Seculo

 

Vereador cobra análise de projetos que proíbem doador de campanha em cargo comissionado


12/04/2018 às 16:06
O vereador Roberto Martins (PTB) cobrou nesta quinta-feira (11) maior rapidez da Câmara de Vitória na tramitação dos projetos que impedem a nomeação de doadores de campanhas eleitorais para cargos comissionados.
A cobrança foi feita durante visita do vereador de Nova Venécia Antônio Emílio (PPS), partido da base de sustentação do prefeito de Vitória, Luciano Rezende, que exerce o controle do legislativo da capital. 
“Antônio Emílio conseguiu aprovar projeto que veta a participação de doadores de campanha no Executivo Municipal. Curiosamente, a Câmara de Vitória já possui dois projetos que tratam desta questão, mas que ainda estão tramitando”, criticou Martins.
Na Câmara de Vitória, existe o Projeto de Resolução 29/2017, que proíbe ao poder legislativo municipal nomear para cargos em comissão e função gratificada pessoas que tenham efetuado doações financeiras ou bens estimáveis em dinheiro para campanha eleitoral. E o Projeto de Lei 241/2017, pelo qual Martins visa proibir o mesmo na prefeitura.
Ambos os projetos proíbem nomeações por quatro anos, a contar da data de doação e, segundo o vereador Roberto Martins, o estranho é que, apesar de celebrarem o visitante do norte do Espírito Santo, os vereadores de Vitória ainda não aprovaram os projetos.
“Uma das bases para que possamos homenagear uma pessoa é seguir seus exemplos. Então, pressiono para que aprovação destes projetos também possa ocorrer em Vitória e fazer desta homenagem algo legítimo”, critica. 
A ocupação de cargos comissionados é um antigo questionamento da classe política, por representar valiosa moeda de troca nas articulações. O assunto é tema de discursos de gestores públicos, com promessas de redução do número de comissionados, principalmente como parte de plataformas eleitorais, mas na realidade, isso nunca acontece. 
Mesmo quando ocorrem os cortes, há o acúmulo de pessoas em secretarias e órgãos da administração pública. As secretarias ocupadas por políticos que perderam eleição ou fizeram doações em campanhas são intocáveis. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
'Devoção' cega

Enquanto lideranças partidárias ecoam o ‘Volta Hartung’, o próprio lava as mãos e deixa seu exército fiel em apuros nas eleições deste ano

OPINIÃO
Piero Ruschi
O Governo do ES e seu amor antigo ao desamparo ambiental
Mais um ''Dia Mundial do Meio Ambiente'' se passou. Foi um dia de ''comemoração'' (política)
Gustavo Bastos
Carta ao inventor da música
''Mas que alma mora no sol?''
Erfen Santos
O Cidadão Ilustre
O filme suscita reflexões pertinentes sobre prêmios literários como o Nobel, que rejeitou grandes escritores
Roberto Junquilho
Tem jabuti na árvore
Por trás da conturbada escolha do candidato ao governo, há uma clara demostração de poder de Hartung
JR Mignone
A importância das eleições
Cada empresa de comunicação tem de se esmerar nas campanhas, sem partido ou cores políticas
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Último desejo
MAIS LIDAS

Ministério Público investiga suspeita de cartel em licitações da Secretaria de Agricultura

Amancio, um cantador da capoeira

'Devoção' cega

Vagas no Senado viram a grande disputa deste ano no Espírito Santo

A quadrilha democrática da Rua Sete