Seculo

 

Água amarela e gordurosa na torneira revolta moradores de Cedrolândia


09/02/2018 às 22:47

As torneiras das casas de Cedrolândia, na zona rural de Nova Venécia (noroeste do Estado), jorram uma água com cor e gosto de ferrugem e oleosa, o que obriga os moradores a buscar água de cacimba e da chuva para beber e lavar roupas, deixando toda a comunidade com receio de possíveis doenças pela contaminação da água.

O problema começou há alguns anos, quando a Companhia Espirito-Santense de Saneamento (Cesan) entregou o serviço de abastecimento de água para o Comitê de Água de Cedrolândia (CAC), da Associação de Moradores, que não tem, denunciam os moradores, nenhuma capacidade técnica para realizar o serviço. 

As fotos enviadas para a reportagem ilustram bem a afirmação, mostrando instalações velhas, sujas e com risco de ruir, além de equipamentos rudimentares e igualmente em péssimas condições de conservação. Moradores relatam que os funcionários contratados pela associação possuem outros empregos e “passam pela caixa d'água” uma ou duas vezes por dia.

As contas de água, porém, são pagas mensalmente, no valor mínimo de R$ 18, mas que, segundo os moradores, ficam sempre acima de R$ 25, chegando a mais de R$ 40 em algumas residências. A comunidade possui entre 300 e 400 casas, o que dá uma ideia do valor arrecadado mensalmente e indicam um faturamento não condizente com os serviços prestados.

A captação é feita em uma barragem construída pela Cesan no córrego que, antes de chegar à comunidade, passa por várias propriedades rurais, onde o uso de agrotóxicos é intenso. Em 2016, o córrego parou de correr a Cedrolândia passou a ser abastecida por carros-pipa.

No ano passado, um morador local resolveu abrir as duas cacimbas, ainda hoje utilizadas pela população para obter a água de beber. Todos os dias, se dirigem ao local com garrafões e baldes em busca de uma água, pelo menos visualmente, menos suja. Mas análises que confirmem a qualidade da água das cacimbas são desconhecidos pelos moradores ouvidos por Século Diário.

'Soluções individuais'

No documento Elaboração dos Planos de Saneamento Básico e Gestão Integrada de Resíduos Sólidos – Prognósticos e Alternativas para a Universalização, Condicionantes, Diretrizes, Objetivos e Metas”, elaborado pelo governo estadual em 2017 para onze municípios, é descrita a condição do abastecimento de Cedrolândia.

“O Sistema de Abastecimento de Água (SAA) de Nova Venécia é operado pela Cesan nas áreas urbanas dos distritos Sede, Santo Antônio do XV e Guararema e auxilia, conforme prescrições do programa Pró rural, na operação de sistemas menores implantados nas áreas rurais dos distritos e comunidades. Algumas áreas rurais contam com soluções individuais, cujos sistemas são operados pelos próprios beneficiários, podendo, em alguns casos, não ter assistência nem da concessionária nem da administração municipal”. 

A publicação informa ainda, num trecho em que refere-se explicitamente a Cedrolância, alguns aspectos do serviço prestado pela associação local: “Não há informações acerca da adutora de água bruta; a bomba da EEAB não está funcionando; extravasamento dos floculadores na ETA [Estação de Tratamento de Água]; possibilidade de acesso de pessoas e animais na área do reservatório; reservatório encontra-se em mau estado de conservação; não há monitoramento de água tratada; não há informações a respeito da EEAT [Estação Elevatória de Água Tratada]; não há informação a respeito da vazão da captação”.

Taysnara Marinho mora bem próximo da caixa d'água e diz ter medo. “`Tá’ cheio de rachaduras. Se arrebentar, a minha casa é a primeira a ser inundada”, diz. Nas redes sociais, a jovem é uma das que compartilha sua indignação e reclama por melhorias.

'Quanto mais lava, mais suja'

“Eu tenho uma caixa d'água no quintal pra captar água de chuva, que uso pra lavar roupa. A da associação eu uso pra tomar banho, cozinhar e lavar a casa”, conta, descrevendo um sistema adotado pela maioria dos moradores.


Os que não dispõem da captação de água de chuva, estragam suas roupas com a agua amarela e oleosa da ETA local.  Nas redes sociais, outros moradores contam que não podem mais usar nenhuma roupa branca, porque fica tudo encardido, e que já perderam várias peças brancas por causa da água.

Para Taysnara, os pesadelos são o banheiro, que fica encardido “e quanto mais lava mais sujo fica”, e a pele e o cabelo. “A água tem uma gordura”, reclama.

Ela conta que em dezembro de 2017, a associação organizou um abaixo-assinado para pedir a volta da Cesan, mas os representantes da concessionária que foram à comunidade afirmaram que não seria possível. E um deputado que foi convidado para a reunião, prometeu que iria doar um filtro para a comunidade, mas que o presente talvez só chegasse no final de 2018.

 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Leonardo Duarte/Secom
Uma coisa só

Enquanto no campo nacional PRB e MDB ainda estão em fase de namoro, no Estado o partido já é um “puxadinho” de Hartung. E tudo começou com Roberto Carneiro...

OPINIÃO
Editorial
MPES omisso
Ministério Público decidiu não participar das audiências de custódia. Um dos prejuízos: denúncias contra tortura, comumente relatada por presos
Bruno Toledo
Por que negar os Direitos Humanos?
Não há nada de novo nesse discurso verde e amarelo que toma as ruas. É a simples manutenção das bases oligárquicas do Brasil
Eliza Bartolozzi Ferreira
Políticas de retrocesso
Dados educacionais do governo Paulo Hartung são alarmantes
JR Mignone
Enganosos
Fazendo uma comparação corajosa e dispersa, tanto as eleições do Brasil quanto a Copa do Mundo terão muita surpresas e varias decepções
Geraldo Hasse
Vampirismo neoliberal
O governo oferece refrescos aos trabalhadores enquanto suga seu sangue
Roberto Junquilho
Quem governa?
Um novo porto na região de Aracruz demonstra que, para as corporações, as minorias não importam
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Uh, Houston, temos um problem
MAIS LIDAS

Sindicato protocola denúncias contra Sesa por contratação de Organizações Sociais

Corrida ao Senado sinaliza mudança na bancada capixaba

Quem governa?

Vampirismo neoliberal

Greve dos professores de Vitória continua por tempo indeterminado