Seculo

 

Loteamento popular em Baixo Guandu ameaçado pela Justiça


12/01/2018 às 16:46
Um loteamento de 400 casas populares está ameaçado por uma decisão da 1ª Vara Cível de Baixo Guandu, que deferiu o pedido de reintegração de posse pleiteado por Joelma Furtado de Mello, uma parente do ex-caseiro da fazenda, já falecido, que requereu usucapião.

A área, de 100 mil m², no bairro Valparaíso, está ocupada por 200 famílias sem-teto, que aguardam a regularização do loteamento. A Prefeitura já desapropriou e pagou pela área em 2014.

A Defensoria Pública Municipal trabalha para reverter a decisão judicial, que foi publicada nessa quinta-feira (11). No despacho é determinado prazo de cinco dias para a desocupação pelas famílias, sob ameaça de despejo com apoio da Polícia Militar, e multa de R$ 500,00 por pessoa.

O prefeito Neto Barros (PCdoB) esclarece que o antigo proprietário da fazenda era dono de um curtume que funcionava no local. Após a desapropriação, pela Prefeitura, forças políticas locais convenceram o ex-caseiro a entrar com pedido ilegítimo de usucapião, para inviabilizar o loteamento popular.

Após a morte do requerente, a família do caseiro prosseguiu com o pleito e a população, percebendo a manobra, decidiu ocupar. “A prefeitura espera que tudo se resolva para poder regularizar o loteamento tão esperado pela população”, diz Neto Barros.

O processo tramita na Justiça Estadual sob o número 0000014-37.2018.8.08.0007. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Ales
Mais do mesmo

Na carona de Amaro Neto, lideranças do bloco governista pretendem manter pelo menos dez deputados estaduais na Assembleia. Já pensou...

OPINIÃO
Editorial
Donos das terras
Decisão em favor da titularidade do território quilombola no Estado é um passo importante na reparação de uma injustiça histórica que protege os poderosos
Gustavo Bastos
Jeff Buckley e seu álbum Grace
''O álbum Grace foi lançado em agosto de 1994''
Wilson Márcio Depes
A onipresença da violência
Os elevados índices de violência vêm favorecendo, de forma decisiva, o discurso de candidatos. É fácil verificar
Roberto Junquilho
O foco é o segundo turno
A estratégia do grupo palaciano é atrair a senadora Rose de Freitas para o segundo turno
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Último desejo
MAIS LIDAS

Lama da Samarco/Vale-BHP pode ser bomba relógio de metais pesados

Colnago se firma como candidato ao governo, mas não unifica o bloco hartunguista

Indicação do líder do governo para o TCE abre nova frente para oposição na Assembleia

Donos das terras

Jeff Buckley e seu álbum Grace