Seculo

 

'A Educação tem que descer do palanque'


07/04/2018 às 16:30
“A Educação sobe os palanques, mas nunca desce. É preciso traduzir em atitudes o que se fala nos palanques”. A fala, reproduzida por Aguinaldo Rocha, professor, diretor e avô de aluno da rede pública de Vitória, foi proferida por uma das mães de alunos da rede municipal de ensino – que não quis se identificar – que participou da reunião dessa sexta-feira (6) entre o Comando de Greve dos professores e a Secretaria Municipal de Educação.

A reunião aconteceu após uma passeata pelo bairro Itararé e não resultou em avanços, sendo mantida a greve, que começou no dia 26 de março. A próxima mesa de negociação está agendada para a próxima quinta-feira (12) pela manhã, com nova assembleia marcada para o mesmo dia, à tarde.

A categoria alega que tem tentado dialogar com a administração do prefeito Luciano Rezende (PPS) nos últimos quatro anos, sem qualquer êxito, sendo que a greve abriu a fase de negociações de forma mais transparente. O entendimento é oposto ao do município, que conseguiu uma liminar na Justiça declarando o movimento paredista ilegal, sob argumento de que a paralisação significa uma suspensão antecipada das negociações.

“Quem rompeu a negociação foi o prefeito, ao anunciar o reajuste de 3% na imprensa e mandar esse projeto de lei pra Câmara, sem antes conversar com a categoria”, explica Washington Felix Rocha, coordenador do Comando de Greve de Vitória, destacando ainda “outra inconstitucionalidade: os vereadores fizeram uma emenda, estendendo esse reajuste pra eles também, o que não pode”, relata.

Com o anúncio dos 3%, o prefeito tem dito que está pagando a reposição salarial devida, o que não é verdade, no entendimento do Comando de Greve. “A perda salarial do período é de 28,5%!”, contesta Washington, referindo-se aos quatro últimos anos de salários congelados. O fato virou, inclusive, um grito de luta do movimento paredista: “3% não cola! Greve na escola!”.

Além da reposição salarial, a pauta de reivindicações inclui o cumprimento do Plano de Cargos e Vencimentos; o pagamento do auxílio alimentação para quem tem duas cadeiras na rede municipal; a qualificação das compras públicas, para a obtenção de materiais escolares de melhor qualidade; e a reforma e manutenção dos prédios públicos.

Segundo o Comando de Greve, mais de 70% das unidades de ensino já aderiram de alguma forma ao movimento paredista, algumas em 100%, outras em 50% ou 30%.

O Comando mantém uma página no Facebook com informações, fotos e vídeos. E um link com pedidos de apoio ao movimento, como um abaixo-assinado, ligações ao Fala Vitória (156) e sugestões de rodas de conversa nas escolas, envolvendo mães, pais, responsáveis, comunidade e profissionais de educação.

As próximas atividades previstas incluem uma concentração na Praça de Santo Antonio e Ato Público, na próxima terça-feira (10), e, na quinta (12), a Mesa de Negociação e assembleia.

 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Secom
'Esquenta'

Com a a abertura das convenções partidárias, nesta sexta-feira, o mercado ganhou maior intensidade com o racha na base de Hartung

OPINIÃO
Editorial
Mais uma porta na cara
O racismo institucional do Palácio Anchieta ficou ainda mais claro com a presença do jornalista Willian Waack, demitido da Rede Globo por comentários racistas
Erfen Santos
O Cidadão Ilustre
O filme suscita reflexões pertinentes sobre prêmios literários como o Nobel, que rejeitou grandes escritores
Geraldo Hasse
Notícias do fundo do poço
Se não ceder às pressões externas, a Petrobras pode voltar a liderar a economia
JR Mignone
A importância das eleições
Cada empresa de comunicação tem de se esmerar nas campanhas, sem partido ou cores políticas
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Além das lágrimas
MAIS LIDAS

'Esquenta'

Largada embolada

Comando da PM não comparece em audiência de conciliação no Tribunal de Justiça

Projeto que obriga barreiras de proteção na Terceira Ponte tem parecer favorável na Ales

Mistério Público investiga Secretaria de Saúde de Cariacica por irregularidades em prestações de contas