Seculo

 

Manuela D'Ávila prestigia ato de filiação de Givaldo Vieira ao PCdoB nesta sexta-feira


12/03/2018 às 18:33
Depois de 29 anos no PT, o deputado federal Givaldo Vieira formaliza sua filiação ao PCdoB nesta sexta-feira (16) em ato público em defesa da democracia a ser realizado em frente ao teatro da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), a partir das 18 horas.  
O evento contará com a presença da presidenciável Manuela D’Ávila,  que comemorou a filiação de Givaldo nas redes sociais, da presidente nacional do partido, Luciana Santos, e da deputada federal pelo Rio de Janeiro, Jandira Feghali
Manuela D’Avila afirmou que a filiação de Givaldo representa importante contribuição às fileiras militantes da legenda. Em sua fala, registrada em vídeo nas redes sociais, disse que "Givaldo esteve à frente no Espírito Santo na denúncia do golpe que o Brasil viveu no ano de 2016 e certamente continuará denunciando esse golpe”.
Mais  à frente, ela diz: “Nós denunciamos e seguiremos denunciando, porque sabemos que o golpe contra Lula é o golpe contra a democracia brasileira, por isso, Givaldo se sente em casa no nosso partido, porque denunciamos o golpe e nos organizamos resistindo aos desmontes do Estado brasileiro promovido pelos golpistas aliados a Michel Temer”.
O deputado deixou o PT quando começou a se sentir sem espaço a partir da derrota nas eleições para o comando do partido no Estado, em abril de 2017. Integrante de um grupo contrário à permanência do partido no governo Hartung, o deputado denunciou manobra na disputa para atender aos interesses do atual presidente do partido, João Coser.
Em nota, o parlamentar afirmou que a decisão foi amadurecida depois de muita reflexão e diálogo com representações de todo o Espírito Santo. “Afinal, foram muitos anos de militância, construção, defesa, com coragem e firmeza, do legado dos presidentes Lula e Dilma, e, nos últimos anos, de luta por mudanças nos caminhos do partido no Estado, contra a submissão ao governo local - de arrocho social -, e o individualismo que tomaram a legenda”, destacou na nota.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
CMV
Blindagem coletiva

Greve dos professores não reforçou apenas o perfil antidemocrático do prefeito, mas também a omissão da Câmara de Vitória. Só Roberto Martins enxerga o óbvio?

OPINIÃO
Editorial
'Gestão compartilhada'
Ofensiva de Luciano Rezende contra movimento dos professores revela autoritarismo e inabilidade política
Piero Ruschi
Pets: uma questão de responsabilidade socioambiental
Felizes as pessoas que podem ter um animal de estimação! Felizes os animais de estimação que têm um dono responsável!
Gustavo Bastos
Para que Filosofia?
''é melhor existir do que o nada''
Bruno Toledo
Por que negar os Direitos Humanos?
Não há nada de novo nesse discurso verde e amarelo que toma as ruas. É a simples manutenção das bases oligárquicas do Brasil
JR Mignone
O voto facultativo
Atual insatisfação com a política seria uma chance para começar a estudar a implantação do voto facultativo?
Roberto Junquilho
Que novo é esse?
O presidenciável do PRB, Flávio Rocha, apresenta velhas fórmulas de gestão e envolve jovens lideranças
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Para, relógio
MAIS LIDAS

STF mantém interrupção de pagamento de gratificação a procuradores de Justiça no ES

Blindagem coletiva

Que novo é esse?

Professores encerram greve, mas movimento reivindicatório continua em Vitória

MAB: 'Falta organização e profissionalismo na Fundação Renova'