líder do governo, Rodrigo Coelho (PDT), para que não houvesse votações de destaque. O governo queria que o projeto fosse aprovado sem nenhum retoque.
 
Além de Theodorico, os deputados Sergio Majeski (PSDB), Bruno Lamas (PSB) e Freitas (PSB) reclamaram da articulação palaciana para impedir a discussão dos destaques. Eles não conseguiram reunir as 10 assinaturas necessárias para apresentar os destaques das emendas rejeitadas na Comissão. O pedido de Theodorico Ferraço foi deferido pela Mesa Diretora.
 
O orçamento do Estado para o próximo ano está estimado em R$ 16,8 bilhões. As maiores fatias são destinadas à saúde (R$ 2,5 milhões), educação (R$ 2,2 milhões) e segurança (R$1,9 milhão). Entre os poderes a divisão foi a seguinte: Executivo (R$ 14 bilhões), Legislativo (R$ 191 milhões), Judiciário (R$ 1,1 bilhão), Tribunal de Contas (R$ 148,9 milhões), Ministério Público (R$ 371,4 milhões) e Defensoria Pública (64,3 milhões).

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Mesa aberta

Sergio Majeski não deve definir, agora, seu destino partidário. Mas já tem duas certezas: não fica no PSDB, nem aceita compor numa vice em chapa majoritária

OPINIÃO
Editorial
À oposição, o respeito!
Seja manifestando uma simples opinião ou criticando medidas do próprio legislativo ou do governo, falou em Sergio Majeski, o tiroteio é garantido
Piero Ruschi
Carta de aniversário ao papai
‘Venho lhe desejar um feliz aniversário de 102 anos, o mais feliz possível, diante de todas mazelas que atormentam o Museu que o senhor criou e o meio ambiente que tanto defendeu
Gustavo Bastos
Destino e acaso
''Quanto ao cético do acaso, ele chama destino de delírio e acaso de nada''
Geraldo Hasse
Em defesa da soberania
Manifesto combate o entreguismo, filho dileto do colonialismo neoliberal
Roberto Junquilho
Os pequenos se movem
Para garantir verba do fundo partidário, siglas como o PCdoB têm que apresentar chapa majoritária em 2018. E, no Estado, como fica?
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Quem quer dinheiro?
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Com festa no Palácio Anchieta, governador sanciona lei de socorro aos municípios

Militares do Estado contestam governo Hartung em ADI protocolada no Supremo

Os pequenos se movem

Vereador de Vitória aponta manobra para reduzir R$ 12 milhões da Educação em 2018

Greve vai parar ônibus da Grande Vitória na terça-feira, anuncia sindicato