Seculo

 

Prejuízos aos estudantes com fechamento de escolas e cursos serão discutidos em Vitória


14/02/2018 às 10:20
Os prejuízos causados aos estudantes e suas famílias com fechamento de escolas e cursos no interior serão discutidos em audiência pública na Assembleia Legislativa. A iniciativa de ouvir os estudantes é do deputado estadual Sergio Majeski (PSDB). 
 
No Estado, os estudantes do interior já perderam 42 escolas, fechadas pela Secretaria de Estado da Educação (Sedu), principalmente na área rural. De 2014 a 2018, 6.507 turmas foram fechadas, sendo 986 entre 2014 e 2015, e 1.509 entre 2017 e 2018.
 
“Fechamento de Escolas, Turnos e Turmas e o impacto na formação de jovens no Estado do Espírito Santo” é o titulo dado à audiência publica. O fechamento de escolas estaduais, sobretudo nas zonas rurais do Espírito Santo, continua sendo um problema em todo o território capixaba. 
 
Com os últimos acontecimentos no município de Afonso Cláudio (região serrana), onde três localidades poderiam ficar sem unidades escolares, além de problemas semelhantes em Muniz Freire (sul) e outras localidades, o deputado estadual Sergio Majeski (PSDB) resolveu convidar toda a sociedade para discutir o assunto na audiência, marcada para o dia 21 próximo.
 
O deputado é presidente da Frente Parlamentar em Defesa das Políticas Públicas da Juventude. Tem acompanhado a realidade das escolas estaduais em todo o Estado, e relata ter visitado 236 escolas. 
 
Desde o início do mandato, em 2015, ele denuncia a política educacional desastrosa do governo, que fecha escolas em um Estado que conta com 61.702 jovens de 4 a 17 fora da escola, além de cerca  de 200 mil jovens entre 18 e 29 anos que não concluíram a educação básica e que também não estão nas salas de aula. "Tudo em prol de um projeto marqueteiro denominado Escola Viva”, cita a assessoria do parlamentar. Além disso, vem sucateando também o Ensino de Jovens e Adultos (EJA), ofertando menos vagas no turno noturno. 
 
“Não podemos permitir que o governo continue com esse desmando. Ninguém está aqui pedindo para o Executivo  construir novas escolas. Apenas está se  pedindo para que a Sedu cumpra o que a Constituição Federal, a Lei de Diretrizes e Bases e o Estatuto da Criança e do Adolescente dizem. Não é possível que o governo e o Judiciário desconheçam o que diz a lei. Os jovens têm o direito de estudar próximo de suas casas. O governo tem que oferecer a Educação de acordo com as condições dos alunos e não como o governo acha que é o melhor para eles", afirmou o deputado.
 
Devido ao fechamento de escolas e fim do ensino noturno no interior, muitos alunos estão sendo obrigados a abandonar os estudos, já que uma parte considerável é de jovens-trabalhadores e, devido a isso, só conseguiriam frequentar uma sala de aula à noite. Outros abandonam devido à distância de suas casas até as escolas disponibilizadas, com acesso dificultado por estradas precárias, o tempo de viagem e a falta de transporte.
 
Entre os convidados a participar do debate, além das comunidades escolares afetadas, estão autoridades e membros do Ministério Público, Tribunal de Justiça, Secretaria Estadual de Educação (Sedu), Conselho Estadual de Educação, Conselho Estadual de Direitos Humanos, Defensoria Pública, Ministério Público Federal, Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Espírito Santo (Sindiupes), Juizado da Infância e da Juventude; Secretaria de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social (Setades); Conselho Estadual da Juventude, entre outros.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

Crônica de uma eleição

Vagões do trem do governador Paulo Hartung estão acima da capacidade da locomotiva. Haja peso para carregar...

OPINIÃO
Editorial
Futuro interrompido
Onde estão os promotores, delegados, políticos e demais agentes públicos para berrarem em defesa da infância? Mortes no Heimaba são alarmantes e inadmissíveis!
JR Mignone
Nova rádio
Tudo modificado, tudo moderno na Rádio Globo
Roberto Junquilho
Para onde ir?
A crítica vazia e sem fundamento à classe política coloca em risco a democracia
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Arrogância também conta?
MAIS LIDAS

Flic-ES: 'As livrarias não vendem obras capixabas'

'Pensar a educação como a preparação do corpo para sentir, aprender e sonhar'

Vitória já poderia ter identificado as fontes de emissão de pó preto

Webdoc Corpo Flor reflete sobre negritude e sexualidade