Seculo

 

Associação alerta para defasagem de servidores no Incaper


07/12/2017 às 17:32
Com um quadro atual de cerca de 600 funcionários, o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) deve diminuir seu efetivo para 500 em 2018. Os dados são do presidente da Associação dos Servidores do Incaper (Assin), Edgar Antônio Formentini, que usou o Grande Expediente da sessão ordinária dessa quarta-feira (6) para falar da situação do instituto. Ele foi indicado pelo deputado Padre Honório (PT). 
 
De acordo com Formentini, o quadro ideal para atuar em todas as regiões do Estado seria de 900 funcionários, o que preocupa, já que no próximo ano cerca de 100 servidores devem se aposentar. “Conclamamos os deputados para entrarem com a gente nessa luta para que possamos reverter essa situação”, afirmou.
 
O presidente da associação informou que cerca de 70 mil agricultores ainda não conseguem ter o acesso ideal à assistência técnica oferecida pelo instituto, por conta da defasagem no efetivo. Ele também chamou a atenção para a situação salarial dos servidores. “Estamos numa situação delicada, nosso plano de saúde subiu 80% e os nossos salários estão congelados há quatro anos”, disse.
 
Formentini solicitou um investimento forte em crédito e extensão rural para evitar o que ele chama de “sucessão rural”, que é a saída do campo dos filhos de agricultores familiares para a cidade atrás de oportunidades, com a escassez de oferta de trabalho. “Se isso acontecer vamos observar uma queda brusca na oferta de alimentos, já que 70% da comida que se consome no Espírito Santo vem da agricultura familiar”, finalizou.
 
No mês passado, o Incaper completou 61 anos e os servidores lançaram uma campanha de valorização da categoria. Eles denunciam sucateamento, reflexo da política de cortes lineares proposta pelo governador Paulo Hartung (PMDB).

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Mesa aberta

Sergio Majeski não deve definir, agora, seu destino partidário. Mas já tem duas certezas: não fica no PSDB, nem aceita compor numa vice em chapa majoritária

OPINIÃO
Editorial
À oposição, o respeito!
Seja manifestando uma simples opinião ou criticando medidas do próprio legislativo ou do governo, falou em Sergio Majeski, o tiroteio é garantido
Piero Ruschi
Carta de aniversário ao papai
‘Venho lhe desejar um feliz aniversário de 102 anos, o mais feliz possível, diante de todas mazelas que atormentam o Museu que o senhor criou e o meio ambiente que tanto defendeu
Gustavo Bastos
Destino e acaso
''Quanto ao cético do acaso, ele chama destino de delírio e acaso de nada''
Geraldo Hasse
Em defesa da soberania
Manifesto combate o entreguismo, filho dileto do colonialismo neoliberal
Roberto Junquilho
Os pequenos se movem
Para garantir verba do fundo partidário, siglas como o PCdoB têm que apresentar chapa majoritária em 2018. E, no Estado, como fica?
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Quem quer dinheiro?
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Com festa no Palácio Anchieta, governador sanciona lei de socorro aos municípios

Militares do Estado contestam governo Hartung em ADI protocolada no Supremo

Os pequenos se movem

Vereador de Vitória aponta manobra para reduzir R$ 12 milhões da Educação em 2018

Greve vai parar ônibus da Grande Vitória na terça-feira, anuncia sindicato