Seculo

 

Vereador de Vitória aponta manobra para reduzir R$ 12 milhões da Educação em 2018


15/12/2017 às 15:49
A Prefeitura de Vitória manobrou para que o Orçamento Municipal de 2018, aprovado nessa quinta-feira (14) pela Câmara de Vereadores, não fosse discutido detalhadamente, a fim de receber emendas. O vereador Roberto Martins (PTB) criticou esse procedimento antes da votação da matéria, que prevê um corte de R$ 12 milhões para a Educação em 2018.
Segundo o vereador, um dos únicos dois votos contrários à aprovação da matéria - o outro foi Max da Mata (PSD) -, a Comissão de Finanças, presidida pelo vereador Deninho Silva (PPS), marcou uma reunião extraordinária na quarta-feira, véspera da sessão plenária, em horário impróprio, quando os computadores da Câmara já estavam inclusive desligados, dificultando sua participação.
 
Ele apresentou, ao todo, 13 emendas, 12 delas para remanejar recursos para a área da Educação. Todas foram rejeitadas pelos vereadores presentes na Comissão, além do presidente, Waguinho Ito (PPS) e Wanderson Marinho (PSC).
 
Uma delas estabelecia um redirecionamento de R$ 2.293,16 da Câmara, destinados à remuneração de pessoal comissionado, para a Secretaria de Educação. Esses recursos seriam aplicados na melhoria da remuneração de professores e na construção, reforma e ampliação de unidades educacionais do município.
 
O remanejamento seria viabilizado por meio da redução da verba de gabinete de R$ 34 mil para R$ 30 mil, da extinção de cinco cargos comissionados em cada gabinete, e ainda de 15 cargos comissionados da estrutura administrativa padrão PC-T, que passariam para 15.
 
Roberto Martins criticou a falta de um debate mais amplo para a aprovação da Lei Orçamentária de 2018. “O plenário da Câmara, infelizmente, só fez carimbar a mensagem do Executivo”, lamentou o vereador.
 
Martins, por sua postura crítica no plenário da Câmara, tem sido alvo de retaliações do prefeito, por meio do presidente da Câmara e correlionário, Vinícius Simões. Luciano Rezente tem a ampla maioria do legislativo municipal.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Leonardo Duarte/Secom
Uma coisa só

Enquanto no campo nacional PRB e MDB ainda estão em fase de namoro, no Estado o partido já é um “puxadinho” de Hartung. E tudo começou com Roberto Carneiro...

OPINIÃO
Editorial
MPES omisso
Ministério Público decidiu não participar das audiências de custódia. Um dos prejuízos: denúncias contra tortura, comumente relatada por presos
Bruno Toledo
Por que negar os Direitos Humanos?
Não há nada de novo nesse discurso verde e amarelo que toma as ruas. É a simples manutenção das bases oligárquicas do Brasil
Eliza Bartolozzi Ferreira
Políticas de retrocesso
Dados educacionais do governo Paulo Hartung são alarmantes
JR Mignone
Enganosos
Fazendo uma comparação corajosa e dispersa, tanto as eleições do Brasil quanto a Copa do Mundo terão muita surpresas e varias decepções
Geraldo Hasse
Vampirismo neoliberal
O governo oferece refrescos aos trabalhadores enquanto suga seu sangue
Roberto Junquilho
Quem governa?
Um novo porto na região de Aracruz demonstra que, para as corporações, as minorias não importam
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Uh, Houston, temos um problem
MAIS LIDAS

Sindicato protocola denúncias contra Sesa por contratação de Organizações Sociais

Corrida ao Senado sinaliza mudança na bancada capixaba

Quem governa?

Vampirismo neoliberal

Greve dos professores de Vitória continua por tempo indeterminado