Seculo

 

Afluente do Rio Doce recebe rejeitos de minério da Anglo American


12/03/2018 às 16:00
Um mineroduto da Anglo American rompeu na manhã desta segunda-feira (12) no rio Santo Antônio, município de Santo Antônio do Grama, em Minas Gerais, que é afluente do Rio Casca, que por sua vez deságua no Rio Doce, na altura do município de Ipatinga, também em Minas.

Imagens divulgadas nas redes sociais mostram o minério de ferro jorrando do duto rompido, por meio de um líquido negro que cai no Rio Santo Antônio. No corpo hídrico, por sua vez, as imagens mostram o leito num vermelho intenso, que escorre pelo rio, atravessando o município.

Segundo comunicado à imprensa publicado pela Anglo American, o vazamento foi identificado às 7h42. O material vazado é chamado de “polpa” e consiste em 70% de minério de ferro e 30% de água.

O fluxo do mineroduto foi interrompido e, neste momento, apenas água está sendo escoada. Como medida de segurança complementar, a empresa informa que bloqueou o acesso ao local. 

A Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) interrompeu o abastecimento de água aos moradores de Santo Antônio do Grama e a mineradora está providenciando caminhões pipa para garantir o fornecimento de água para a população afetada.

Do Rio Santo Antônio, em Santo Antônio do Grama/MG, a lama segue para o Rio Casca, no limite com São Pedro do Cerro, de onde alcança o Rio Doce, no limite com o município de São José do Goiabal.

Em seguida, cerca de 50 km de Santo Antônio, margeará o Parque Estadual do Rio Doce, que protege a maior área de floresta tropical de Minas Gerais, com 35.970 hectares, chegando então à cidade de Ipatinga/MG, de onde percorrerá o mesmo percurso da lama da Samarco/Vale-BHP, até a foz, em Regência/Linhares, no norte do Espírito Santo. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

Crônica de uma eleição

Vagões do trem do governador Paulo Hartung estão acima da capacidade da locomotiva. Haja peso para carregar...

OPINIÃO
Editorial
Futuro interrompido
Onde estão os promotores, delegados, políticos e demais agentes públicos para berrarem em defesa da infância? Mortes no Heimaba são alarmantes e inadmissíveis!
Bruno Toledo
Em defesa dos defensores
Nunca antes foi tão necessário e urgente o fortalecimento da Defensoria Pública
Eliza Bartolozzi Ferreira
A greve é um direito
Prefeito de Vitória ignorou o direito dos professores e adotou medidas coercitivas contra a liberdade de expressão e de greve
JR Mignone
Nova rádio
Tudo modificado, tudo moderno na Rádio Globo
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Arrogância também conta?
MAIS LIDAS

Vitória já poderia ter identificado as fontes de emissão de pó preto

Regimento Interno da Câmara da Serra torna nulo pedido de empréstimo para a prefeitura

Audiência Pública debate políticas de enfrentamento às desigualdades raciais

Pulverizações com agrotóxicos continuam no entorno do Parque de Itaúnas

Mordaça na escola