Seculo

 

Encontro Estadual do Movimento dos Atingidos por Barragens começa nesta quinta-feira em Vitória


13/06/2018 às 14:31
O Encontro Estadual do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) começa nesta quinta-feira (14) e se estende até sábado (16), no Clube dos Bancários, em Vitória. A expectativa é de reunir mais de duzentas pessoas que atuam no MAB capixaba, além de atingidos pelo rompimento da barragem de Fundão da Samarco/Vale-BHP.

O Ato Político de Abertura terá uma Plenária com participação de dirigentes da Federação Única dos Petroleiros (FUP), do Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente do Espírito Santo (Sindaema), do Sindicato dos Trabalhadores em Energia (Sinergia) e do próprio MAB.

Na sexta (15), a atividade diurna de formação política se encerra com o lançamento do documentário Arpilleras – bordando a resistência, 19h, no Cine Metrópolis.

E, no último dia, acontece o Congresso Estadual do Povo, voltado à formação política nas bases, reunindo participantes do Congresso do Povo da Grande Vitória. “O Congresso Nacional do Povo deve acontecer somente em 2019, após as eleições. Até lá, precisamos manter a mobilização em nível estadual”, contextualiza Heider José Boza, da coordenação capixaba do MAB.

João Antonio de Moraes, diretor da FUP que participará da Plenária de abertura, destaca que os problemas que a população tem vivido em relação aos combustíveis, energia elétrica e povos atingidos por barragens, estão relacionados à privatização dos bens públicos por empresas, a maioria, estrangeiras. 

Aparentemente antagônicos, os interesses defendidos por petroleiros e populações atingidas por barragens, na verdade, se unem em uma única causa. “Está todo mundo num barco só. A apropriação privada e estrangeira traz todos esses problemas”, diz. “A busca incessante do lucro fácil por parte desses conglomerados internacionais conduz a isso”, denuncia.

A ideia de unir, no encontro, a discussão sobre combustíveis, energia e tarifas abusivas de água e energia, surgiu durante o movimento grevista dos caminhoneiros e petroleiros, e se mantém oportuna e estratégica.

“A experiência que nós temos na plataforma operaria é muito importante, porque os diversos públicos se juntam e se mobilizam em torno do debate e percebem como estão no mesmo barco”, conta José Antonio de Moraes, referindo-se à troca de conhecimentos e experiências que se pretende promover no Ato Político do MAB, e citando conquistas recentes da categoria, como a mudança do modelo de gestão e controle do pré-sal e da distribuição dos royalties, também para a saúde e a educação. Além da greve dos petroleiros, que resultou na renúncia dos conselheiros da Petrobras ligados à Shell, indicados por Michel Temer, bem como no pedido de demissão do então presidente da estatal, Pedro Parente. 
 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

De demolidor a demolido

Até outro dia, o MDB era o partido mais importante do Estado, mas entrou em agonia com a interferência de PH

OPINIÃO
Piero Ruschi
O Governo do ES e seu amor antigo ao desamparo ambiental
Mais um ''Dia Mundial do Meio Ambiente'' se passou. Foi um dia de ''comemoração'' (política)
Bruno Toledo
Estado sem PIEDADE!
As tragédias que se sucedem no Morro da Piedade sintetizam as contradições mais evidentes e brutais do modelo de sociedade e de Estado que estamos mergulhados
Geraldo Hasse
Mundo velho sem catraca
Cinquenta anos depois, é possível fazer um curso técnico por correspondência via internet
Roberto Junquilho
Hartung, o suspense
O governador Paulo Hartung mantém o suspense e pode até não disputar a reeleição em 2018
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Uma revoada de colibris
MAIS LIDAS

Assaltante foragido da Justiça capixaba é preso em estádio na Rússia

Quarenta e um presos morreram entre março de 2015 e fevereiro de 2018 no Estado