Seculo

 

Hartung faz política de terra arrasada na Educação: 42 escolas fechadas e milhares de turmas extintas


15/02/2018 às 17:27
O governo Paulo Hartung (PH) faz politica de terra arrasada na educação capixaba. O seu governo fechou  42 escolas entre 2015 e 2018 (veja relação abaixo). Já as vagas disponíveis na rede estadual passaram de 497.498 em 2014, último ano do governo anterior, para 282.983 em 2018, último ano do atual mandato de Paulo Hartung, uma redução de 43,12% no período.
Os dados referentes à educação no governo Paulo Hartung foram apurados pelo deputado estadual Sergio Majeski (PSDB). Educador, o deputado é o único parlamentar na Assembleia Legislativa que denuncia sistematicamente a precarização da educação no governo Paulo Hartung.
 
O deputado vai passar a limpo o governo PH e o processo de destruição do sistema escolar capixaba que ele está implementando. Para isso realiza uma audiência publica na Assembleia Legislativa, no dia 21 próximo, às 14 horas, no Plenário Dirceu Cardoso da Assembleia Legislativa.
 
Raio X 
 
A Educação de Jovens e Adultos (EJA) foi para a berlinda com a política do atual governo do Estado. Os dados divulgados pelo deputado Sergio Majeski apontam que o número de alunos da EJA matriculados em 2.014 foi de 66.124. Em 2018, o número de matriculados na EJA caiu para 23.223, uma redução de 64,88%. 
 
E a oferta de vagas nesta modalidade de ensino? Na EJA, a oferta de vagas em 2014 foi de 143.887 vagas. Em 2018, a oferta de vagas despenca para 40.625, uma redução de 71,77%. 
 
Quando a análise é sobre a oferta de turmas na EJA  é constatado que em 2014 existiam 4.663 turmas e, em 2018, apenas 1.150 turmas, redução de 75,34% nas turmas. Desta forma, as possibilidades para quem está fora da faixa etária escolar retornar à escola fica cada vez mais difícil.
 
Ensino noturno
 
Em 2014, último ano do governo passado, 361 escolas ofereciam o ensino noturno. Em 2015, primeiro ano do atual mandato de Paulo Hartung, a oferta do ensino noturno aumentou: passou para 364 escolas. A seguir, começa a despencar em queda livre. Em 2016, 313 escolas da rede estadual ofereciam o ensino noturno. Em 2017, 253 e, em 2018, apenas 202 estão oferecendo o ensino noturno em todo o Estado. 
 
Como resultado, a oferta do ensino noturno da Secretaria de Estado da Educação (Sedu) caiu em 44,4%. Mais um complicador para quem precisa trabalhar e estudar, mas não encontra vagas no sistema escolar.
 
Vagas disponíveis 
 
O raio X do deputado Sergio Majeski continua mostrando a realidade do sistema educacional do governo Paulo Hartung, conduzido pelo seu secretario de educação, Haroldo Corrêa Rocha, economista, como o governador. 
 
As vagas disponíveis no sistema estadual de ensino eram 497.498, em 2014. Em 2015, primeiro ano do terceiro mandato de Paulo Hartung já começa a queda na oferta: 466.668 vagas, redução de 6,20% em relação ao ano anterior. 
 
Em 2016, o governo PH abre 358.637 vagas, 27,91% menos do que o último ano do governo anterior. Em 2017, o numero de vagas disponíveis na rede estadual é de 339.344 vagas. Em 2018, o numero  é de apenas 282.983 vaqas, 43,12% a menos do que em 2014.
 
Em 2014, o sistema estadual de ensino fez 293.664 matriculas. Em 2015, foram 288.562 matriculados. Em 2016, 255.682 matriculas; em 2017, 248.140 matriculas. Em 2018, as matrículas na rede escolar estadual foram de apenas 210.381 alunos, uma redução de 28,36% a partir de 2014.
 
Das turmas
 
Na análise das turmas ofertadas, se verifica 14.699 turmas em 2014. Em 2015, 13.713 turmas. Já em 2016, o número de turmas ofertadas sofre acentuada queda, passando a 10.370. Em 2017, as turmas ofertadas foram 9.701, caindo em 2018 para 8.192 turmas. Redução de 44,27% na oferta de turmas.
 
E as turmas fechadas? Em 2014-2015, foram 986 turmas fechadas. Em 2015-2016, foram fechadas 3.343 turmas. Em 2016-2017, 669 turmas fechadas. E, finalmente, 2017-2018, foram fechadas 1.509 turmas na rede escolar estadual capixaba.
 
O balanço mostra como o governo do Estado desmonta o sistema educacional no Espírito Santo, e complica a vida dos jovens e adultos capixabas que queiram trabalhar e estudar. 
 
Verbas de menos
 
Desde o início do mandato, em 2015, o deputado Sergio Majeski  denuncia a política educacional desastrosa do governo, que fecha escolas em um Estado que conta com 61.702 jovens de 4 a 17 fora da escola, além de cerca  de 200 mil jovens entre 18 e 29 anos que não concluíram a educação básica e que também não estão nas salas de aula. 
 
"Tudo em prol de um projeto marqueteiro denominado Escola Viva”, cita a assessoria do parlamentar. Além disso, vem sucateando também o Ensino de Jovens e Adultos (EJA), ofertando menos vagas no turno noturno. 
 
Devido ao fechamento de escolas e fim do ensino noturno no interior, muitos alunos estão sendo obrigados a abandonar os estudos, já que uma parte considerável é de jovens-trabalhadores e, devido a isso, só conseguiriam frequentar uma sala de aula à noite. 
 
Outros abandonam devido à distância de suas casas até as escolas disponibilizadas, com acesso dificultado por estradas precárias, o tempo de viagem e a falta de transporte.
 
Há ainda o fato de que o governo Paulo Hartung não investiu o percentual determinado em lei para Educação em 2017, que é de 25% dos recursos arrecadados pelo Estado. O total atingiu apenas 20,06% do Orçamento, segundo denunciou o deputado Sergio Majeski. 
 
A maquiagem nas contas da Educação é realizada desde 2009, entretanto, nesse período até 2010, ainda era garantido o investimento de 25%, conforme a Constituição, fazendo com que o Executivo se gabasse de aplicar mais do que o necessário na pasta. 
 
A partir de 2011, os gastos com servidores inativos começaram a ser contabilizado dentro do percentual mínimo previsto em lei. De 2009 a 2017, o montante que foi contabilizado como Manutenção e Desenvolvimento do Ensino (MDE), mas que não foi usado efetivamente na Educação, e chegou ao montante de R$ 4 bilhões, conforme um levantamento realizado pelo Ministério Público de Contas do Estado.
 
Comunidades sem escolas 
 
Veja a relação das comunidades que perderam suas escolas no governo Paulo Hartung, muitas destas em franca luta pela reconquista de seus direitos. 
 
2015
 
EEPEF - FAZENDA GERMANO PETTER (Itaguaçu)
EEPEF - FAZENDA QUINTILIANO MARTINELLI (Itaguaçu)
EEEM - IRMA DULCE LOPES PONTE (Viana)
 
2016
 
EEEM - ANTÔNIO EUGÊNIO ROSA (Colatina)
EEEM - ELIZABETE NAZÁRIO LAURENTINO (Mimoso do sul)
EEEM - GODOFREDO POSSI (Apiacá)
EEEF - ITAOCA (Itapemirim)
EEEF - MARIA ERICINA SANTOS (Vitória)
EEEM - MATA FRIA (Afonso Claúdio)
EEEM - MELGACO (Domingos Martins)
EEEM - PASTOR ADILSON BENTO DE FREITAS (Irupi)
EEEFM - PROF. SANTOS PINTO (Governador Linderberg)
EEEFM - PROFª ANTONIETA BANHOS FERNANDES (Linhares)
EEPEF - PROFESSORA ILDA MEIRELLES FREIRE (Cariacica)
EEUEF - RETIRO FREITAS (Cachoeiro de Itapemirim)
EEEM - RODRIGO CESAR PROESCHOLDT (Baixo Guandu)
EEEM - SANTA CRUZ (Irupi)
EEPEF - SANTA FE (Cachoeiro de Itapemirim)
EEEM - SÃO FRANCISCO (Afonso Cláudio)
EEUEF - VALE ENCANTADO (São Gabriel da Palha)
 
2017
 
EEUEF - ALTO LIMOEIRO JATIBOCAS (Itarana)
EEPEF - ANTONIO CONSELHEIRO (Itaguaçu)
EEPEF - DE LIMAO (Cariacica)
EEEFM - DR AFONSO SCHWAB (Cariacica)
EEUEF - FAZENDA FRANZ STHUR (Itarana)
EEEM - ITABAIANA (Mucurici)
EEEM - ITAMIRA (Ponto Belo)
EEEM - MARIA HELENA STEIN MERLO (Baixo Guandu)
EEEFM - PACOTUBA (Cachoeiro de Itapemirim)
EEPEF - RODA DÁGUA (Cariacica)
 
2018
 
EEPEF - BAIXO SOSSEGO (Itarana)
EEPEF - BARRA ENCOBERTA (Itarana)
EEPEF - BELA VENEZA (Itarana)
EEUEF - FRANCISCO FIALHO DE LIMA (Montanha)
EEUEF - MADRE CRISTINA (Pancas)
EEUEF - MATUTINA (Itarana)
EEUEF - SANTO ANTONIO DO SOSSEGO (Itarana)
EEEF - BRASIL (Baixo Guandu)
EEEM - JUDITH VIANA GUEDES (Muniz Freire)
EEEM - MENINO JESUS (Muniz Freire)
EEEM - PROF MARIA CANDIDO KNEIPP (Muniz Freire)
EEEM - SÃO JOÃO DO PRÍNCIPE (IÚNA)
 
Total 42 escolas fechadas
 
Escolas em turno único (escolas que foram fechadas e substituídas pela Escola Viva, de turno integral, o que impede o acesso de quem estuda e trabalha)
 
CEEFMTI ANTONIO ACHA
CEEFMTI ARISTEU AGUIAR
CEEFMTI ASSISOLINA ASSIS ANDRADE
CEEFMTI BARTOUVINO COSTA
CEEFMTI BRAULIO FRANCO
CEEFMTI DANIEL COMBONI
CEEFMTI HENRIQUE COUTINHO
CEEFMTI JOAQUIM BEATO
CEEFMTI MANOEL DUARTE DA CUNHA
CEEFMTI MARITA MOTTA SANTOS
CEEFMTI PROFESSOR ELPIDIO CAMPOS DE OLIVEIRA
CEEFMTI PROFESSOR JOSE LEAO NUNES
CEEFMTI WASHINGTON PINHEIRO MEIRELLES
CEEFTI FRANCISCO COELHO AVILA JUNIOR
CEEFTI GALDINO ANTONIO VIEIRA
CEEFTI ITAGIBA ESCOBAR
CEEFTI PRESIDENTE CASTELO BRANCO
CEEMTI AFONSO CLAUDIO
CEEMTI BAIXO GUANDU
CEEMTI CONDE DE LINHARES
CEEMTI JOAO XXIII
CEEMTI LICEU MUNIZ FREIRE
CEEMTI MONSENHOR GUILHERME SCHMITZ
CEEMTI MONSENHOR MIGUEL DE SANCTIS
CEEMTI PROF FERNANDO DUARTE RABELO - VITORIA
CEEMTI PROF MARIA PENEDO
CEEMTI PROF MAURA ABAURRE
CEEMTI SAO GABRIEL DA PALHA
 
Subtotal de escolas fechadas e substituídas pela Escola Viva: 28
 
Total geral: 70 comunidades atingidas com as mudanças.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Nacional x local

Ana Paula Vescovi, pupila de Hartung, a ''fúria'' do ministro Gilberto Ochhi, ligado a Marcus Vicente...

OPINIÃO
Editorial
As novas roupagens da censura
Os resquícios da ditadura militar ainda assombram a liberdade de expressão no País, estendendo seus tentáculos para o trabalho da imprensa
Eliza Bartolozzi Ferreira
A raposa cuidando do galinheiro
Na lógica do custo-benefício, governo Hartung entende que deve ofertar um ensino pasteurizado, de baixo custo e restrito a quem podem estudar em período integral
JR Mignone
A cobertura da Copa
No mês que antecedeu a Copa e no mês do desenrolar da competição, a Globo abusou da cobertura a ponto de cansar até o telespectador que gosta de esportes
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Entre a salada e o vinho
MAIS LIDAS

Moradores impedem devastação ainda maior da Aracruz Celulose (Fibria) em Lagoa de Coqueiral

Nacional x local

Governo escolhe local para base da PM sem consultar moradores da Piedade

Câmara de Afonso Cláudio prepara instauração de auditoria na Cesan

A cobertura da Copa