Seculo

 

Esquerda define ações conjuntas contra o governo Michel Temer


14/02/2018 às 13:35
Com a finalidade de formalizar uma frente em defesa da democracia, lideranças de partidos de esquerda, centrais sindicais e movimentos sociais se reúnem na noite desta quinta-feira (15) para traçar ações em defesa da democracia e contrária ao governo de Michel Temer. 
 
A reunião plenária, marcada para as 18 horas, será realizada no espaço social do Sindicato dos Bancários, em Vitória, com a participação de representantes do Psol, PT, PCdoB, PDT, e da Central dos Trabalhadores do Brasil (C TB), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA). Na ocasião, serão definidos os próximos movimentos, que começarão no dia três de março próximo. 
 
Lideranças do PDT, partido do presidenciável Ciro Gomes, também foram convidadas para o ato, mas até esta quarta-feira (14), ainda não haviam definido se aceitariam participar. Seguem a tendência das discussões em nível nacional. 
 
Como ocorre nacionalmente, no Espírito Santo a tendência é a formação de uma articulação conjunta da esquerda quando se trata de movimentos em defesa da democracia e contrários ao governo de Michel Temer, de forma separada das ações de cunho eleitoral.    
 
A histórica divisão da esquerda começou a tomar um rumo diferente, depois da deposição da presidenta Dilma Rousseff, em 2016, e da criminalização do PT e dos partidos contrários ao governo de Michel Temer.
 
Dirigentes partidários optaram por ações conjuntas, embora ainda permaneçam núcleos de divisão significativos. “As conversas estão em fase bastante adiantadas”, comemora o dirigente petista, Perly Cipriano. Ele defende a união das forças contra o governo de Michel Temer, cuja aceitação popular é quase zero. 
 
A divisão da esquerda no Brasil é um fato que escapa ao entendimento.  Na atual fase, quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, líder nos cenários pesquisados na corrida presidencial, precisava do apoio de todos, os partidos de esquerda lançaram candidatos a presidente da República. 
 
Até mesmo tradicionais aliados do PT e de Lula, como PCdoB e PDT, que ganharam relevância nos governos Lula e Dilma, e o Psol, que nunca participou de governos do PT, mas combateu a deposição de Dilma, resolveram lançar candidaturas próprias.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Alternativas

Com a mudança no tabuleiro eleitoral do Estado, os olhares se voltam para o palanque de Casagrande e pacto com Rose. Governo, Senado...quem vai?

OPINIÃO
Editorial
Maquiagem oficial
Depois de episódios de repressão, governo Hartung tira a semana para valorizar uma das piores áreas de sua gestão: segurança pública
Geraldo Hasse
Manobras perigosas
Os empresários, que surfaram na onda de Lula, estão assustados com a pororoca de Temer
JR Mignone
Banalização
O carnaval fez com que se desse uma trégua nas informações sobre política no Brasil
Roberto Junquilho
O novo com defeito
O prefeito Luciano Rezende esconde velho modelo da política com frase de efeito
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

A arte de pilotar motocicletas – ou com Chico na garupa
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Yes, nós também!
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Saída de Luiz Paulo deve provocar esvaziamento do PSDB no Estado

Operação tartaruga na educação em Linhares tem 90% de adesão

Manobras perigosas

Hospital Bezerra de Farias suspende atendimento por falta de médicos

Banalização