Seculo

 

TRT realiza audiência entre trabalhadores e empresários da construção civil nesta quarta


15/05/2018 às 17:36
O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) vai realizar uma audiência entre trabalhadores e empresários da construção nesta quarta-feira (16), às 10h. A decisão foi tomada após assembleia do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil e Montagem do Espírito Santo (Sintraconst/ES), realizada na manhã desta terça-feira (15), e que culminou com uma passeata entre a Praça Costa Pereira, o Palácio Anchieta e a sede do TRT, no centro de Vitória.

A assembleia teve a participação de mais de dois mil trabalhadores, segundo informa o diretor de Comunicação do Sintraconst/ES, Virley Alves Santos,e decidiu pela manutenção da greve por tempo indeterminado.

O movimento grevista foi iniciado no dia 30 de abril e reivindica o respeito às cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) por parte do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Espírito Santo (Sinduscon/ES).

A intransigência do sindicato patronal tem desagradado até mesmo as empresas, diz Virley, que têm buscado negociar diretamente com o Sintraconst/ES a manutenção da CCT. “Mais de 40 já negociaram”, informa.

Na visão dos sindicalistas, o Sinduscon quer “acabar com garantias contidas na Convenção Coletiva, como a figura do representante sindical, o café da manhã, a Participação nos Resultados (PR), a remuneração de horas extras, o aviso prévio indenizado, com o cartão de compras da categoria e o plano de saúde”, afirmam.

Os trabalhadores também denunciam que o sindicato patronal pretende modificar a classificação profissional constante da Convenção Coletiva de Trabalho, com o fim das funções de oficial pleno, oficial polivalente, ajudante prático na construção civil e o fim de toda classificação na montagem industrial.

O objetivo final, analisa o presidente do Sintraconst/ES, Paulo César Borba Peres, o Carioca, é acabar com a Convenção Coletiva. “Foram décadas de lutas da categoria para se chegar a uma CCT que garantisse esses direitos e agora eles querem acabar com tudo, inclusive com a proposta de extinguir a classificação profissional, apenas para rebaixar salários”, protesta.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

Crônica de uma eleição

Vagões do trem do governador Paulo Hartung estão acima da capacidade da locomotiva. Haja peso para carregar...

OPINIÃO
Editorial
Futuro interrompido
Onde estão os promotores, delegados, políticos e demais agentes públicos para berrarem em defesa da infância? Mortes no Heimaba são alarmantes e inadmissíveis!
JR Mignone
Nova rádio
Tudo modificado, tudo moderno na Rádio Globo
Roberto Junquilho
Para onde ir?
A crítica vazia e sem fundamento à classe política coloca em risco a democracia
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Arrogância também conta?
MAIS LIDAS

Flic-ES: 'As livrarias não vendem obras capixabas'

Vitória já poderia ter identificado as fontes de emissão de pó preto

'Pensar a educação como a preparação do corpo para sentir, aprender e sonhar'

Webdoc Corpo Flor reflete sobre negritude e sexualidade