Seculo

 

Sindsaúde derruba pauta de terceirização no Conselho da Serra


08/05/2018 às 17:16
O Sindicato dos Trabalhadores da Saúde no Espírito Santo (Sindsaúde) conseguiu retirar da pauta da reunião ordinária do Conselho de Saúde da Serra, na tarde desta segunda-feira (7), a terceirização da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e da Maternidade de Carapina, sob responsabilidade da administração do prefeito Audifax Barcelos (Rede).
 
O Sindsaúde-ES tomou conhecimento na última quinta-feira (3) de que a terceirização seria votada na reunião do Conselho e, na sexta-feira (4), começou a articulação com outras entidades contrárias à entrega dos serviços de saúde às Organizações Sociais (OSs). Estiveram na reunião representantes da Federação das Associações de Moradores (FAMS), das Pastorais da Saúde, da Criança e dos Idosos; dos Sindicatos dos Psicólogos e dos Enfermeiros, além de outras entidades dos movimentos popular, sindical e dos direitos humanos.
 
 
O diretor do Sindsaúde, Jovanio Barbosa, não descarta, porém, a possibilidade de a proposta voltar como ponto de pauta nas próximas reuniões. “O Sindsaúde se posiciona contra a toda ou qualquer proposta de entregar a saúde à iniciativa privada. Nós iremos atuar em qualquer município que quiser levar esse ponto de pauta ao Conselho Municipal de Saúde com mobilizações, manifestações ou atuando com o nosso corpo jurídico junto ao Ministério Público”.
 
Na linha do governo do Estado, que desde 2009 está terceirizando a gestão dos seus serviços de saúde, as prefeituras capixabas também começam a aderir à lógica das privatizações. Na Grande Vitória, Vila Velha já implantou o sistema em um Pronto Atendimento e a Serra está em vias de iniciar o processo, assim como Cariacica também cogita entregar os serviços à iniciativa privada.
 
O Sindicato dos Servidores da Saúde já protocolou uma série de denúncias que envolvem as Organizações Sociais (OS) e a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) aos Ministérios Públicos Federal (MPF) e Estadual (MPES) e ao Tribunal de Contas (TCE).
 
A entidade reuniu documentos que revelam o descumprimento de contratos dos hospitais já privatizados/terceirizados e apontam uma série de problemas, como o péssimo atendimento à população e a substituição servidores de carreira por trabalhadores inexperientes, que recebem salários abaixo da média, com a clara intenção de redução de custos.
 
 
 
 
 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

Crônica de uma eleição

Vagões do trem do governador Paulo Hartung estão acima da capacidade da locomotiva. Haja peso para carregar...

OPINIÃO
Editorial
Futuro interrompido
Onde estão os promotores, delegados, políticos e demais agentes públicos para berrarem em defesa da infância? Mortes no Heimaba são alarmantes e inadmissíveis!
JR Mignone
Nova rádio
Tudo modificado, tudo moderno na Rádio Globo
Roberto Junquilho
Para onde ir?
A crítica vazia e sem fundamento à classe política coloca em risco a democracia
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Arrogância também conta?
MAIS LIDAS

Flic-ES: 'As livrarias não vendem obras capixabas'

Vitória já poderia ter identificado as fontes de emissão de pó preto

'Pensar a educação como a preparação do corpo para sentir, aprender e sonhar'

Webdoc Corpo Flor reflete sobre negritude e sexualidade