Seculo

 

Fortes chuvas criam cenário de caos na Grande Vitória


16/04/2018 às 11:05
Fotos: leitores 
 
Os capixabas foram surpreendidos, na madrugada e manhã desta segunda-feira (16), com fortes chuvas que inviabilizaram o início da semana de trabalho. De acordo com informações do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), nas últimas 12 horas, o volume de chuvas em Vitória foi de 140 milímetros; em Vila Velha, 130 milímetros; em Cariacica, 109 milímetros. Em todos os casos, a quantidade é maior que a esperada para todo o mês de abril.

As Defesas Civis de cada cidade estão em estado de alerta e visitando áreas onde há riscos de deslizamento ou desabamento. Alagamentos foram registrados nas avenidas principais dos municípios, inviabilizando o tráfego e causando grandes congestionamentos. No final da manhã, o Tribunal de Justiça do Estado suspendeu o expediente em sua sede e também em suas unidades descentralizadas na Grante Vitória. 
Em Vila Velha, a situação é a mais complicada. Com histórico de enchentes sucessivas, a cidade suspendeu as aulas e também o atendimento das unidades de saúde. A Defesa Civil tem visitado as áreas de risco, e a orientação para os moradores dessas áreas é de que redobrem a atenção e, em caso, de barulhos estranhos ou rachaduras, deixem imediatamente suas residências e busquem abrigo na casa de parentes ou amigos. A Prefeitura não confirmou se há desabrigados no município.  
Três unidades de saúde de Vila Velha (Jaburuna, Ibes e São Torquato) tiveram que fechar as portas por conta de alagamentos. As demais estão funcionando com restrição de serviços, pois há servidores que não conseguiram chegar aos postos de trabalho. Até o fim da manhã, a orientação da Prefeitura é a de que os moradores não circulassem pela cidade, pois há vários pontos de alagamento.
A Secretaria Municipal de Educação de Vila Velha informou que as aulas estão suspensas nesta segunda-feira (16), mas esclareceu que os alunos que conseguiram chegar em alguma unidade foram acolhidos.
O cidadão pode acionar a Prefeitura por meio da Ouvidoria 162 ou pela Defesa Civil nos números 199 ou (27) 99895 0100.
Capital
A Defesa Civil de Vitória também emitiu alerta para o risco de ocorrências de deslizamentos e rolamentos de blocos nas áreas de risco da cidade. Os pluviômetros registraram um volume de 138 milímetros de chuva nas últimas 12 horas e 140mm nas últimas 24 horas, ultrapassando o que era previsto para todo o mês: 105mm.
Na Capital, imagens de alagamento no Centro e nas avenidas Leitão da Silva e Vitória surpreenderam. As vias se transformaram praticamente em rios, impedindo completamente o tráfego de veículos. No Centro da Capital, imagens de uma verdadeira corredeira foram registradas na descida do Morro da Piedade, seguindo pela Rua Sete onde alguns comerciantes tiveram suas lojas inundadas.
"Ainda não tivemos ocorrências, mas é preciso ficar atento, pois há risco de deslizamentos e rolamentos de blocos em morros da capital", disse o coordenador da Defesa Civil de Vitória, Jonathan Jantorno. A Defesa Civil está de plantão pelo telefone (27) 98818-4432.
Um acidente de trânsito provocou a queda de um abrigo de ônibus na avenida Dante Michelini, na altura do bairro Mata da Praia (sentido Jardim Camburi). Uma equipe da Central de Serviços foi deslocada para o local e recolheu o equipamento, além de fazer a limpeza dos estilhaços.  O Instituto Federal do Espíito Santo (Ifes), campus Vitória, cancelou as aulas, assim como as escolas municipais. E, na Maternidade Pró-Matre, na Ilha de Santa Maria, o atendimento foi interrompido, pois a unidade foi inundada. 
As estações de bombeamento de Vitória funcionam 24 horas por dia e são acionadas automaticamente para escoar a água para o mar. São elas: Estação Doutor Antônio Ferreira da Silva Pinto, em Santa Luiza; Estação Praia do Canto; e Estação Bento Ferreira/Santa Lúcia. Há registros também de árvores que caíram em bairros como Jardim Camburi. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
CMV
Blindagem coletiva

Greve dos professores não reforçou apenas o perfil antidemocrático do prefeito, mas também a omissão da Câmara de Vitória. Só Roberto Martins enxerga o óbvio?

OPINIÃO
Editorial
'Gestão compartilhada'
Ofensiva de Luciano Rezende contra movimento dos professores revela autoritarismo e inabilidade política
Piero Ruschi
Pets: uma questão de responsabilidade socioambiental
Felizes as pessoas que podem ter um animal de estimação! Felizes os animais de estimação que têm um dono responsável!
Gustavo Bastos
Para que Filosofia?
''é melhor existir do que o nada''
Bruno Toledo
Por que negar os Direitos Humanos?
Não há nada de novo nesse discurso verde e amarelo que toma as ruas. É a simples manutenção das bases oligárquicas do Brasil
JR Mignone
O voto facultativo
Atual insatisfação com a política seria uma chance para começar a estudar a implantação do voto facultativo?
Roberto Junquilho
Que novo é esse?
O presidenciável do PRB, Flávio Rocha, apresenta velhas fórmulas de gestão e envolve jovens lideranças
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Para, relógio
MAIS LIDAS

Juíza proíbe ex-diretor de Controle Interno de se aproximar da Câmara da Serra

Defensores públicos definem oito medidas para valorização da categoria

MP de Contas requer anulação de concorrência da Secretaria de Estado da Comunicação

Homicídios de jovens negros aumentaram mais de cinco vezes em 20 anos no Estado

Procon multa imobiliária e construtora responsáveis por condomínio em Setiba