Seculo

 

Muito barulho por nada


06/12/2017 às 17:35
Há três meses e meio, o mercado político parou para acompanhar o movimento encabeçado por 19 deputados estaduais de manifestação de apoio à candidatura ao Senado do colega de plenário, Amaro Neto (SD), na disputa do próximo ano. O anúncio ocorreu após almoço com a imprensa e a divulgação de uma carta, elencando os motivos do grupo. O lançamento da candidatura, com bastante antecedência do pleito, tinha como estratégia iniciar uma espécie de caravana pelo Estado. Ao lado de Amaro, o grupo circularia pelas bases eleitorais, pavimentando o caminho até a eleição. Desta forma, o próprio legislativo se cacifaria no processo, bem como os deputados, que tentarão a reeleição. Até hoje, porém, absolutamente nada disso aconteceu. Nem logo após o barulho em torno de Amaro, muito menos depois. Difícil, inclusive, achar quem ainda toque nesse assunto. Que fim levou aquele barulho todo, afinal?
Tudo igual
Por outro lado, o que se vê é uma adesão crescente ao projeto eleitoral do governador Paulo Hartung. O próprio presidente da Assembleia, Erick Musso (PMDB), que era um dos principais entusiastas do movimento de apoio a Amaro, é cotado a assumir o comando do PV e colocá-lo nas mãos do governador, como informou A Tribuna nesta quarta-feira (6). O partido era um dos únicos a não sofrer influência palaciana no Estado.
Registrado
Nomes que assinaram a carta: além de Erick, Marcelo Santos, Luzia Toledo, Gildevan Fernandes e José Esmeraldo, todos do PMDB; Raquel Lessa (SD), Rodrigo Coelho (PDT), Janete de Sá (PMN), Dary Pagung (PRP), Enivaldo dos Anjos (PSD), Jamir Malini (PP), Marcos Mansur (PSDB), Rafael Favato (PEN), Gilsinho Lopes (PR), Sandro Locutor (Pros), Eliana Dadalto (PTC), Hudson Leal (Podemos) e os petistas Nunes e Padre Honório. Cadê caravana? Cadê Amaro?
Corda toda
Conhecido articulador político dos períodos dos mandatos anteriores de Hartung, a ponto de até cogitar a se arriscar em disputa eleitoral, Tião Barbosa há um bom tempo trocou a área pública pela privada. Hoje, como circula no mercado econômico, é um nome forte do Grupo Águia Branca. Comanda as publicidades da empresa e costuma ter voz ativa com a diretoria.
Corda toda II
Não por acaso, Tião chegou a aparecer como gerenciador da crise da ECO 101 na Assembleia. A Águia Branca - Rio Novo Participações Ltda e a MMF Empreendimentos e Participações é um braço (24%) do Consórcio Centauros Participações LTDA, que controla 27,5% da concessionária que administra o trecho capixaba da BR-101. 
Bolada
Por falar em publicidade, Hartung só não dinheiro para investir em política social e valorizar o funcionalismo público. As promoções de página inteira no Valor Econômico falam por si só. Nessa terça-feira (5), colocou mais uma dessa ao jornal de grande circulação nacional, com o título: "Espírito Santo: o Estado que cuida das pessoas", assinada pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento. Imagina quanto custou...
Cobras e lagartos 
Que Janete de Sá e o deputado Sergio Majeski (PSDB) não se bicam, todo mundo sabe. Mas julgar os projetos do colega, antes mesmo de analisá-los, é demais! Na sessão desta quarta-feira (6), o tucano afirmou que a pauta estava limpa porque as propostas estavam se acumulando nas comissões e citou que apenas ele tem 22 proposições paradas na de Justiça, da qual a deputada faz parte. Ela alegou que o colegiado fica abarrotado por causa desses projetos "cobra d' água". 
Cobras e lagartos II
Majeski retornou ao microfone para dizer que, independentemente da relevância, é obrigação da comissão analisar todas as matérias (num, é?). O problema é que os deputados julgam inconstitucionais o que o governo determina, ainda mais, se a autoria for daqueles que não são do "sim, senhor" a Hartung. 
Escanteio
A polêmica envolvendo Bruno Lamas (PSB) e o líder do governo, Roberto Coelho (PDT), sobre a PEC da gratuidade no transporte intermunicipal, mostra que Majeski tem razão. Embora Lamas tenha projeto sobre o tema, foi ignorado pelo governo na atual proposta que tramita na Casa e que estende o benefício para o interior.
Faça o que eu falo...
E por falar em "cobra d'água", está na mesma Comissão de Justiça o projeto que confere ao município de São Roque do Canaã o título de "Capital Estadual Da Cachaça". A matéria é de autoria de Janete de Sá.
Até tu?
Não há dúvida de que o deputado Hércules Silveira (PMDB) é mais do que governista, mas quando mexe em sua base, a história muda. Ele reclamou em plenário sobre a situação da Barra do Jucu, em Vila Velha. O anúncio do governo de que irá recuperar a Ponte da Madalena, que desabou, não foi suficiente para Hércules. A Barra, segundo o deputado, precisa de delimitação da área da reserva, saneamento básico e respeito. 
Fácil, fácil
A deputada estadual Luzia Toledo (PMDB) quase não conseguiu, na sessão desta quarta, pronunciar o nome do convidado para falar sobre Síndrome de Down, Prof. Dr. Zan Mustacchi. E depois saiu-se com essa: "É um nome muito conhecido". 
Nas redes
"O PL da censura [a exposições artísticas] voltou do governo com veto. Temos que nos mobilizar contra a derrubada do veto pela Ales. Eu que nunca imaginei que ia ter de defender uma medida de Hartung!". (Advogado André Moreira - Psol - no Facebook).
PENSAMENTO:
"Aquele que mais estima o ouro do que a virtude, há de perder a ambos". Confúcio
 
(Colaborou Renata Oliveira)

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

'Tem boi na linha'

Metendo-se no meio da disputa caseira entre Hartung e Casagrande, Rose de Freitas tem realmente alguma chance?

OPINIÃO
Editorial
As novas roupagens da censura
Os resquícios da ditadura militar ainda assombram a liberdade de expressão no País, estendendo seus tentáculos para o trabalho da imprensa
Eliza Bartolozzi Ferreira
Cada qual no seu lugar
As escolas fazem ciência; as igrejas doutrinação. Projeto Escola Sem Partido é, no mínimo, uma contradição de base do vereador de Vitória, Davi Esmael (PSB)
Erfen Santos
Sugestão Netflix – um filme necessário
Indicado ao Oscar, Strong Island supera a maioria dos documentários, por mesclar a experiência familiar com a crítica social
JR Mignone
A batalha
Não sei se posso dizer, mas ainda hoje me sinto um pouco frustrado com a nossa profissão. Sério!
Roberto Junquilho
Renovar o quê?
Os ''novos'' na política mantêm velhos conceitos e se agarram em grandes corporações empresariais
Bruno Toledo
Estado sem PIEDADE!
As tragédias que se sucedem no Morro da Piedade sintetizam as contradições mais evidentes e brutais do modelo de sociedade e de Estado que estamos mergulhados
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Entre a salada e o vinho
MAIS LIDAS

Produtor rural teme uma tragédia na região da Barragem do Rio Jucu

Sicoob em Cariacica é processado por falta de acessibilidade

As novas roupagens da censura

Ufes sedia seminário do Dia Internacional contra a Tortura