Seculo

 

Sindicatos fazem ação no aeroporto contra a Reforma da Previdência


05/12/2017 às 13:52
Representantes de sindicatos que compõem o Fórum das Entidades dos Servidores Públicos do Estado (Fespes) fizeram um ato público na manhã desta terça-feira (5) contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016, a Reforma da Previdência, que deve ser votada nesta semana na Câmara dos Deputados. O ato aconteceu no Aeroporto de Vitória, com a abordagem dos parlamentares que embarcaram para Brasília.

Os participantes cobraram que os representantes da bancada capixaba votem pela não aprovação da proposta. Foram abordados  os senadores Magno Malta (PR) e o suplente de Ricardo Ferraço (PSDB), Sérgio Rogério de Castro (PDT), além dos deputados Evair de Melo (PV) e Jorge Silva (PHS). Entretanto, nenhum deles quis falar com os manifestantes.

Participaram do ato representantes e associados do Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual do Espírito Santo (Sindifiscal-ES), Sindicato dos Servidores Públicos do Estado (Sindipúblicos-ES), Sindicato dos Servidores do Judiciário do Estado (Sindijudiciários-ES) e Sindicato dos Jornalistas do Estado (Sindijornalistas-ES).

Virtualmente, a maioria da bancada capixaba é contra a reforma. Um levantamento publicado na última sexta-feira (1), pela Folha de S. Paulo, aponta que, dos dez deputados federais pelo Espírito Santo, seis votarão contra a Reforma da Previdência: Givaldo Vieira e Helder Salomão, do PT; e Norma Ayub (DEM), Carlos Manato (SD), Paulo Foletto (PSB) e Sérgio Vidigal (PDT). O deputado Lelo Coimbra (PMDB), líder da maioria de Michel Temer na Câmara, vai votar a favor da proposta, já o deputado Marcus Vicente (PP) disse à reportagem da Folha que está indeciso. O deputado Evair de Melo (PV) não quis responder à pergunta e o deputado Jorge Silva (PHS) não foi encontrado pela reportagem da Folha.

Ao ser procurado por Século Diário, o deputado Jorge Silva afirmou, na ocasião, que está estudando o último relatório e ouvindo a base. Só depois vai se posicionar, além de ouvir antes a orientação do partido.
 
 
 
 
  

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Mesa aberta

Sergio Majeski não deve definir, agora, seu destino partidário. Mas já tem duas certezas: não fica no PSDB, nem aceita compor numa vice em chapa majoritária

OPINIÃO
Editorial
À oposição, o respeito!
Seja manifestando uma simples opinião ou criticando medidas do próprio legislativo ou do governo, falou em Sergio Majeski, o tiroteio é garantido
Piero Ruschi
Carta de aniversário ao papai
‘Venho lhe desejar um feliz aniversário de 102 anos, o mais feliz possível, diante de todas mazelas que atormentam o Museu que o senhor criou e o meio ambiente que tanto defendeu
Gustavo Bastos
Destino e acaso
''Quanto ao cético do acaso, ele chama destino de delírio e acaso de nada''
Geraldo Hasse
Em defesa da soberania
Manifesto combate o entreguismo, filho dileto do colonialismo neoliberal
Roberto Junquilho
Os pequenos se movem
Para garantir verba do fundo partidário, siglas como o PCdoB têm que apresentar chapa majoritária em 2018. E, no Estado, como fica?
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Quem quer dinheiro?
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Com festa no Palácio Anchieta, governador sanciona lei de socorro aos municípios

Militares do Estado contestam governo Hartung em ADI protocolada no Supremo

Os pequenos se movem

Vereador de Vitória aponta manobra para reduzir R$ 12 milhões da Educação em 2018

Greve vai parar ônibus da Grande Vitória na terça-feira, anuncia sindicato