Seculo

 

Professores e comunidades lutam contra fechamento de escolas do campo em Colatina


06/06/2018 às 17:34
Após duas grandes mobilizações organizadas pelo Comitê Municipal de Educação do Campo e o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Colatina e Governador Lindenberg (SISPMC), a Prefeitura Municipal de Colatina interrompeu sua política de fechamento de escolas do campo.

A suspensão de pelo menos quatro escolas unidocentes chegou a ser anunciada para os dias 23 e 24 de maio, mas, após a primeira mobilização, foi interrompida pela Secretaria de Educação, sob promessa de uma reunião para discutir o assunto.

Como a conversa não foi agendada, uma outra atividade foi organizada nessa segunda-feira (4), na Câmara de Vereadores, quando as comunidades escolares lotaram a Casa de Leis colatinense.

“Não dialogaram com as comunidades”, denuncia Décio Rezende, diretor de assuntos jurídicos do Sindicato, relatando que o procedimento da Secretaria se resumiu a chamar os professores para comunicar da “suspensão das atividades” – “eles não chamam de fechamento de escola”, adverte Décio – e a transferência dos profissionais e crianças para escolas urbanas, sob argumento de existirem poucos alunos. “Isso é totalmente contrário ao que preconiza a Educação do Campo”, protesta o líder sindical.

Apesar da interrupção da equivocada política municipal, Décio conta que os rumores sobre retomada do processo continuam, mantendo profissionais e familiares de alunos em alerta. Uma nova reunião do Comitê está marcada para a próxima segunda (11).

O fechamento de escolas do campo tem sido executado na rede estadual de ensino desde o início do governo Paulo Hartung. Estima-se que mais de 50 foram fechadas e as que se mantêm funcionando são resultado de muita luta das comunidades escolares.

A transferência de alunos para escolas urbanas, totalmente descontextualizadas de sua realidade rural, é duramente condenada pelos especialistas em Educação do Campo, que, ao contrário, têm trabalhado pelo fortalecimento das escolas do campo e da Pedagogia da Alternância, incluindo mobilização para inclusão dessas diretrizes na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB - Lei Federal nº 9.394/96). 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

De demolidor a demolido

Até outro dia, o MDB era o partido mais importante do Estado, mas entrou em agonia com a interferência de PH

OPINIÃO
Piero Ruschi
O Governo do ES e seu amor antigo ao desamparo ambiental
Mais um ''Dia Mundial do Meio Ambiente'' se passou. Foi um dia de ''comemoração'' (política)
Bruno Toledo
Estado sem PIEDADE!
As tragédias que se sucedem no Morro da Piedade sintetizam as contradições mais evidentes e brutais do modelo de sociedade e de Estado que estamos mergulhados
Geraldo Hasse
Mundo velho sem catraca
Cinquenta anos depois, é possível fazer um curso técnico por correspondência via internet
Roberto Junquilho
Hartung, o suspense
O governador Paulo Hartung mantém o suspense e pode até não disputar a reeleição em 2018
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Uma revoada de colibris
MAIS LIDAS

De demolidor a demolido

Assaltante foragido da Justiça capixaba é preso em estádio na Rússia

Licitação para gestão dos quiosques em Camburi só tem uma empresa concorrente

Quarenta e um presos morreram entre março de 2015 e fevereiro de 2018 no Estado