Seculo

 

Empate na eleição interna da Câmara da Serra favorece bloco de Audifax Barcelos


16/05/2018 às 13:58
A divisão da Câmara da Serra em dois blocos políticos, um ligado ao prefeito Audifax Barcelos (Rede) e outro ao ex-prefeito e deputado federal Sérgio Vidigal (PDT), envolve a eleição da Mesa Diretora prevista para o próximo dia dois de junho, que exerce forte influência nas eleições municipais. 
 
O atual líder do prefeito Audifax Barcelos, vereador Luiz Carlos Moreira (MDB), pode ser o próximo presidente da Câmara, caso permaneça o cenário atual do plenário, com 11 vereadores de cada lado. A votação já tem data marcada, mas pode ser antecipada.
 
O presidente Rodrigo Caldeira, que apesar de ser da Rede é ligado ao ex-prefeito Sérgio Vidigal, articula para antecipar a eleição e, caso consiga, reforçaria sua estratégia visando o enfraquecimento dos adversários, que não teriam tempo hábil para fechar as composições partidárias. 
 
A Mesa Diretora comandará o Legislativo do município de 2019 a 2020, período de eleições municipais, quando voltarão à disputa pelo comando da Serra as duas principais lideranças: Sérgio Vidigal e Audifax Barcelos.
 
Por ser o mais antigo em exercício na atual legislatura, Moreira assumirá se a votação terminar empatada, de acordo com o regimento interno da Casa. Caldeira é candidato à reeleição e deve enfrentar um integrante do grupo contrário, formado pelos vereadores Basílio da Saúde (Pros), Miguel da Policlínica (PTC) e Fábio Duarte (PDT).
 
Luiz Carlos Moreira, político experiente, que já foi deputado estadual por três mandatos e atualmente exerce o segundo mandato de vereador, sendo líder do prefeito Audifax Barcelos pela segunda vez, surge como a alternativa legal em caso de empate.
 
Os conflitos na Câmara da Serra começaram desde a sessão que elegeu a Mesa Diretora comanda pela vereadora Neidia Maura Pimentel (PSD), do grupo do prefeito Audifax Barcelos, atualmente afastada pela Justiça por estar envolvida em denúncia de extorsão e peculato.  
 
Antes do afastamento definitivo, em março desse ano, ela conseguiu retornar à Presidência da Casa por duas vezes, após denúncias de ilegalidade na disputa interna.
 
O afastamento de Neidia aumentou o clima de conflito entre os vereadores, agravado com a decisão de um grupo de vereadores de paralisar os trabalhos, ausentando-se das sessões. Eles só retornaram mediante mandado de segurança impetrado pelo prefeito Audifax Barcelos, acatado pela Justiça. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Ales
Mais do mesmo

Na carona de Amaro Neto, lideranças do bloco governista pretendem manter pelo menos dez deputados estaduais na Assembleia. Já pensou...

OPINIÃO
Editorial
Donos das terras
Decisão em favor da titularidade do território quilombola no Estado é um passo importante na reparação de uma injustiça histórica que protege os poderosos
Gustavo Bastos
Jeff Buckley e seu álbum Grace
''O álbum Grace foi lançado em agosto de 1994''
Wilson Márcio Depes
A onipresença da violência
Os elevados índices de violência vêm favorecendo, de forma decisiva, o discurso de candidatos. É fácil verificar
Roberto Junquilho
O foco é o segundo turno
A estratégia do grupo palaciano é atrair a senadora Rose de Freitas para o segundo turno
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Último desejo
MAIS LIDAS

Lama da Samarco/Vale-BHP pode ser bomba relógio de metais pesados

Colnago se firma como candidato ao governo, mas não unifica o bloco hartunguista

Indicação do líder do governo para o TCE abre nova frente para oposição na Assembleia

Donos das terras

Jeff Buckley e seu álbum Grace