Seculo

 

MPA busca novos mercados para compensar o maior corte no orçamento da agricultura familiar


13/01/2018 às 22:19
Os recursos federais destinados à agricultura camponesa e familiar em 2018 sofreram a maior redução da história recente do país. E isso num ano em que o governo Michel Temer anuncia “o maior volume da história”, com R$ 200 bilhões para o campo.

Segundo levantamentos do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), o orçamento deste ano equivale a 63% do ano passado, tendo sido reduzidos de R$ 9,7 bilhões para 6,2 bilhões! Especificamente para a segurança alimentar e nutricional, o montante foi reduzido a 43% do valor do ano anterior, passando de R$ 736 milhões para 321 milhões.

“A nossa geração nunca viu algo assim”, afirma o agricultor Dorizete Cosme, da coordenação estadual do MPA. “A intenção é bastante clara e objetiva, de acabar coma agricultura familiar. Reduzir ainda mais a capacidade de resistência que existe dentro da agricultura familiar e camponesa”, diz, com pesar.

“Os impactos serão drástico”, alerta Dorizete, destacando uma tendência de aceleração do êxodo rural. A saída do campo é uma via encontrada pelas famílias menos politizadas e informadas, que se mudam para as periferias das cidades cheias de expectativas, porém, sem conhecer a realidade do meio urbano.

O sonho impossível ainda é insuflado pelas empresas do agronegócio, sendo as de eucalipto as principais no Espírito Santo, com mais violência nas regiões norte e noroeste. “As famílias que estão nesses municípios estão sofrendo um assédio maior ainda para aderir a algum fomento e vender suas propriedades”, conta.

Feiras e novos mercados

“Nosso grau de dificuldade de sobrevivência no campo vai se intensificar”, avalia. Intensificando, consequentemente, prossegue, a luta pelo apoio dos governos municipais, para tentar compensar o rombo federal, não havendo muita expectativa junto ao governo estadual, que segue a mesma política de favorecimento explícita do agronegócio. “Não é que a gente esteja desistindo, mas nesse governo [Paulo Hartung] não tem perspectiva nenhuma de ter conquistas. E na maioria dos municipais, também”, diz.

A solução mesmo, assegura o líder camponês, virá da construção de mercados alternativos e solidários para comercialização direta dos produtos, fortalecendo a aliança camponesa e operaria. As feiras agroecológicas e os pontos de entregas de cestas são a principal ferramenta nesse sentido.

Além disso, os camponeses estudam a entrada em novos mercados internos, junto a instituições privadas, como escolas e academias, além do mercado exterior, esse, mais voltado a itens como o café e a pimenta-do-reino.  “Construindo resistência pra continuar vivendo no campo e criando condições de gerar renda pras famílias e pras organizações camponesas”, enuncia.  

Confira abaixo as principais feiras orgânicas e agroecológicas na Grande Vitória e no interior:




























Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Leonardo Duarte/Secom
Uma coisa só

Enquanto no campo nacional PRB e MDB ainda estão em fase de namoro, no Estado o partido já é um “puxadinho” de Hartung. E tudo começou com Roberto Carneiro...

OPINIÃO
Editorial
MPES omisso
Ministério Público decidiu não participar das audiências de custódia. Um dos prejuízos: denúncias contra tortura, comumente relatada por presos
Bruno Toledo
Por que negar os Direitos Humanos?
Não há nada de novo nesse discurso verde e amarelo que toma as ruas. É a simples manutenção das bases oligárquicas do Brasil
Eliza Bartolozzi Ferreira
Políticas de retrocesso
Dados educacionais do governo Paulo Hartung são alarmantes
JR Mignone
Enganosos
Fazendo uma comparação corajosa e dispersa, tanto as eleições do Brasil quanto a Copa do Mundo terão muita surpresas e varias decepções
Geraldo Hasse
Vampirismo neoliberal
O governo oferece refrescos aos trabalhadores enquanto suga seu sangue
Roberto Junquilho
Quem governa?
Um novo porto na região de Aracruz demonstra que, para as corporações, as minorias não importam
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Uh, Houston, temos um problem
MAIS LIDAS

Sindicato protocola denúncias contra Sesa por contratação de Organizações Sociais

Corrida ao Senado sinaliza mudança na bancada capixaba

Quem governa?

Vampirismo neoliberal

Greve dos professores de Vitória continua por tempo indeterminado