Seculo

 

Gazeta AM 34


12/12/2017 às 13:26
Outro dia lemos matéria em A Gazeta dos 34 anos de um dos seus veículos mais antigos, a Gazeta AM (quando irá migrar para o FM?). Pode-se definir essa emissora em três fases distintas nesses 34 anos de comunicação. 
Quando foi ao ar pela primeira vez, estreava com uma equipe de grandes nomes, mas pecava na programação e no próprio conteúdo. Começava totalmente equivocada em sua programação. A diretoria da rede logo percebeu e tratou de mudar tudo isso, imediatamente.
A sua segunda fase deu certo. Foi a fase que teve Jairo Maia como o baluarte de sua programação. Logo começou a ser líder de audiência e ficou assim por muitos anos, isto é, enquanto Jairo Maia esteve por lá. É inegável também o desempenho de Aloísio Ovelha. Neste período teve sempre uma orientação coordenativa altamente profissional. Fez sua maior pareceria com a Rádio Globo, quando retransmitiu o futebol com José Carlos Araújo. Audiência grande.
A sua terceira fase, a atual, esbarra em muitos obstáculos, inerentes à própria emissora. Primeiro Jairo Maia teve que sair, e por último, o afastamento prematuro do comunicador Aloísio Ovelha, por motivo de saúde. Embora disponha de alguns bons profissionais, não sabe se voltará a ser o que era.
A sua nova programação não tem nada de novo, apenas a dupla de profissionais Thelma Rocha e Jô de Souza, segurando quase toda a programação vespertina. 
Até agora a Gazeta AM não tinha concorrência direta. Hoje a Rádio ES, a estatal, vem crescendo com sua programação, conduzida justamente por ex-funcionários da própria Gazeta. É assim, sempre tem um dia após o outro.
PARABÓLICAS
A Rede Vitória não fala muito da sua AM640 (tradição em frequência). Ela retransmite a A Jovem Pan News. Será que a audiência está baixa?
Jose Sardinha e sua equipe cuidam (com muito zelo) de um dos melhores transmissores do mundo, o Harris, da Rádio Capixaba.
O radialista Giovani Gomes, hoje um grande “promoteur”,  profissionalizou o mercado de divulgação no Estado. 
Vem chegando o Natal e vamos lembrando de Heckel Loureiro, que se vestia do bom velhinho, e a gente ia para a Playmen.
MENSAGEM FINAL
"Não viva para que a sua presença seja notada, mas para que a sua falta seja sentida". Bob Marley

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

Crônica de uma eleição

Vagões do trem do governador Paulo Hartung estão acima da capacidade da locomotiva. Haja peso para carregar...

OPINIÃO
Editorial
Futuro interrompido
Onde estão os promotores, delegados, políticos e demais agentes públicos para berrarem em defesa da infância? Mortes no Heimaba são alarmantes e inadmissíveis!
JR Mignone
Nova rádio
Tudo modificado, tudo moderno na Rádio Globo
Roberto Junquilho
Para onde ir?
A crítica vazia e sem fundamento à classe política coloca em risco a democracia
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Arrogância também conta?
MAIS LIDAS

Flic-ES: 'As livrarias não vendem obras capixabas'

'Pensar a educação como a preparação do corpo para sentir, aprender e sonhar'

Vitória já poderia ter identificado as fontes de emissão de pó preto

Webdoc Corpo Flor reflete sobre negritude e sexualidade