Seculo

 

Sergio Majeski não desistiu de candidatura ao governo do Estado


07/02/2018 às 19:21
“O Senado ou o Palácio Anchieta. Breve decidirei e não adianta fingir que me ignoram, vou dar trabalho. Renovação”. Com essa frase, divulgada em suas redes sociais na noite dessa terça-feira (7), o deputado estadual Sergio Majeski (PSDB) se coloca novamente no jogo político e muda o cenário das acomodações partidárias.
 
O parlamentar, que diz pertencer à “ala boa do PSDB”, é assediado por vários partidos e já comunicou à executiva estadual do ninho tucano que irá deixar a legenda. 
 
Ele conversa desde o ano passado, no Estado e em Brasília, com o PPS, do prefeito de Vitória Luciano Rezende; com o PSB, do ex-governador Renato Casagrande; e com a Rede Sustentabilidade, liderado no Estado pelo prefeito da Serra, Audifax Barcelos.
 
A decisão do deputado, como já declarou, vai depender da melhor proposta para abrigar seu projeto político de 2018, e deve ser oficializada em março, na abertura da janela partidária, para que não corra riscos de perder o mandato.
 
O anúncio de Majeski volta a movimentar o mercado político e surge na esteira de pesquisas de opinião que o colocam bem atrás no ranking da corrida sucessória para o Senado. Em algumas delas, seu nome sequer foi colocado para ser avaliado pelo eleitor. 
 
Em seu primeiro mandato na Assembleia Legislativa, Majeski se destaca por assumir posições contrárias ao Palácio Anchieta, sendo o único deputado declaradamente de oposição ao governador Paulo Hartung. 
 
Desde que assumiu, passou a criticar o governo de Paulo Hartung (PMDB), cujo vice, César Colnago, é atualmente presidente estadual do PSDB.
 
Com atuação independente e rompido com o Hartung, Majeski não tinha outra saída do que buscar uma sigla que não só o abrigasse, mas também abrisse a possibilidade de voos mais altos, como já era esperado, considerando a visibilidade que conquistou no cenário político estadual.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

Crônica de uma eleição

Vagões do trem do governador Paulo Hartung estão acima da capacidade da locomotiva. Haja peso para carregar...

OPINIÃO
Editorial
Futuro interrompido
Onde estão os promotores, delegados, políticos e demais agentes públicos para berrarem em defesa da infância? Mortes no Heimaba são alarmantes e inadmissíveis!
JR Mignone
Nova rádio
Tudo modificado, tudo moderno na Rádio Globo
Roberto Junquilho
Para onde ir?
A crítica vazia e sem fundamento à classe política coloca em risco a democracia
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Arrogância também conta?
MAIS LIDAS

Flic-ES: 'As livrarias não vendem obras capixabas'

Vitória já poderia ter identificado as fontes de emissão de pó preto

'Pensar a educação como a preparação do corpo para sentir, aprender e sonhar'

Webdoc Corpo Flor reflete sobre negritude e sexualidade