Seculo

 

Sindiupes recorrerá ao MP e à Câmara contra militarização de escola em Montanha


09/01/2018 às 16:42
A intervenção do Ministério Público do Espírito Santo (MPES) será pedida na próxima semana visando impedir a concretização da proposta da prefeita de Montanha, Iracy Baltar (DEM), de transformar uma escola fundamental do município em escola militar. 
A informação é do professor Ildebrando José Paranhos, da Secretaria de Comunicação e Divulgação do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Espírito Santo (Sindiupes). Ele anunciou que uma outra providência do sindicato será recorrer à Câmara Municipal, visando alertar os vereadores da gravidade da medida, e pedindo rejeição do projeto da prefeita. 
 
No caso de a prefeita Iracy Baltar apresentar seu projeto para criação da escola militar e houver reunião extraordinária da Câmara Municipal no atual recesso legislativo, o Sindiupes se fará presente. Havendo risco de votação, o magistério se mobilizará, e também convidará a sociedade local a participar dos protestos. Vigilantes sobre os passos da prefeita estão os representantes do Sindiupes em Pinheiros e Mucurici. 
 
Ildelbrando José Paranhos informou que o projeto de militarização das escolas no Brasil  surgiu a partir  da criação das chamadas Escolas Sem Partido. E se trata de projetos que visam afastar do processo educacional disciplinas como sociologia e filosofia, que têm a função de possibilitar ao educando fazer suas opções de vida. 
 
Em lugar de conteúdos que tornam o aluno atuante, capaz de fazer escolhas, os estudantes são doutrinados a obedecer, dentro da concepção dos militares de disciplina e hierarquia, que são os pilares da doutrina militar. 
 
O dirigente do Sindiupes lembra que a sociedade não quer uma educação como a praticadas nas escolas militares. E que para barrar projetos desta natureza, os professores estão mobilizados.
 
No caso da proposta da prefeita de Montanha, criticas à prefeita Iracy Baltar foram disparadas pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE)  e também pela direção estadual do Psol no Espirito Santo. O Psol argumenta que a  militarização de escola em Montanha  afronta a Constituição Federal.
 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Facebook
Sem freio

Palestras, CPI, ''showmícios'' e até lançamento de disco. Quem para o casal Magno Malta e Lauriete?

OPINIÃO
Editorial
A Ponte da Discórdia
Terceira Ponte entra novamente no centro dos debates políticos em ano eleitoral. Enquanto isso, a Rodosol continua rindo à toa...
Piero Ruschi
O Governo do ES e seu amor antigo ao desamparo ambiental
Mais um ''Dia Mundial do Meio Ambiente'' se passou. Foi um dia de ''comemoração'' (política)
Gustavo Bastos
Conto surrealista
''virei pasta para entrar mais fácil na pintura de Dalí''
Eliza Bartolozzi Ferreira
A raposa cuidando do galinheiro
Na lógica do custo-benefício, governo Hartung entende que deve ofertar um ensino pasteurizado, de baixo custo e restrito a quem podem estudar em período integral
JR Mignone
A cobertura da Copa
No mês que antecedeu a Copa e no mês do desenrolar da competição, a Globo abusou da cobertura a ponto de cansar até o telespectador que gosta de esportes
Roberto Junquilho
A carne mais barata
A população de pessoas em situação de rua aumenta, como sinal de falência da gestão pública
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Entre a salada e o vinho
MAIS LIDAS

Hartung recebe alertas sobre gastos, publicidade e execução de programas em ano eleitoral

Ministério Público acusa superintendente do Ibama/ES de improbidade administrativa

Conto surrealista

Comunidade reforça que base da PM deve ser instalada na parte alta do Morro da Piedade

Sem freio