Seculo

 

Academias empregam falsos professores de educação física no Estado


05/01/2018 às 14:30
Sessenta e cinco falsos profissionais estão orientando atividades de Educação Física em academias e outros estabelecimentos no Espírito Santo.  As irregularidades não param ai: 143 casos de estabelecimentos fora do regulamento foram registrados em 25 municípios capixabas. 
 
A denúncia, feita nesta sexta-feira (5),  é do Conselho Regional de Educação Física da 1ª Região (CREF1), que cobre o Espirito Santo e o Rio de Janeiro.
 
As diligências do Conselho Regional de Educação Física no Espírito Santo foram realizadas de janeiro a dezembro de 2017.  O conselho aponta que do total de casos de exercício ilegal, 32  foi em musculação,  seguido por treino de condicionamento físico, com dez casos e ginástica, com sete falsos professores em atuação.
 
O CREF1 não aponta os estabelecimentos onde foram constatadas as irregularidades. Mas informa que a Serra foi o município com maior número de acontecimentos, com 15 flagrantes, seguido por Vila Velha, com nove, e Vitória, com oito irregularidades.
 
Dos casos registrados na Serra, dez foram em musculação, dois em condicionamento físico, dois em ginástica e um  em condicionamento aeróbio.
 
Em Vila Velha, três falsos profissionais atuavam em musculação, dois em condicionamento físico, dois em condicionamento aeróbio, um em alongamento e um em natação.
 
No município de Vitória, foram comprovados dois  casos de falsos professores na musculação. Foram registradas casos de treinadores com atuação irregular em  vôlei, futebol, circuito, ginástica, tênis e condicionamento aeróbio, um em cada.
 
“No município de Cariacica, os fiscais flagraram cinco  leigos na musculação e um em natação. As cidades de São Mateus e Cachoeiro de Itapemirim registraram quatro  casos cada”, diz o conselho. As ocorrências de professores ilegais foram em musculação e ginástica.
 
Em Guarapari foram constatados exercícios ilegais de professores em futebol, ginástica e condicionamento físico. Também com três irregularidades,  Colatina tinha professores ilegais em musculação, com dois casos, e condicionamento físico.
 
Em Mucurici, as irregularidades foram constatadas em musculação, com dois casos e ginástica rítmica. Os municípios de Santa Teresa, São Gabriel da Palha e Linhares tiveram duas ocorrências, uma delas em tênis.
 
Um caso de irregularidade, cada, foi registrado em Aracruz, Montanha, Mimoso do Sul e Alegre. 
 
Além dos casos de exercício ilegal, o CREF1 também constatou irregularidades em estabelecimentos do Estado. Entre eles, 78 não possuíam registro de pessoa jurídica e nem responsável técnico nomeado junto ao CREF1; 36 salas estavam desprovidas de profissionais; e 29 profissionais atuavam fora de sua área de habilitação.
 
O conselho informa que “todos os casos de exercício ilegal foram encaminhados ao Ministério Público e os estabelecimentos irregulares estão com processos em andamento no Departamento Jurídico do Conselho”.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Leonardo Duarte/Secom
Uma coisa só

Enquanto no campo nacional PRB e MDB ainda estão em fase de namoro, no Estado o partido já é um “puxadinho” de Hartung. E tudo começou com Roberto Carneiro...

OPINIÃO
Editorial
MPES omisso
Ministério Público decidiu não participar das audiências de custódia. Um dos prejuízos: denúncias contra tortura, comumente relatada por presos
Bruno Toledo
Por que negar os Direitos Humanos?
Não há nada de novo nesse discurso verde e amarelo que toma as ruas. É a simples manutenção das bases oligárquicas do Brasil
Eliza Bartolozzi Ferreira
Políticas de retrocesso
Dados educacionais do governo Paulo Hartung são alarmantes
JR Mignone
Enganosos
Fazendo uma comparação corajosa e dispersa, tanto as eleições do Brasil quanto a Copa do Mundo terão muita surpresas e varias decepções
Geraldo Hasse
Vampirismo neoliberal
O governo oferece refrescos aos trabalhadores enquanto suga seu sangue
Roberto Junquilho
Quem governa?
Um novo porto na região de Aracruz demonstra que, para as corporações, as minorias não importam
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Uh, Houston, temos um problem
MAIS LIDAS

Sindicato protocola denúncias contra Sesa por contratação de Organizações Sociais

Corrida ao Senado sinaliza mudança na bancada capixaba

Quem governa?

Vampirismo neoliberal

Greve dos professores de Vitória continua por tempo indeterminado