Seculo

 

'A periferia nunca tem voz e mais uma vez ela foi calada'


05/12/2017 às 10:58
“Fico triste pela periferia. A periferia nunca tem voz e mais uma vez ela foi calada”. A afirmação é do prefeito de São Mateus, no norte do Estado, Daniel da Açaí (PSDB), sobre a cassação de seu mandato pela Justiça Eleitoral. Na noite dessa segunda-feira (4), o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) rejeitou por unanimidade os embargos de declaração do prefeito e manteve a perda de mandato dele e do vice-prefeito Doutor Zé Carlos (PMDB).
 
Assim que o acórdão dos embargos for publicado, Açaí e Zé Carlos deixam os cargos. Assume interinamente o município o presidente da Câmara mateense Carlos Alberto Alves (PSB) até a realização de uma nova eleição na cidade. A defesa de Daniel da Açaí vai tentar recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mas o prefeito não nutri grandes esperanças sobre uma reversão da decisão.
 
“Se aqui no Espírito Santo, que todo mundo conhece a realidade, não foi possível vitória na Justiça, em Brasília, acho muito difícil que consiga. Mas vou lutar até o fim”, disse o prefeito. A defesa de Açaí pretende ingressar com uma ação cautelar para atribuir efeito suspensivo à decisão do Tribunal Regional.
 
Com a decisão, o mercado político do município se movimenta para uma eventual eleição extemporânea. Os principais interessados na nova eleição são os adversários do tucano na disputa de 2016, Carlinhos Lyrio (PSD) e o deputado estadual, Freitas (PSB). Mas os meios políticos locais apostam em uma candidatura do deputado federal, Jorge Silva (PHS), que teria mais musculatura que as outras duas.
 
O principal eleitor desse novo pleito, porém, não parece disposto a apoiar nenhum nome do mercado mateense. Daniel da Açaí tem consciência de seu capital político, mas entende que apoiar alguém seria compartilhar a nova gestão e “se a Justiça mandou eu me afastar, vou ficar afastado”, afirmou.
 
Daniel da Açaí foi denunciado pelo Ministério Público Eleitoral por abuso de poder econômico na eleição de 2016. Ele foi acusado de distribuir água e caixas d’água à população do município durante o processo eleitoral do ano passado. Alguns membros do TRE entenderam que a crise hídrica no município forçou essa situação, mas isso não foi suficiente para convencer o restante da Corte.
 
Na disputa do ano passado, Daniel da Açaí recebeu 30.780 votos (55, 32%), Carlinho Lyrio ficou em segundo com 14.063 votos (25,27%). Já o deputado Freitas recebeu 10.797 votos (19,41%). Desde sua eleição, o prefeito vem tentando mitigar os efeitos da crise hídrica no município, com perfuração de poços artesianos e distribuição de caixas d’água para a população, além de garantir o abastecimento de água potável, sobretudo  nos bairros menos favorecidos de São Mateus.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Apertem os cintos...

Senadora Rose de Freitas, a ‘mãe do aeroporto’, corre o risco de perder o melhor da festa para Paulo Hartung

OPINIÃO
Editorial
Disciplina X Autoritarismo
Hartung tem sido um péssimo exemplo para a tropa da PM no que diz respeito ao cumprimento das leis
Gustavo Bastos
Sobre um pesadelo
“Nos meus oito ou nove anos de idade, eu tinha obsessão pelos diferentes nomes dados ao tinhoso”
Roberto Junquilho
Gestão hi-tech
O prefeito de Vitória, como seguidor da modernidade, agora virou ator de peças publicitárias
Geraldo Hasse
Cuba, Congo e Bolívia
Em livro extraordinário, o jornalista Flávio Tavares exuma o cadáver do mito Che Guevara
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

A arte de pilotar motocicletas – ou com Chico na garupa
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Yes, nós também!
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Prefeitura vende o Saldanha da Gama para a Fecomércio

Amaro Neto fica no Solidariedade e confirma disputa ao Senado

Comunidade vence Hartung: abertas matriculas no ensino médio noturno

Cuba, Congo e Bolívia

O último adeus do Adiós, Me Voy