Seculo

 

PSDB, para onde?


26/02/2018 às 14:33
A disposição do prefeito de Vila Velha, Max Filho, de se lançar candidato ao governo por outro partido representa uma contribuição e tanto no andamento do processo de implosão do PSDB, não apenas no Espírito Santo, mas em todo o País. 
Nesse cenário, o governador Paulo Hartung e seu fiel vice, César Colnago, presidente da sigla, passam a viver uma situação vexatória, principalmente diante da possibilidade de um enfrentamento com Max na disputa pelo governo, adversário que ele jamais desejaria. 
O temor de Hartung se justifica pelo fato de o prefeito de Vila Velha ter chance de ampliar o isolamento do Palácio Anchieta quanto às coligações para a formação de chapa, caso haja nova baixa no PSDB, que perdeu recentemente o ex-prefeito de Vitória, Luiz Paulo Vellozo Lucas, para o PPS.  
E também porque Max Filho representa algo limpo na política quando se trata de denúncias e processos judiciais, um detalhe da maior importância na atual conjuntura eleitoral. 
Desde que o senador Aécio Neves foi afastado da Presidência em razão de denúncias na operação Lava Jato, em 2017, a debandada no PSDB se alastrou e, na tentativa de contê-la, o govenador paulista Geraldo Alckmin, candidato à Presidência da República, busca apoio do PSB nos estados, justamente o partido do ex-governador Renato Casagrande. 
A se confirmar a saída de Max Filho, o PSDB estadual ficará ainda mais encolhido, com o agravante de Colnago ter pela frente uma tarefa de difícil solução: apoiar o ex-governador Renato Casagrande, para atender à direção nacional, o que significaria um afastamento de Hartung.
A saída de Max Filho é dada como certa. Ele já teria mantido conversa com lideranças do Partido Verde, que está para perder o seu deputado federal, Evair de Melo, de mudança para o Podemos. 
O assunto, entretanto, não vingou, considerando que o PV no Espírito Santo tem a mão de Hartung, controle do qual Max quer distância e exatamente um dos motivos de sua saída do PSDB. 
Como político experiente, Max sabe que não se deve meter a mão em cumbuca, para não ficar com ela presa, como ensina o ditado popular. Assim, descartado o PV, Max Filho busca se acomodar em um partido que  lhe dê a garantia da disputa ao governo em 2018.
Quanto ao PSDB, o caminho fica cada vez mais estreito e pedregoso.  

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Nacional x local

Ana Paula Vescovi, pupila de Hartung, a ''fúria'' do ministro Gilberto Ochhi, ligado a Marcus Vicente...

OPINIÃO
Editorial
As novas roupagens da censura
Os resquícios da ditadura militar ainda assombram a liberdade de expressão no País, estendendo seus tentáculos para o trabalho da imprensa
Eliza Bartolozzi Ferreira
A raposa cuidando do galinheiro
Na lógica do custo-benefício, governo Hartung entende que deve ofertar um ensino pasteurizado, de baixo custo e restrito a quem podem estudar em período integral
JR Mignone
A cobertura da Copa
No mês que antecedeu a Copa e no mês do desenrolar da competição, a Globo abusou da cobertura a ponto de cansar até o telespectador que gosta de esportes
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Entre a salada e o vinho
MAIS LIDAS

Moradores impedem devastação ainda maior da Aracruz Celulose (Fibria) em Lagoa de Coqueiral

Nacional x local

Governo escolhe local para base da PM sem consultar moradores da Piedade

Câmara de Afonso Cláudio prepara instauração de auditoria na Cesan

A cobertura da Copa