Seculo

 

Associação de Servidores solicita ampliação de vagas em concurso do Iema


04/04/2018 às 11:15
Investir em um concurso público que não preenche sequer 20% da demanda de vagas do Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema), em pleno ano eleitoral, é considerado pela Associação dos Servidores do Iema (Assiema) como medida eleitoreira do governador Paulo Hartung, voltada a atender ao licenciamento das grandes empresas poluidoras.

Após assembleia da categoria, foi enviada uma solicitação à direção do Instituto, solicitando “que seja reavaliado o quantitativo de vagas para o concurso, prevendo um número compatível com a realidade de escassez de servidores do Iema, que atenda no mínimo o preconizado em lei de criação ou que esteja minimamente baseado num diagnóstico, debatido e divulgado, de necessidades de reposição das vacâncias, de forma que o Iema possa atender aos anseios sociais e ambientais que suas atribuições lhe conferem”.

O documento enfatiza que a realização de concurso público para o Iema é uma reivindicação antiga dos servidores, tendo sido inclusive determinada pela Tribunal de Contas do Espírito Santo (TCES) em 2013, por meio do Acórdão nº 398/2013.

Contesta, porém, o número de vagas anunciado pelo governo estadual – 13 vagas de nível superior e 10 de nível médio, totalizando 23 vagas no total – visto que um levantamento feito no início deste ano pela própria diretoria do Iema apurou a necessidade de 137 vagas. “Essa quantidade de vagas em concurso não tem qualquer capacidade de suprir o déficit de pessoal da autarquia”, afirmam os servidores.

“No mínimo esse quantitativo deveria ser reposto, visto que já se passou mais de uma década do último concurso, sendo que houve no Estado expansão empresarial, industrial, agrícola e evolução/mudança em termos de pesquisa, legislação, novas abordagens de gestão ambiental, o que implica em aumento de demanda e de responsabilidades dos órgãos ambientais e, consequentemente, de necessidade de maior corpo técnico”, argumentam, citando “o desmantelamento e/ou extinção de setores importantes do Iema ao longo do último governo, como o setor jurídico, o laboratório, a coordenação de qualidade do ar, a gerência de qualidade ambiental e a geomática”.

Nas considerações do requerimento, a Assiema menciona ainda a tentativa de extinção da autarquia, iniciada em fevereiro de 2017, evitada após ampla mobilização e pressão da sociedade e dos próprios servidores e o fato de o gestor da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Seama) e a subsecretaria que propuseram a extinção ainda estarem à frente da secretaria.

E afirma a importância de cuidar da “economicidade, que é princípio do direito administrativo”, sendo por isso necessário que o investimento “em um certame de concurso [seja] aproveitado da melhor forma possível, a fim de prezar pelo bom uso do dinheiro público”.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
CMV
Blindagem coletiva

Greve dos professores não reforçou apenas o perfil antidemocrático do prefeito, mas também a omissão da Câmara de Vitória. Só Roberto Martins enxerga o óbvio?

OPINIÃO
Editorial
'Gestão compartilhada'
Ofensiva de Luciano Rezende contra movimento dos professores revela autoritarismo e inabilidade política
Piero Ruschi
Pets: uma questão de responsabilidade socioambiental
Felizes as pessoas que podem ter um animal de estimação! Felizes os animais de estimação que têm um dono responsável!
Gustavo Bastos
Para que Filosofia?
''é melhor existir do que o nada''
Bruno Toledo
Por que negar os Direitos Humanos?
Não há nada de novo nesse discurso verde e amarelo que toma as ruas. É a simples manutenção das bases oligárquicas do Brasil
JR Mignone
O voto facultativo
Atual insatisfação com a política seria uma chance para começar a estudar a implantação do voto facultativo?
Roberto Junquilho
Que novo é esse?
O presidenciável do PRB, Flávio Rocha, apresenta velhas fórmulas de gestão e envolve jovens lideranças
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Para, relógio
MAIS LIDAS

Juíza proíbe ex-diretor de Controle Interno de se aproximar da Câmara da Serra

Defensores públicos definem oito medidas para valorização da categoria

MP de Contas requer anulação de concorrência da Secretaria de Estado da Comunicação

Procon multa imobiliária e construtora responsáveis por condomínio em Setiba

Justiça realiza audiência do processo contra seminarista de Boa Esperança