Seculo

 

Sempre imprevisível


05/12/2017 às 12:21

Os movimentos do deputado estadual Theodorico Ferraço (DEM) não são constantes. Ele já deixou bem claro que suas incompatibilidades com o governador Paulo Hartung (PMDB) são irreconciliáveis, mas a expectativa do mercado político era de que com a aproximação do governador com o filho do deputado, o senador Ricardo Ferraço (PSDB), a situação com o pai ficasse sob controle. Mas não é bem assim.

Agora, Theodorico ameaça inviabilizar a aprovação do Orçamento 2018, por causa da manobra para a retirada de assinaturas de seu requerimento de destaque das emendas rejeitadas pela Comissão de Finanças, a pedido do líder do governo Rodrigo Coelho (PDT) – que adversário políticos em Cachoeiro de Itapemirim, nunca se afinou com Theodorico, diga-se de passagem.

Volta e meia, Ferração surpreende o Palácio Anchieta, deixando o governador em maus lençóis. Em março passado, o deputado apresentou um requerimento no mínimo constrangedor para a Assembleia, pedindo que a Casa encampasse uma briga pela apuração sobre a antecipação de royalties sobre o petróleo.

Em contrato celebrado em 2003 (aditado em 2005), o governo capixaba cedeu à União um crédito referente aos royalties futuros de 62,9 milhões de metros cúbicos de petróleo e 6,2 bilhões de metros cúbicos de gás natural, a ser pago em parcelas mensais. O crédito total foi avaliado em R$ 615,9 milhões e adquirido pelo governo federal por R$ 350,7 milhões. Tudo isso na primeira parte da Era Paulo Hartung.

Fora da Assembleia, Ferraço também causa preocupação. A possibilidade de ele deixar o DEM, juntamente com a mulher, a deputada federal Norma Ayub, tira do controle palaciano os movimentos do deputado. No DEM, de Rodney Miranda, acompanhar as ações do deputado seria mais fácil, fora do partido, não. Ainda mais com a amizade recente, porém profunda, do deputado com o grupo do ex-governador Renato Casagrande (PSB).

Fragmentos:

1 – Hartung esteve em São Paulo para a  reunião do Conselho Superior e Encontro Anual 2017 do Movimento Brasil Competitivo (MBC). Também participaram do encontro o ex-ministro Aldo Rebelo; ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad; e o fundador do Partido Novo, João Amoêdo. Nessa segunda, um dos membros do partido, o pretenso candidato a governador de Minas, Romeu Zema, elogiou o governador.

2 – No encontro, Hartung testou em um evento nacional a nova fase de sua narrativa da excelência. Disse que apesar das leis arcaicas que regem o País, o Espírito Santo tem sido um caso de sucesso. Ele defendeu as reformas e disse que o Estado está preparado para o cenário “pós-crise”.

3 – O roteiro de Hartung para a construção de um discurso nacional teve início com a construção de um cenário de caos, com seu retorno ao governo, encontrando um cofre vazio e uma situação de descontrole econômico, passando pela política de austeridade, que fez o capixaba “comer sal”, e culminando com a total recuperação do Estado, com investimentos sociais. Embora isso seja apenas a construção de uma narrativa política, tem convencido muita gente Brasil afora.

 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Mesa aberta

Sergio Majeski não deve definir, agora, seu destino partidário. Mas já tem duas certezas: não fica no PSDB, nem aceita compor numa vice em chapa majoritária

OPINIÃO
Editorial
À oposição, o respeito!
Seja manifestando uma simples opinião ou criticando medidas do próprio legislativo ou do governo, falou em Sergio Majeski, o tiroteio é garantido
Piero Ruschi
Carta de aniversário ao papai
‘Venho lhe desejar um feliz aniversário de 102 anos, o mais feliz possível, diante de todas mazelas que atormentam o Museu que o senhor criou e o meio ambiente que tanto defendeu
Gustavo Bastos
Destino e acaso
''Quanto ao cético do acaso, ele chama destino de delírio e acaso de nada''
Geraldo Hasse
Em defesa da soberania
Manifesto combate o entreguismo, filho dileto do colonialismo neoliberal
Roberto Junquilho
Os pequenos se movem
Para garantir verba do fundo partidário, siglas como o PCdoB têm que apresentar chapa majoritária em 2018. E, no Estado, como fica?
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Quem quer dinheiro?
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Com festa no Palácio Anchieta, governador sanciona lei de socorro aos municípios

Militares do Estado contestam governo Hartung em ADI protocolada no Supremo

Os pequenos se movem

Vereador de Vitória aponta manobra para reduzir R$ 12 milhões da Educação em 2018

Greve vai parar ônibus da Grande Vitória na terça-feira, anuncia sindicato