Seculo

 

Agricultores de Alfredo Chaves reivindicam isenção da cobrança pelo uso da água


08/05/2018 às 18:45
Os agricultores de Alfredo Chaves, no sul do Espírito Santo, reivindicaram a isenção da Agricultura Familiar na cobrança pelo uso da água, em reunião da Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa realizada nesta terça-feira (8).

A exemplo de Santa Teresa e Santa Maria de Jetibá, Alfredo Chaves argumenta ser produtor de água, por meio de vasta cobertura florestal – 53% do território – das mais de duas mil caixas secas construídas no último ano nas propriedades rurais e de outras ações de conservação e recuperação dos recursos hídricos.

“Fizemos nosso dever de casa, não podemos ser penalizados por isso”, argumenta o secretário municipal de Agricultura, Leandro Sartori, que também é secretário-executivo do Comitê da Bacia Hidrográfica (CBH) do Rio Benevente.

Leandro informa que o Plano da Bacia Hidrográfica do Rio Benevente, elaborado pela Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh), estabeleceu o montante de R$ 123 milhões para investimentos em mais recuperação da bacia, com reflorestamentos, tratamento de esgoto e outras medidas, sendo que 7,5% do valor arrecadado serão destinados à criação de uma agência reguladora, com seus corpo técnico e estrutura administrativa.

O prazo de arrecadação do valor e execução do plano é de 20 anos. “Quem vai pagar a conta é o cidadão”, alerta o secretário-executivo do Comitê, em referência à informação de que o consumo superior a 14.400 litros de água por dia será cobrado dos produtores rurais. “Qualquer agricultor, por menor que seja a propriedade, consome isso em uma hora com irrigação”, explica.

O secretário de Agricultura de Alfredo Chaves ressalta também que a categoria é favorável à implantação de medidas de conscientização e de redução do consumo de água por meio de técnicas de irrigação mais modernas. “Mas quem tem que financiar isso é o governo “, reivindica. 

Proposta coletiva

A reivindicação de isenção foi sistematizada em uma proposta contendo números sobre produção de água do município e protocolada em dezembro último na Assembleia, no CBH Rio Benevente, no Fórum dos Comitês de Bacias do Espírito Santo, no Palácio Anchieta e na Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh).

A proposta foi elaborada pelas secretarias municipais de Agricultura e Meio Ambiente, Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), Câmara de Vereadores e Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Alfredo Chaves. As entidades também realizam um abaixo-assinado durante dez dias, quando coletaram mais de 1,5 mil assinaturas de pessoas favoráveis à isenção da cobrança no município.

Nas reuniões que vêm sendo feitas nos três municípios, conta Leandro, os agricultores comparecem em peso para mostrar toda a sua indignação com a situação. “O presidente do Comitê [Sinval Rosa da Silva, representante do Sindicato Patronal da Agricultura] até cancelou a última reunião, temendo que os ânimos se exaltem demais”, disse. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

Crônica de uma eleição

Vagões do trem do governador Paulo Hartung estão acima da capacidade da locomotiva. Haja peso para carregar...

OPINIÃO
Editorial
Futuro interrompido
Onde estão os promotores, delegados, políticos e demais agentes públicos para berrarem em defesa da infância? Mortes no Heimaba são alarmantes e inadmissíveis!
JR Mignone
Nova rádio
Tudo modificado, tudo moderno na Rádio Globo
Roberto Junquilho
Para onde ir?
A crítica vazia e sem fundamento à classe política coloca em risco a democracia
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Arrogância também conta?
MAIS LIDAS

Flic-ES: 'As livrarias não vendem obras capixabas'

Vitória já poderia ter identificado as fontes de emissão de pó preto

'Pensar a educação como a preparação do corpo para sentir, aprender e sonhar'

Webdoc Corpo Flor reflete sobre negritude e sexualidade