Seculo

 

Servidora do INSS é condenada por improbidade administrativa e perde o cargo


07/03/2018 às 16:16
O Ministério Público Federal (MPF) no Espírito Santo obteve a condenação por improbidade administrativa da servidora do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) Maria José Kinake Bernardino. A Justiça determinou que ela perca qualquer cargo que esteja exercendo na administração pública quando a decisão transitar em julgado.
 
Além disso, Maria José deverá devolver R$ 5,4 mil que foram obtidos por ela ilicitamente; ressarcir o dano causado ao erário no valor de R$ 36 mil; pagar multa civil no valor atualizado de R$ 52 mil – ou seja, um valor total de R$ 94 mil. Ela também teve os direitos políticos suspensos e fica proibida de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos por dez anos.
 
Segundo o MPF, Maria José aproveitou-se de sua condição de servidora do INSS, lotada na Agência da Previdência Social de Vila Velha, e praticou diversas ilegalidades na habilitação e concessão de benefícios previdenciários, violando seus deveres funcionais com o objetivo de obter ganho ilícito em detrimento do INSS e dos próprios segurados.
 
No decorrer do processo, apurou-se que um beneficiário, que teve o pedido de aposentadoria negado porque ainda faltavam seis meses de contribuição, foi procurado pela ré. Ela solicitou a quantia de R$ 700 para poder obter o benefício pretendido por ele. A informação era de que com esse valor o débito com o INSS seria quitado.
 
Após receber o pagamento, Maria José inseriu dados falsos no sistema do INSS, o que permitiu o deferimento do pagamento da aposentadoria, mesmo que o beneficiário ainda precisasse contribuir com a Previdência.
 
Em outro caso citado no processo, a ré apropriou-se do cartão magnético de um segurado que havia morrido quando sua esposa esteve na agência para dar entrada no benefício de pensão. Ela disse para a viúva que o cartão seria inutilizado. No entanto, de posse da senha, Maria José realizou um saque no valor de R$ 351,33.
 
Na esfera criminal, Maria José foi condenada pela 2ª Vara Criminal da Justiça Federal no Espírito Santo a 17 anos, três meses e 10 dias de reclusão. Mas o Tribunal Regional Federal da 2ª Região aceitou recurso da ré e reduziu sua pena para dois anos, oito meses e 20 dias de reclusão em regime inicialmente aberto. O processo criminal (ação penal nº 0013881-35.2010.4.02.5001 ) encontra-se no TRF2 aguardando apreciação de recursos.
 
O número do processo cível para consulta no site da Justiça Federal (www.jfes.jus.br) é 0007224-43.2011.4.02.5001.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

'Tem boi na linha'

Metendo-se no meio da disputa caseira entre Hartung e Casagrande, Rose de Freitas tem realmente alguma chance?

OPINIÃO
Editorial
As novas roupagens da censura
Os resquícios da ditadura militar ainda assombram a liberdade de expressão no País, estendendo seus tentáculos para o trabalho da imprensa
Eliza Bartolozzi Ferreira
Cada qual no seu lugar
As escolas fazem ciência; as igrejas doutrinação. Projeto Escola Sem Partido é, no mínimo, uma contradição de base do vereador de Vitória, Davi Esmael (PSB)
Erfen Santos
Sugestão Netflix – um filme necessário
Indicado ao Oscar, Strong Island supera a maioria dos documentários, por mesclar a experiência familiar com a crítica social
JR Mignone
A batalha
Não sei se posso dizer, mas ainda hoje me sinto um pouco frustrado com a nossa profissão. Sério!
Roberto Junquilho
Renovar o quê?
Os ''novos'' na política mantêm velhos conceitos e se agarram em grandes corporações empresariais
Bruno Toledo
Estado sem PIEDADE!
As tragédias que se sucedem no Morro da Piedade sintetizam as contradições mais evidentes e brutais do modelo de sociedade e de Estado que estamos mergulhados
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Entre a salada e o vinho
MAIS LIDAS

Produtor rural teme uma tragédia na região da Barragem do Rio Jucu

Sicoob em Cariacica é processado por falta de acessibilidade

As novas roupagens da censura

Ufes sedia seminário do Dia Internacional contra a Tortura