Seculo

 

Vereador pede investigação sobre verba liberada pela prefeitura para o Carnaval


12/02/2018 às 13:41
O vereador Roberto Martins (PTB) protocolou requerimento na Câmara de Vitória para reunir informações que possibilitem uma investigação sobre supostas irregularidades no acordo firmado entre a Prefeitura de Vitória e a Liga das Escolas de Samba do Grupo Especial (Liesge), no valor de R$ 2,8 milhões.
 
As denúncias, feitas pelo presidente da escola Pega no Samba, Alex Santos, afirmam que a Liesge estaria exigindo um montante de 40% dos recursos públicos transferidos pela Prefeitura às agremiações para liberação das quantias que caberia a cada uma.
 
Cada escola terá que repassar à Liesge o valor de R$ 113 mil do montante de R$ 297,8 mil que a Prefeitura de Vitória disponibilizou para cada uma das escolas de samba do grupo especial.
 
Os recursos teriam sidodirecionados para a organização dos desfiles das escolas, ocorrido de 1 a 3 de fevereiro no Sambão do Povo, durante o Carnaval da capital do Estado. 
 
O valor seria para“bancar a estrutura do Sambão do Povo, como segurança, estrutura metálica e ambulâncias, custos que deveriam ser cobertos com a venda de ingressos e camarotes, que são comercializados com a iniciativa privada”, afirma, em nota, a assessoria de imprensa da Pega no Samba. 
 
“O fato de recurso público ser usado para pagar despesas com um imóvel público, merece toda a nossa atenção, certo?”, questiona o vereador, um dos poucos que exerce o papel de fiscalizador do poder executivo municipal.   
 
No requerimento, protocolado sob o número R.I 14/2018, o vereador Roberto Martins solicita a aferição da distribuição das verbas repassadas pela PMV às Escolas de Samba e à Liesge e informações acerca da existência de cláusula ou qualquer previsão que autorize à Liesge o desconto nos valores a serem repassados às agremiações. 
 
O vereador quer saber ainda informações acerca de como a PMV acompanha e fiscaliza a aplicação das verbas repassadas e explicitação do responsável e da origem dos recursos para organização, produção e execução dos desfiles, acompanhada do respectivo instrumento jurídico que lhe formaliza.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

De demolidor a demolido

Até outro dia, o MDB era o partido mais importante do Estado, mas entrou em agonia com a interferência de PH

OPINIÃO
Piero Ruschi
O Governo do ES e seu amor antigo ao desamparo ambiental
Mais um ''Dia Mundial do Meio Ambiente'' se passou. Foi um dia de ''comemoração'' (política)
Bruno Toledo
Estado sem PIEDADE!
As tragédias que se sucedem no Morro da Piedade sintetizam as contradições mais evidentes e brutais do modelo de sociedade e de Estado que estamos mergulhados
Geraldo Hasse
Mundo velho sem catraca
Cinquenta anos depois, é possível fazer um curso técnico por correspondência via internet
Roberto Junquilho
Hartung, o suspense
O governador Paulo Hartung mantém o suspense e pode até não disputar a reeleição em 2018
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Uma revoada de colibris
MAIS LIDAS

Visita de interlocutores de Hartung a Rodrigo Maia sinaliza mudança de cenário

Contrato do governo do Estado com a Cetesb sobre poluição do ar continua sigiloso

Juiz Leopoldo mais próximo de ir a Júri Popular por assassinato de Alexandre Martins

LDO será votada na próxima segunda-feira na Assembleia

Hartung, o suspense