Seculo

 

Cine Parklet: usando a cultura para discutir a cidade


23/01/2018 às 19:32
Era o final de março de 2016 quando foi realizada a primeira edição do Cine Parklet, em Jardim Camburi, Vitória. Na semana seguinte, um projeto de lei para regulamentar os parklets era aprovado pela Câmara Municipal. A segunda edição acontece neste domingo, a partir das 16h, no primeiro parklet instalado a partir da nova norma. Será na Rua Eugênio Netto, Praia do Canto, desta vez, num formato menos acadêmico e mais focado nas atividades culturais.
 
Para quem não sabe ainda, os parklets são estruturas para lazer e convivência construídas em paralelo às calçadas, ocupando vagas anteriormente destinadas para o estacionamento de automóveis. A cidade de San Francisco, nos Estados Unidos, é conhecida como pioneira desse tipo de construção, que logo foi se espalhando pelo mundo, a partir de visões mais humanizadas sobre as cidades.
 
"O parklet não é uma solução urbanística, é um diálogo", afirmou certa vez Lincoln Paiva, presidente do Instituto Mobilidade Verde. Para ele, tais iniciativas trazem a questão de que a rua é da população e não dos carros. A simples existência do parklet é uma provocação que leva as pessoas a refletirem sobre isso: com eles há menos espaços para carros e mais para as pessoas. Razão pela qual Lincoln afirma que "sentar no parklet é um ato político".
 
E é para esse ato político que o Cine Parklet convida: sentar ali, ocupar o local, compartilhar cultura e lazer e pensar a cidade. Pensar fazendo-a.
 
Como o nome diz, a proposta surge num formato cineclubista, de exibição audiovisual, que contará com uma coletânea de filmes de curta metragem relacionadas com o tema do urbano. Em seguida, vai rolar uma roda de conversa, que terá presença de Luiz Son, do coletivo Ciclistas Urbanos Capixabas (CUC), e de Eduardo Pasquinelli, do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Espírito Santo (CAU/ES), além de outros a confirmar. O tema é "Viver a Cidade, Ocupar a Rua".
 
Chama atenção uma frase da professora de arquitetura da Universidade de São Paulo (USP), Raquel Rolnik "O urbanismo moderno atribui à cidade as funções de lazer, de morar, de trabalho e de circulação. Destas quatro funções, três ficaram confinadas em localizadas em espaços privados, cada vez mais circunscritos e homogêneos, cabendo à dimensão pública a função da circulação". É justamente nessa última que o parklet atua, devolvendo ao lazer e à convivência pública um espaço que antes era apenas para circulação.
 
De acordo com a normativa de Vitória, o parklet pode ser proposto tanto por uma entidade com pessoa jurídica como por pessoas físicas, sendo o proponente responsável pelo cuidado e conservação do espaço, concedido pelo poder público por até três anos (renovável uma vez). Mas se trata sempre de um local público e não privado, não podendo ser fechado ou de uso exclusivo do mantenedor. Em Vila Velha os parklets também estão regulamentados. E na Serra ainda se tenta o mesmo.
 
Quem passar pelo parklet da Eugênio Netto na tarde de domingo, também poderá conferir a exposição fotográfica Cidade Viva,  apreciar a gastronomia por meio de Food Bikes e, entrando no clima da folia, participar de uma oficina de customização de bicicletas para o carnaval, oferecida pelo coletivo Mais Magrelas.
 
O parklet, que ocupa duas vagas de estacionamento em frente ao Cleaver Meat Pub, mantenedor do espaço, possui um bicicletário com quatro vagas. "Como arquitetos, se tiramos duas vagas de carro temos que oferecer uma outra sugestão de meio de transporte", diz Priscila Ceolin, integrante do Palete Parque, organização de arquitetos que desenhou o espaço e co-organiza o evento. 
 
O pub fará uma promoção especial para clientes que vierem caminhando ou de bike. O evento ocorre por meio de uma ação articulada entre Palete Parque, EMAU Célula (Escritório Modelo de Arquitetura e Urbanismo da Ufes), Mais Magrelas, Baile Voador e Cleaver Meat Pub. 
 
SERVIÇO
Cine Parklet | edição #2
Quando: Domingo (28/01), a partir das 16h
Onde: Parklet localizado no Cleaver Meat Pub - Rua Eugênio Netto, 369, Praia do Canto
Atrações: Exibição de curta-metragens, roda de conversa, exposição de fotos, oficina de adereços de carnaval para bicicletas, food bikes
Participação gratuita.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Secom
'Esquenta'

Com a a abertura das convenções partidárias, nesta sexta-feira, o mercado ganhou maior intensidade com o racha na base de Hartung

OPINIÃO
Editorial
Mais uma porta na cara
O racismo institucional do Palácio Anchieta ficou ainda mais claro com a presença do jornalista Willian Waack, demitido da Rede Globo por comentários racistas
Erfen Santos
O Cidadão Ilustre
O filme suscita reflexões pertinentes sobre prêmios literários como o Nobel, que rejeitou grandes escritores
Geraldo Hasse
Notícias do fundo do poço
Se não ceder às pressões externas, a Petrobras pode voltar a liderar a economia
JR Mignone
A importância das eleições
Cada empresa de comunicação tem de se esmerar nas campanhas, sem partido ou cores políticas
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Além das lágrimas
MAIS LIDAS

'Esquenta'

Largada embolada

Comando da PM não comparece em audiência de conciliação no Tribunal de Justiça

Projeto que obriga barreiras de proteção na Terceira Ponte tem parecer favorável na Ales

Mistério Público investiga Secretaria de Saúde de Cariacica por irregularidades em prestações de contas