Seculo

 

Vereador pede investigação sobre verba liberada pela prefeitura para o Carnaval


12/02/2018 às 13:41
O vereador Roberto Martins (PTB) protocolou requerimento na Câmara de Vitória para reunir informações que possibilitem uma investigação sobre supostas irregularidades no acordo firmado entre a Prefeitura de Vitória e a Liga das Escolas de Samba do Grupo Especial (Liesge), no valor de R$ 2,8 milhões.
 
As denúncias, feitas pelo presidente da escola Pega no Samba, Alex Santos, afirmam que a Liesge estaria exigindo um montante de 40% dos recursos públicos transferidos pela Prefeitura às agremiações para liberação das quantias que caberia a cada uma.
 
Cada escola terá que repassar à Liesge o valor de R$ 113 mil do montante de R$ 297,8 mil que a Prefeitura de Vitória disponibilizou para cada uma das escolas de samba do grupo especial.
 
Os recursos teriam sidodirecionados para a organização dos desfiles das escolas, ocorrido de 1 a 3 de fevereiro no Sambão do Povo, durante o Carnaval da capital do Estado. 
 
O valor seria para“bancar a estrutura do Sambão do Povo, como segurança, estrutura metálica e ambulâncias, custos que deveriam ser cobertos com a venda de ingressos e camarotes, que são comercializados com a iniciativa privada”, afirma, em nota, a assessoria de imprensa da Pega no Samba. 
 
“O fato de recurso público ser usado para pagar despesas com um imóvel público, merece toda a nossa atenção, certo?”, questiona o vereador, um dos poucos que exerce o papel de fiscalizador do poder executivo municipal.   
 
No requerimento, protocolado sob o número R.I 14/2018, o vereador Roberto Martins solicita a aferição da distribuição das verbas repassadas pela PMV às Escolas de Samba e à Liesge e informações acerca da existência de cláusula ou qualquer previsão que autorize à Liesge o desconto nos valores a serem repassados às agremiações. 
 
O vereador quer saber ainda informações acerca de como a PMV acompanha e fiscaliza a aplicação das verbas repassadas e explicitação do responsável e da origem dos recursos para organização, produção e execução dos desfiles, acompanhada do respectivo instrumento jurídico que lhe formaliza.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Facebook/Eliana
Território político

Inferno astral do prefeito de Linhares, Guerino Zanon, deixa o campo aberto para a deputada estadual Eliana Dadalto

OPINIÃO
Editorial
'Gestão compartilhada'
Ofensiva de Luciano Rezende contra movimento dos professores revela autoritarismo e inabilidade política
Piero Ruschi
Pets: uma questão de responsabilidade socioambiental
Felizes as pessoas que podem ter um animal de estimação! Felizes os animais de estimação que têm um dono responsável!
Gustavo Bastos
Para que Filosofia?
''é melhor existir do que o nada''
Bruno Toledo
Por que negar os Direitos Humanos?
Não há nada de novo nesse discurso verde e amarelo que toma as ruas. É a simples manutenção das bases oligárquicas do Brasil
JR Mignone
O voto facultativo
Atual insatisfação com a política seria uma chance para começar a estudar a implantação do voto facultativo?
Roberto Junquilho
Que novo é esse?
O presidenciável do PRB, Flávio Rocha, apresenta velhas fórmulas de gestão e envolve jovens lideranças
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Para, relógio
MAIS LIDAS

Procon multa imobiliária e construtora responsáveis por condomínio em Setiba

Justiça realiza audiência do processo contra seminarista de Boa Esperança

TJES adia pela quinta vez processo de Dr. Hércules sobre dívida de campanha

Sindipol denuncia 'mentiras' do governo sobre médicos legistas

Ministério da Segurança Pública anuncia mutirão para reduzir população carcerária