Seculo

 

Terror previdenciário


09/02/2018 às 15:57
Há mais de um ano o governo federal argumenta que existe um rombo nas contas da Previdência Social, embora técnicos no assunto não comprometidos com o Poder Político aleguem que a Previdência é superavitária. Segundo esses especialistas, o governo estaria  manipulando números para acelerar a reforma em favor da previdência privada.  
 
Para dirimir eventuais dúvidas, seria preciso fazer uma auditoria – pra valer – não apenas no sistema de Previdência Social, mas nas contas do Orçamento Geral da União, "congelado" por 20 anos pelo Congresso Nacional em meados de 2016 a pedido do ministro da Fazenda Henrique Meirelles.
 
Auditoria geral das contas: quem prestaria esse enorme serviço à Nação?
 
O natural seria que fosse o Congresso Nacional, que infelizmente se tornou um dos menos confiáveis poderes da república.
 
Se a tarefa fosse delegada ao Tribunal de Contas da União, órgão consultivo do Legislativo, não iríamos longe, a menos que a missão fosse terceirizada a um organismo independente como a FGV.
 
Fora daí, em quem confiar? PGE? MPF? ONU? Aparentemente, não faltam órgãos capazes de jogar luz sobre os números da Previdência mas, a esta altura do governo-tampão do vice Michel Temer, é preciso não esquecer que a maior erosão das contas nacionais ocorre graças à manutenção sem cortes nem congelamento do serviço de pagamento de juros aos credores da divida pública.
 
Temos aí uma transfusão permanente de recursos públicos para bancos, especuladores e rentistas em geral. É uma fortuna anual de cerca de 500 bilhões de reais que irriga o patrimônio dos que menos precisam, penalizando a maioria carente que precisa de educação, emprego, saúde e segurança.
 
Pior: ao desmantelar a legislação trabalhista, com a cumplicidade do Congresso, o governo-tampão golpeou pelas costas a Previdência social, que certamente passará a arrecadar menos no correr dos próximos anos, mesmo que os índices de desemprego voltem a cair.
 
Com a precarização das relações de trabalho, os empregadores estão com a faca na mão para cortar os queijos a seu gosto e conveniência.
 
Pela andar da carruagem, o governo está disposto a acelerar a marcha em favor dos interesses privatistas, intrinsecamente insensíveis às necessidades da maioria, que deveria ser o alvo principal da democracia.
 
LEMBRETE DE OCASIÃO
 
"Planejador econômico é um técnico incapaz de resolver o problema, mas genial em organizar a próxima confusão" (Millôr Fernandes)

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Alternativas

Com a mudança no tabuleiro eleitoral do Estado, os olhares se voltam para o palanque de Casagrande e pacto com Rose. Governo, Senado...quem vai?

OPINIÃO
Editorial
Maquiagem oficial
Depois de episódios de repressão, governo Hartung tira a semana para valorizar uma das piores áreas de sua gestão: segurança pública
Geraldo Hasse
Manobras perigosas
Os empresários, que surfaram na onda de Lula, estão assustados com a pororoca de Temer
JR Mignone
Banalização
O carnaval fez com que se desse uma trégua nas informações sobre política no Brasil
Roberto Junquilho
O novo com defeito
O prefeito Luciano Rezende esconde velho modelo da política com frase de efeito
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

A arte de pilotar motocicletas – ou com Chico na garupa
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Yes, nós também!
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Saída de Luiz Paulo deve provocar esvaziamento do PSDB no Estado

Operação tartaruga na educação em Linhares tem 90% de adesão

Manobras perigosas

Banalização

Hospital Bezerra de Farias suspende atendimento por falta de médicos