Seculo

 

Desvios cotidianos


27/05/2018 às 12:23
Texto: Daniela Camila
Tubos de vidro flexíveis, modelados pelo calor de um maçarico sobre a pressão das mãos humanas, dão vida a uma antiga e hipnotizante técnica que perdura em sua função de chamariz para a atenção humana: os letreiros de Neon. José Dalcol, proprietário do estabelecimento, diz que a técnica, além de atemporal, é infalível e não sucumbirá às flutuações do mercado com o advento de novas invenções no ramo das placas comerciais.
Caminhando no ritmo da disritmia e no compasso do descompasso, a TV Século  desvia o olhar do coletivo adaptado e sedento por telas cada vez mais finas e portáteis, ofegante na corrida para acompanhar a velocidade frenética do desenvolvimento alimentado a combustíveis fósseis, para focar no que deliberadamente ficou fora de quadro. 
Desvios cotidianos é o programa que se propõe a mostrar, mensalmente, através de um vídeo de aproximadamente cinco minutos, o retrato indistinto, multifacetado e instantâneo de um contingente de inadaptados que anonimamente observa a correnteza por onde a massa inadvertidamente flui.
Como retratos instantâneos de polaroid, rápidos e precisos, o programa apresentará uma gama heterogênea de personagens, histórias e causos, oferecendo ao espectador a visão ampliada de ângulos periféricos midiaticamente marginalizados.
Constituindo-se, assim, como um veículo de desobediência midiática detentora de linguagem técnica completamente proporcional aos grandes produtores de conteúdo para web, com movimentos de câmera suave, fotografia balanceada, som impecável e montagem dinâmica.
 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

De demolidor a demolido

Até outro dia, o MDB era o partido mais importante do Estado, mas entrou em agonia com a interferência de PH

OPINIÃO
Piero Ruschi
O Governo do ES e seu amor antigo ao desamparo ambiental
Mais um ''Dia Mundial do Meio Ambiente'' se passou. Foi um dia de ''comemoração'' (política)
Bruno Toledo
Estado sem PIEDADE!
As tragédias que se sucedem no Morro da Piedade sintetizam as contradições mais evidentes e brutais do modelo de sociedade e de Estado que estamos mergulhados
Geraldo Hasse
Mundo velho sem catraca
Cinquenta anos depois, é possível fazer um curso técnico por correspondência via internet
Roberto Junquilho
Hartung, o suspense
O governador Paulo Hartung mantém o suspense e pode até não disputar a reeleição em 2018
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Uma revoada de colibris
MAIS LIDAS

De demolidor a demolido

Assaltante foragido da Justiça capixaba é preso em estádio na Rússia

Licitação para gestão dos quiosques em Camburi só tem uma empresa concorrente

Quarenta e um presos morreram entre março de 2015 e fevereiro de 2018 no Estado