Seculo

 

Policial acusado de matar médica responde agora a processo administrativo


05/01/2018 às 15:20
O policial civil Hilário Antonio Fiorot Frasson, apontado como mandante da morte de sua ex-mulher, a médica Milena Gottardi, em setembro do ano passado, em Vitória, responde agora a processo administrativo disciplinar.
A médica Milena Gottardi, foi baleada na cabeça quando saía do trabalho, no estacionamento do Hospital das Clínicas (Hucam). Após ser socorrida em estado gravíssimo e passar quase um dia internada, teve a morte cerebral confirmada.
 
O crime teve repercussão nacional por sua barbárie. Uma semana depois, o ex-marido da médica, o policial civil Hilário Frasson, foi preso acusado de ser o mandante do crime. Também foi preso o pai do policial, Esperidião Frasson, igualmente apontado como mandante. Primeiro foram presos o executor do crime, Dionathas Alves Vieira, e dois intermediários, Valcir da Silva Dias e Hermenegildo Palaoro Filho.
 
O Processo Administrativo Disciplinar (PAD) foi aberto pela resolução nº 002/2018, de 3 de janeiro de 2018. A resolução foi publicada no Diário Oficial (DIO) desta sexta-feira (5) e é assinada pelo presidente do Conselho de Polícia Civil, Guilherme Daré de Lima.
 
Diz o ato que o PAD é “em desfavor do servidor policial  Hilário Antonio Fiorot Frasson, nº funcional 2496534, pelo(s) indício(s) de suposta(s) prática(s) de transgressão(es) disciplinar(es) prevista(s) no art. 192, incisos XXXVII, XXXVIII, XLI, XLVI, LXIII e LXXXI e art. 3º, incisos VII, XI e XIII, da Lei 3.400/81 e suas alterações legais e outra(s) porventura descrita(s) nos fatos da indigitada Portaria”.
 
As apurações, como determina, ficam a cargo da 1ª Comissão Permanente, “que deverá iniciar os trabalhos tão logo seja publicado o presente ato, citando o(s) acusado(s) mencionado(s), dando-lhe(s) ciência do inteiro teor da referida Portaria, respeitando a ampla defesa e o contraditório”.

Feminicídio
 
O assassinato da médica Milena Gottardi, foi tipificado pela Polícia Civil como feminicídio, que é caracterizado pela violência doméstica e familiar, e menosprezo ou discriminação à condição de mulher.
 
No caso da médica, o comportamento do acusado de alertar de pessoas próximas sobre o que ocorria na intimidade do casal já dava indícios do que poderia acontecer o pior. Em uma carta escrita pela médica e registrada em cartório, ela relatou temer pela própria vida no momento da separação, em virtude do comportamento agressivo do marido e de ameaças sofridas.
 
Nos crimes de feminicídio, os autores são geralmente próximos às vítimas e mais comumente mantém relacionamentos íntimos com elas.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Facebook/Eliana
Território político

Inferno astral do prefeito de Linhares, Guerino Zanon, deixa o campo aberto para a deputada estadual Eliana Dadalto

OPINIÃO
Editorial
'Gestão compartilhada'
Ofensiva de Luciano Rezende contra movimento dos professores revela autoritarismo e inabilidade política
Piero Ruschi
Pets: uma questão de responsabilidade socioambiental
Felizes as pessoas que podem ter um animal de estimação! Felizes os animais de estimação que têm um dono responsável!
Gustavo Bastos
Para que Filosofia?
''é melhor existir do que o nada''
Bruno Toledo
Por que negar os Direitos Humanos?
Não há nada de novo nesse discurso verde e amarelo que toma as ruas. É a simples manutenção das bases oligárquicas do Brasil
JR Mignone
O voto facultativo
Atual insatisfação com a política seria uma chance para começar a estudar a implantação do voto facultativo?
Roberto Junquilho
Que novo é esse?
O presidenciável do PRB, Flávio Rocha, apresenta velhas fórmulas de gestão e envolve jovens lideranças
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Para, relógio
MAIS LIDAS

Procon multa imobiliária e construtora responsáveis por condomínio em Setiba

Justiça realiza audiência do processo contra seminarista de Boa Esperança

TJES adia pela quinta vez processo de Dr. Hércules sobre dívida de campanha

Sindipol denuncia 'mentiras' do governo sobre médicos legistas

Ministério da Segurança Pública anuncia mutirão para reduzir população carcerária