Seculo

 

Sindsaúde-ES abre inscrições em seminário para discutir terceirizações em hospitais


04/06/2018 às 14:27
Trabalhadores da saúde e de áreas afins ou interessados em discutir a questão da terceirização dos hospitais estaduais podem se inscrever no Seminário Interestadual "Saúde Pública: Dever do Estado”, que será realizado no próximo dia 21 de junho. Organizado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado (Sindsaúde-ES), o evento será realizado, a partir das 8h, no auditório da entidade, localizado no Centro de Vítória. 
 
De acordo com a presidenta do Sindsaúde-ES, Geiza Pinheiro, o seminário, com entrada franca e vagas limitadas, tem como objetivo reunir servidores públicos, sindicalistas, profissionais da área da saúde, estudantes e demais interessados na luta contra as terceirizações dos hospitais e dos serviços de saúde pública.

"Será um espaço privilegiado para a troca de experiências. Juntos, vamos definir estratégias de combate às privatizações/terceirizações dos serviços públicos de saúde. A entrega dos hospitais para as empresas travestidas de organizações sociais traz uma série de prejuízos para a população", explica Geiza.
 
Um dos palestrantes confirmados é o advogado Cezar Britto. "Reconhecido por sua atuação na área jurídica em favor de diversas entidades sindicais, movimentos populares e organizações não governamentais, Cezar Britto é ainda diretor técnico da Revista Fórum de Direito Sindical e foi presidente da OAB Nacional. Temos certeza que será um debate rico de contribuições", adianta Cynara Azevedo, da Secretaria de Condições de Trabalho do Sindsaúde-ES.
 
Terceirizações 
Neste ano, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulgou um pacote para ampliar a privatização dos hospitais estaduais, o que tem sido chamado de Novo Modelo de Gestão. Estão nesta lista o hospital Roberto Arnizaut Silvares, em São Mateus; o Dr. Alceu Melgaço Filho, em Barra de São Francisco; Silvio Avidos, em Colatina; Antônio Bezerra de Faria, em Vila Velha; Dório Silva, na Serra; e Infantil, de Vitória. Todas as unidades têm sofrido com o sucateamento, falta de equipamentos, insumos e até medicamentos. 
 
Para o diretor de Comunicação do Sindsaúde-ES, Valdecir Nascimento, deixar as unidades em péssimas situações de funcionamento é estratégia da Sesa para justificar a terceirização. “Eles deixam tudo se deteriorar para justificar, em seguida, que é preciso entregar os hospitais nas mãos das Organizações Sociais (OSs), como forma de melhorar o atendimento”, explicou Valdecir.
 
Pisada no Freio
Mas, ao que tudo indica, depois de uma série de denúncias e escândalos de até repercussão nacional, a Sesa pisou no freio das terceirizações. Um exemplo é que o edital para escolha da empresa para gerir o Dr. Alceu Melgaço Filho, em Barra de São Francisco, foi cancelado recentemente. A alegação é de que nenhuma empresa foi considerada habilitada para assumir o hospital. O processo em Colatina também continua paralisado. 
 
Neste mês de maio, o Ministério Público Federal (MPF) encaminhou ofício ao governo Paulo Hartung, por meio do secretário de Estado da Saúde, Ricardo de Oliveira, a esclarecer as contratações das OSs que passaram a gerir os hospitais da rede pública.
 
Desde 2009, quando a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) iniciou a terceirização das unidades, denúncias de irregularidades têm vindo à tona, entre elas, envolvendo aumentos dos custos com aditivos contratuais, sem melhoria justificada dos serviços prestados à população, além de favorecimento de empresas em licitação e piora no serviço prestado à população. 
 
Desde outubro de 2017, quando o Hospital Estadual Infantil de Vila Velha (Heimaba) foi terceirizado, crianças e acompanhantes foram flagrados dormindo no chão, além de um crescimento alarmante de mortes de recém-nascidos na UTI Neonatal da mesma unidade. 
 
Além do Heimaba, também passaram pela terceirização o Hospital Central (Vitória), Jayme dos Santos Neves (Serra) e Hospital Estadual de Urgência e Emergência, antigo São Lucas, também na Capital.  
 
Seminário Interestadual "Saúde Pública: Dever do Estado"
Data: 21 de junho de 2018.
Horário: 8h.
Local: Auditório do Sindsaúde-ES - Av. Princesa Isabel, 599, Ed. Março, 8º andar, Centro, Vitória/ES.
Gratuito.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Cara e crachá

Uns publicaram vídeos e notas nas redes sociais, outros só notas, outros nada. Mas a CPI da Lava Jato continua na conta dos deputados arrependidos

OPINIÃO
Editorial
A Ponte da Discórdia
Terceira Ponte entra novamente no centro dos debates políticos em ano eleitoral. Enquanto isso, a Rodosol continua rindo à toa...
Piero Ruschi
O Governo do ES e seu amor antigo ao desamparo ambiental
Mais um ''Dia Mundial do Meio Ambiente'' se passou. Foi um dia de ''comemoração'' (política)
Gustavo Bastos
Conto surrealista
''virei pasta para entrar mais fácil na pintura de Dalí''
Bruno Toledo
Estado sem PIEDADE!
As tragédias que se sucedem no Morro da Piedade sintetizam as contradições mais evidentes e brutais do modelo de sociedade e de Estado que estamos mergulhados
Geraldo Hasse
Mundo velho sem catraca
Cinquenta anos depois, é possível fazer um curso técnico por correspondência via internet
Roberto Junquilho
Hartung, o suspense
O governador Paulo Hartung mantém o suspense e pode até não disputar a reeleição em 2018
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Entre a salada e o vinho
MAIS LIDAS

‘Lutava contra um sistema podre e falido com os braços amarrados. Agora estou livre’

Visita de interlocutores de Hartung a Rodrigo Maia sinaliza mudança de cenário

Juiz Leopoldo mais próximo de ir a Júri Popular por assassinato de Alexandre Martins

Hartung, o suspense

Contrato do governo do Estado com a Cetesb sobre poluição do ar continua sigiloso