Seculo

 

Caso antigo


16/05/2018 às 11:02
Passados poucos dias da desilusão do PSB com a candidatura à Presidência da República do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, o presidente nacional da legenda, Carlos Siqueira, começa a se reunir com possíveis aliados no campo nacional. Informações divulgadas por Mônica Bergamo, na Folha de S.Paulo, apontam encontros com Gleisi Hoffman, do PT, nessa terça-feira (15), e com Carlos Luppi (PDT), nesta quarta (16), em Brasília. Em negociação, o apoio ao palanque do presidenciável Ciro Gomes e as alianças nos estados. As conversas nacionais são especialmente interessantes para o Espírito Santo porque, antes mesmo da decisão, o deputado federal Sérgio Vidigal já apareceu na imprensa batendo o pé de que não larga o governador Paulo Hartung na disputa deste ano, nem sob tortura. Aliados de longa data, Vidigal chegou a ser cotado como vice na chapa do governador à reeleição, numa união de forças para enfrentar uma disputa que promete ser acirrada, com a senadora Rose de Freitas (Podemos) e o ex-governador Renato Casagrande (PSB). Caso o namoro avance no andar de cima, o apoio local entre o PDT e Hartung andaria em total descompasso ao projeto prioritário nacional, situação agravada ainda pelo fato de o governador e Casagrande serem declaradamente adversários. Mas, para Vidigal, nada disso parece importar. O negócio é preservar seu antigo “caso político”, custe o que custar. Difícil será explicar...
Caso antigo II
A atual postura de Vidigal é bem diferente de quando estiveram por aqui, em dezembro passado, Ciro Gomes e Luppi, para convenção estadual do PDT. Na ocasião, o partido já conversava com o PSB, e Vidigal manifestou, prioritariamente, o compromisso com a candidatura nacional do partido. Sei...
Novela
A propósito, virou lenda o julgamento do recurso de Vidigal no Tribunal de Justiça, no processo em que é acusado de nepotismo e pode enquadrá-lo como ficha suja. Nessa terça-feira, foi o sétimo adiamento seguido. Que coisa...
Novela II
Outro processo que está na mesma situação no Tribunal é o da dívida de campanha do deputado estadual Hércules Silveira (MDB), da disputa à prefeitura de Vila Velha de 2008. Igualmente, um recurso dele contra a condenação em primeira instância. Igualmente, adiado pela sétima vez.
Tudo em casa
Hartung tirou mais um dia para fazer discurso de excelência em gestão e afagar o empresariado. Nessa terça-feira (15), voltou a reunir o secretariado para fazer “balanço prioritário” e, depois, com o recém-criado Conselho Estratégico (reúne as 20 maiores indústrias capixabas) da Federação das Indústrias do Estado (Findes), debateu uma “agenda de competitividade”. Ano de eleição, melhor acertar logo os ponteiros com os parceiros de longa data.
Nada mudou
Enquanto os policiais militares e seus familiares são julgados por crimes em decorrência do movimento de fevereiro de 2017, que explodiu após sucessivas omissões do governo, a situação por trás do marketing palaciano continua a mesma. O deputado estadual Gilsinho Lopes (PR) alertou no plenário da Assembleia, nessa terça, que viaturas do 11º Batalhão, em Barra de São Francisco, estão sem combustível. Isso mesmo, combustível!
Nada mudou II
Os policiais do Batalhão atendem a outros quatro municípios - Águia Branca, Água Doce do Norte, Ecoporanga e Mantenópolis - e, segundo Gilsinho, estão tendo que recolher viaturas, para não passarem vergonha. Surreal.
Pra inglês ver
O deputado estadual Da Vitória (PPS) enviou requerimento de informação ao secretário de Transporte e Obras Públicas, Paulo Ruy Carnelli. Quer saber que fim levaram três obras em Colatina, Governador Lindenberg e São Domingos do Norte, que já custaram cerva de R$ 15 milhões, mas foram paralisadas no início da atual gestão.
Pra inglês ver II
Como as obras estão há muito tempo paradas, Da Vitória diz que o preço de cada uma deve subir 40%. As obras são na ES 357, entre os distritos de Povoação de Baunilha a Barracão de Baunilha, em Colatina; na 436, Moacir Ferreguetti a Morelo, em Governador Lindenberg; e Sapucaia, em Marilândia a Rancho Fundo, em São Domingos do Norte.
Campo minado
Mais um abacaxi na Câmara da Serra. Está no Diário Oficial dessa terça-feira, a instauração de uma comissão para investigar “atos ilegais ou antieconômicos praticados pelo vereador Robinho Gari (PV)”. Trata-se de um suposto caso de nepotismo cruzado.
Campo minado II
Robinho teria nomeado em seu gabinete André Effegen de Amorim, filho do vereador de Vitória, Luiz Carlos Amorim (PV), em cargo em comissão de agente legislativo (GRP Nível I), ainda em 2017. Amorim, por sua vez, teria nomeado o filho de Robinho na Câmara da Capital. O ato, no entanto, não diz o nome dele. É assinado pelo atual presidente da Casa, Rodrigo Caldeira (Rede), com prazo de três meses para conclusão.
PENSAMENTO:
“Há campeões de tudo, inclusive de perda de campeonatos”. Carlos Drummond de Andrade

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

Até tu?

A situação está tão difícil, que PH almejou fazer uma dobradinha com os senadores Magno Malta e Ricardo Ferraço

OPINIÃO
Editorial
Quem paga a conta senta na cabeceira?
O financiamento pela Arcelor de uma pesquisa da Ufes de R$ 2 milhões acende o alerta sobre a autonomia universitária e a transparência nos acordos entre academia e capital privado
Piero Ruschi
Visita à coleção zoológica de Augusto Ruschi
Visitei a coleção zoológica criada por meu pai e seu túmulo na Estação Biológica. Por um lado, bom, por outro, angústia
Geraldo Hasse
Refém do Mercado
O País está preso ao neoliberalismo do tucano Pedro Parente, presidente da BR
Roberto Junquilho
A montagem da cena
Em baixa junto aos prefeitos da Grande Vitória, Hartung dispara para o interior do Estado
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

A festa do chá
MAIS LIDAS

Até tu?

Advogados questionam gestão de Homero Mafra à frente da OAB no Estado

Sem ração devido à greve de caminhoneiros, avicultores doam 100 mil frangos e 360 mil ovos em Vitória

Teatro de Arena em exposição no Sesc Glória

O livro