Seculo

 

Associação alerta para defasagem de servidores no Incaper


07/12/2017 às 17:32
Com um quadro atual de cerca de 600 funcionários, o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) deve diminuir seu efetivo para 500 em 2018. Os dados são do presidente da Associação dos Servidores do Incaper (Assin), Edgar Antônio Formentini, que usou o Grande Expediente da sessão ordinária dessa quarta-feira (6) para falar da situação do instituto. Ele foi indicado pelo deputado Padre Honório (PT). 
 
De acordo com Formentini, o quadro ideal para atuar em todas as regiões do Estado seria de 900 funcionários, o que preocupa, já que no próximo ano cerca de 100 servidores devem se aposentar. “Conclamamos os deputados para entrarem com a gente nessa luta para que possamos reverter essa situação”, afirmou.
 
O presidente da associação informou que cerca de 70 mil agricultores ainda não conseguem ter o acesso ideal à assistência técnica oferecida pelo instituto, por conta da defasagem no efetivo. Ele também chamou a atenção para a situação salarial dos servidores. “Estamos numa situação delicada, nosso plano de saúde subiu 80% e os nossos salários estão congelados há quatro anos”, disse.
 
Formentini solicitou um investimento forte em crédito e extensão rural para evitar o que ele chama de “sucessão rural”, que é a saída do campo dos filhos de agricultores familiares para a cidade atrás de oportunidades, com a escassez de oferta de trabalho. “Se isso acontecer vamos observar uma queda brusca na oferta de alimentos, já que 70% da comida que se consome no Espírito Santo vem da agricultura familiar”, finalizou.
 
No mês passado, o Incaper completou 61 anos e os servidores lançaram uma campanha de valorização da categoria. Eles denunciam sucateamento, reflexo da política de cortes lineares proposta pelo governador Paulo Hartung (PMDB).

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

Até tu?

A situação está tão difícil, que PH almejou fazer uma dobradinha com os senadores Magno Malta e Ricardo Ferraço

OPINIÃO
Editorial
Quem paga a conta senta na cabeceira?
O financiamento pela Arcelor de uma pesquisa da Ufes de R$ 2 milhões acende o alerta sobre a autonomia universitária e a transparência nos acordos entre academia e capital privado
JR Mignone
Uma análise
Algumas emissoras, aquelas que detêm alguma ou boa audiência, dedicam-se pouco à situação do país
Roberto Junquilho
A montagem da cena
Em baixa junto aos prefeitos da Grande Vitória, Hartung dispara para o interior do Estado
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

A festa do chá
MAIS LIDAS

Advogados questionam gestão de Homero Mafra à frente da OAB no Estado

Sem ração devido à greve de caminhoneiros, avicultores doam 100 mil frangos e 360 mil ovos em Vitória

O livro

Justiça questiona legalidade da contratação de comissionados para gestão de obras milionária

Campeonato de Lançamento de Guimbas ironiza tolerância com a poluição do ar