Seculo

 

Aumenta pressão a Hartung para definição de candidatura


09/03/2018 às 16:32
O lançamento da candidatura do ex-governador Renato Casagrande ao governo em evento nacional do PSB e as conversações do prefeito de Vila Velha, Max Filho (PSDB), com o presidente nacional do Podemos, senador Álvaro Dias, representam ativo combustível para aumentar a pressão no cenário político do Estado. 
 
Embora os fatos sejam isolados e sem confirmação oficial, servem para demonstrar que a máquina política está a pleno vapor nos círculos de oposição ao governador Paulo Hartung.
 
O objetivo é pressioná-lo para que ele defina se é candidato à reeleição, como é dado como certo no mercado, ou se pretende ir para uma disputa ao Senado, opção vista como improvável, mas não totalmente descartada. 
 
Os movimentos de Casagrande e Max Filho, cuja aparência pode mostrar distanciamento, na realidade se harmonizam dentro de uma visão mais ampliada em um cenário a demonstrar um governo cada vez mais isolado, embora ainda com grande concentração no controle da máquina pública. 
 
Ao lançar o nome de Casagrande ao governo, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, demarca o território. Da mesma forma age Max Filho, ao manter articulações com o senador  Álvaro Dias, sinalizando que está no jogo.
 
Desse modo, a tão decantada unanimidade em torno de Hartung vira coisa do passado, o que o coloca em uma situação que o obriga a uma releitura de aliados, principalmente depois da migração do ex-prefeito Luiz Paulo Vellozo Lucas para o PPS, movimento que fortalece o ex-governador Renato Casagrande.
 
No PSDB, partido que dá sustentação à base aliada de Hartung, como nome de destaque sobram o vice-governador César Colnago e o tucano recém-emplumado, por imposição do governo, Octaciano Neto, secretário de Agricultura e candidato a deputado federal.
 
De saída do partido, o deputado estadual Sergio Majeski permanece no pé do governador, como único representante da oposição na Assembleia Legislativa e candidato potencial à majoritária, provavelmente o Senado. 
 
Completa o quadro  a senadora Rose de Freitas, disposta a confrontar Hartung até mesmo dentro do MDB, cujo controle dos 200 delegados é alvo de discretas investidas de ambos.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

Crônica de uma eleição

Vagões do trem do governador Paulo Hartung estão acima da capacidade da locomotiva. Haja peso para carregar...

OPINIÃO
Editorial
Futuro interrompido
Onde estão os promotores, delegados, políticos e demais agentes públicos para berrarem em defesa da infância? Mortes no Heimaba são alarmantes e inadmissíveis!
Bruno Toledo
Em defesa dos defensores
Nunca antes foi tão necessário e urgente o fortalecimento da Defensoria Pública
Eliza Bartolozzi Ferreira
A greve é um direito
Prefeito de Vitória ignorou o direito dos professores e adotou medidas coercitivas contra a liberdade de expressão e de greve
JR Mignone
Nova rádio
Tudo modificado, tudo moderno na Rádio Globo
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Arrogância também conta?
MAIS LIDAS

Vitória já poderia ter identificado as fontes de emissão de pó preto

Regimento Interno da Câmara da Serra torna nulo pedido de empréstimo para a prefeitura

Audiência Pública debate políticas de enfrentamento às desigualdades raciais

Pulverizações com agrotóxicos continuam no entorno do Parque de Itaúnas

Mordaça na escola